Infelizmente agosto já acabou e o não esperado final do verão aproxima-se . No entanto, início do mês no Espalha-Factos significa Apsarases, a rubrica que mais uma vez faz referência a um vídeo onde a dança é a principal personagem.

Este mês, e para ser um pouco diferente, viajamos até 2014, ano em que os Blue Journey participaram no America’s Got Talent. O conceito que nos mostraram foi replicado este ano por outro grupo, igualmente coreografado pelo talentoso e criativo David Middendorp, no mesmo programa de televisão – os Another Kind of Blue.

Das quatro actuações dos Blue Journey realizadas ao longo do seu percurso no programa, a escolhida para o Apsarases de hoje é a que podes e deves ver (e rever) abaixo.

 

As animações são sobre a viagem de uma menina que luta consigo mesma e com o mundo ao seu redor. Ela é a única pessoa no mundo com uma sombra azul e tem de lidar com os conflitos que ela traz. As projeções de vídeo moldam o seu mundo. A figura masculina está também sempre presente nesse mundo, umas vezes para a confrontar, outras para lhe causar curiosidade… Neste caso, a personagem masculina segue-a e tenta confortá-la.
Neste vídeo, ao som dos Smith and Furrows Wonderful Life, os bailarinos começam por se abraçar. As luzes são azuladas para evidenciar a cor do céu que surge pelo meio da atuação e as próprias roupas dos bailarinos puxam essa tonalidade.
A sombra da rapariga foge e o rapaz apressa-se a tentar apanhá-la para de novo voltar à posição correta. No entanto, esta volta a esquivar-se e leva consigo o ‘pano’ branco que a reflete.
Foto: Página oficial dos Blue Journey no Facebook

Foto: Página oficial dos Blue Journey no Facebook

Depois, seguem-se alguns segundos em que os bailarinos nos proporcionam verdadeiros momentos de espetáculo, com uma coreografia de dança clássica e contemporânea simples mas muito bonita.
Os movimentos são executados na perfeição, não se tratasse pois de um professor de ballet e de uma bailarina profissional. Ela delicada e muito precisa, ele muito seguro e altivo. Uma técnica perfeita!
De repente, o ‘chão’ começa a quebrar-se, abrindo quase que uma porta para o céu. Ambos começam a saltar de sombra em sombra, depois flutuam pelo ar até que surgem várias sombras diferentes. Primeiro formatos do corpo humano deitados na horizontal despontam um atrás do outro. Para se meter com o rapaz que a segue para todo o lado, a rapariga corre saltitando de sombra em sombra.
No entanto, uma sombra que sopra com tanta força que eles são novamente empurrados, movimento que simulam rebolando pelo chão. Depois, despontando do chão, braços e mãos constroem a escadaria perfeita para chegar ao topo. Voltando ao local onde tudo começou, a sombra da rapariga volta a escapar e ela própria tenta abraçar o rapaz, que iludido com a sua atitude fica perplexo a olhá-la. A rapariga apercebe-se disso e decide sair.
O rapaz é atraído pela sombra, mas ao tentar agarrá-la ela desvanece-se no ar. A performance termina assim, da mesma forma que começou. O público e os jurados levantam-se para aplaudir durante alguns minutos mais uma arrepiante e surpreendente atuação de Nick e Rachel.

A criatividade e o talento dos Blue Journey 

Foto: Página oficial dos Blue Journey no Facebook

Foto: Página oficial dos Blue Journey no Facebook

Blue Journey, constituído por Nick e Rachel, trata-se de um projeto onde o dueto de bailarinos dança acompanhado por sombras e efeitos visuais projetados numa tela e chão brancos. Em 2014, rumaram até à nona temporada do America’s Got Talent, onde, com interpretações espetaculares, chegaram até ao Top 12.

Infelizmente não saíram vencedores, mas as suas performances são recordadas até hoje e já inspiram algumas criações do género.

A coreografia é do holandês David Middendorp e combina dança moderna, tecnologia e projeção para criar umespetáculo único. Um desafio para os dois bailarinos, que devem acompanhar ao milímetro as sombras e imagens projetadas. Um pequeno engano e toda a prestação pode perder o sentido.

Middendorp está atualmente a desenvolver o seu próximo trabalho, chamado Tecnologia Azul, que vai estrear na Holanda este mês.

Nick Mishoe e Rachel Kivlighan, na altura com 33 e 18 anos, respetivamente, fazem ambos do ballet e da dança a sua profissão.