A fotografia é um instrumento fundamental na preservação do passado e do presente. Sem ela seria impossível recordar e conservar acontecimentos únicos, que se esgotam no momento em que acontecem. O valor da fotografia é cada vez mais reconhecido e até o calendário já tem dia reservado para a celebrar. Uma vez que hoje é esse dia, resolvemos ir ao baú buscar alguns momentos musicais que a fotografia imortalizou.

Jim Morrison

Foi em setembro de 1968 que o fotógrafo Michael Ochs conseguiu a icónica fotografia de Jim Morrison, deitado no centro do palco, perante uma plateia que assistia ao ainda inacabado concerto da banda The Doors. Agarrado ao microfone e em posição fetal, Morrison proporcionou um momento único e espontâneo, ao qual a objetiva de Ochs não ficou indiferente.

Jim Morrison

The Beatles

Abbey Road é o nome do 12.º álbum da banda The Beatles, batizado com o nome do estúdio onde foi gravado que, por sua vez, recebeu o nome da rua onde se localizava. A fotografia que serviu de capa do álbum foi tirada nessa mesma rua. Iain Macmillan foi o responsável pela sessão fotográfica que durou dez minutos e resultou num total de seis fotografias. A controvérsia criada em torno da fotografia tornou-a tão icónica, que é impossível agora dissocia-la da própria banda.

The Beatles

Johnny Cash

Foi durante um concerto numa prisão da Califórnia, em 1969, que Johnny Cash deu origem a uma das mais emblemáticas fotografias do mundo da música: aquela em que o cantor, sem qualquer pudor, ergue com convicção o “dedo do meio”. Jim Marshall foi o autor da fotografia, que demonstra a reação do cantor após lhe perguntarem qual a sua opinião acerca das autoridades policiais.

Johnny Cash

Queen

Mick Rock fotografou a capa do segundo álbum da banda Queen (Queen II, 1974), longe de imaginar que essa mesma fotografia seria depois associada àquela que é considerada a assinatura musical da banda: Bohemian Rhapsody. A fotografia representa os quatro membros da banda, numa atmosfera negra e sombria, na qual sobressaem as influências visuais do glam. Pela sua expressividade, a banda decidiu transportar a composição dessa fotografia para o videoclip do single já referido.

Queen

No que diz respeito a popularidade, há apenas uma fotografia de Queen que lhe faz concorrência: a de Freddie Mercury, em palco, com um blusão amarelo e numa pose celebrativa. Sim, aquela que deu origem a um meme.

The Clash

A imagem do expoente máximo do rock’n’roll é indubitavelmente o músico que destrói o seu próprio instrumento. A fotografia utilizada como capa do álbum London Calling, da banda The Clash, representa exatamente esse momento, com Paul Simonon em trajetória para destruir o seu próprio baixo em palco. Pennie Smith fotografou o momento, que aconteceu num dos concertos da tour americana de 1979. Apesar de Pennie considerar a sua fotografia tecnicamente fraca, esta é considerada uma das fotografias que melhor representa a essência do rock’n’roll.

The Clash

São apenas cinco sugestões, mas todos reconhecemos que o contributo da fotografia no mundo da música foi bastante mais extenso e abrangente. O que seria de nós sem as fotografias de adoração aos nossos deuses musicais? Também podes ver quem são quatro dos fotógrafos portugueses que ajudam a retratar momentos nos palcos nacionais.  Feliz Dia Mundial da Fotografia!

Artigo escrito por Mónica Azevedo e Luís Pereira