The Walks 9
Luís Pereira

Indie Music Fest 2016, 1.º dia: O rock que fez pó e abalou o bosque

Cumpre-se a tradição: estamos de volta ao Bosque do Choupal para a quarta edição do Indie Music Fest, onde nos aguardam três dias cheios de música para (quase) todos os gostos e feitios, distribuída por três palcos à sombra. Para este dia, o cartaz reservava nomes como Fora de Cena, The Walks, 800 Gondomar, Wild Apes e Pinturas Negras.

O sucesso da edição anterior não passou despercebido e talvez será essa a razão pela qual nos parece que, este ano, são mais os campistas que escolhem o Indie Music Fest como a casa dos próximos três dias. Não esquecendo, claro, o público que não permanece até ao fim, não é difícil prever que qualquer atuação do dia vai ter plateia cheia.

Indie

Os estreantes do bosque são os Fora de Cena, o quarteto de Vila do Conde que garantiu a sua estadia no Indie após vencer um concurso de bandas, com o pop rock alternativo que tão bem lhes assenta.

Após alguns problemas técnicos, que obrigaram a que a atuação fosse ligeiramente atrasada, os Fora de Cena entraram em palco com uma boa energia e a dar as boas-vindas ao público, ainda expectante em relação ao que se ia seguir.

Não demorou até o conquistarem – afinal, os Fora de Cena estavam dentro do ambiente certo – e a canção Vento do Oeste arrancou reações bem positivas entre a audiência, algo que também aconteceu durante o bonito solo de piano a meio do concerto. Ainda não o sabíamos, mas este foi o concerto mais leve e refrescante do dia, do qual viríamos a ter saudades mais para o fim da noite.

Fora de Cena 2
Fora de Cena

Ainda há luz do dia. 800 Gondomar não escondem que são uma banda rock de garagem, o que não significa que não sejam bem apreciados. Todo o espaço do palco Antena 3 estava cheio de fãs assolados pela histeria e pelo headbanging, num espectáculo frenético muito ao estilo do grupo, que deixou tudo o que tinha no bosque.

Apesar de não ser um tipo de música ao gosto de qualquer pessoa – muitos acharão que é só barulho – não há dúvidas de que os 800 Gondomar servem que nem uma luva a este público tão enérgico do Indie Music Fest.

The Walks 11
The Walks

Noite cerrada. Rock n’ roll à grande foi a melhor maneira que encontrei para descrever os estrondosos, magníficos, donos e reis da noite, The Walks. Os primeiros trinta segundos bastaram para a atrair uma multidão de público ao palco Antena 3, do qual esta banda de Coimbra tomou conta durante uma hora de boa música, boa energia, boa dança e uma presença em palco invejável.

Somos os The Walks, somos de Coimbra e é um gosto aqui estar”, apresenta o vocalista, John Silva, a meio da atuação. É óbvio e inegável o tal gosto da banda em ali estar, já que é impossível dar um concerto tão bom sem efectivamente se entregar de corpo e alma ao momento. “Têm muito festival pela frente, divirtam-se e percam-se por aí!” E nós perdemo-nos neste concerto dos The Walks, não demos pelo tempo passar e não queríamos que acabasse.

O resto da noite tornou-se num paraíso para os amantes do rock – e metal – mais pesado, mas um tanto ou quanto monótono para quem anseia por música mais leve e descontraída (lembram-se das saudades que íamos ter dos Fora de Cena?). Ainda assim, o rock é o género que impera neste primeiro dia de Indie Music Fest e o público adere incrivelmente bem aos Wild Apes, no palco Cisma, onde a sonoridade não se destaca particularmente, mas a voz é um dos pontos fortes. Destaca-se, sim, a máscara de gorila usada pelo baixista e os óculos escuros envergados pelo vocalista, já que a banda foi ao sol das dez da noite do nosso bosque.

Wild Apes
Wild Apes

Nós somos os Pinturas Negras e este é o nosso primeiro concerto de sempre!” Pela competência e conforto em palco, ninguém diria. Os Pinturas Negras demoliram o Bosque do Choupal com algum metal que, apesar de inesperado fez um enorme sucesso entre o nosso público tão adepto do headbanging e do mosh pit, este último desporto rei no festival. Marcado por ritmos, guitarras e gritos muito fortes, mas também por uma plateia elétrica, entretida e aparentemente satisfeita, os Pinturas Negras foram uma surpresa no primeiro dia do Indie Music Fest.

Sun Mammuth e GoBabyGo são grupos que apresentam sonoridades muito semelhantes e, por conseguinte e à semelhança do anteriormente verificado, foram bem recebidos pelos indies. Não é difícil adivinhar o género predilecto deste público, mas sabemos que a maior diversidade dos dias seguintes vai resultar bem e cair como uma lufada de ar fresco no bosque. A noite do dia 1 de setembro encerra-se com Whales e com um after cheio de potencial, com o IMF Soundsystem.

Fotografia: Luís Pereira

Mais Artigos
séries imperdíveis
Maratonas para o fim de semana. Doze séries imperdíveis com apenas uma temporada