O bailado de dança contemporânea Vortex Temporum, criado por Anne Teresa De Keersmaeker, vai ser apresentado na Culturgest, em Lisboa, a 29 e 30 de setembro.

Estreada em 2013, na Ruhrtriennale, na Alemanha, esta coreografia da belga Anne Teresa De Keersmaeker junta a obra-prima de Gérard Grisey ao movimento de sete bailarinos.

De modo a representar visualmente a polifonia, o contraponto, a coreógrafa criou Vortex Temporum. Aqui o cruzamento do som e do movimento do ballet contemporâneo, onde cada bailarino se une a um dos sete músicos criando a sua dança com o tipo de movimento associado ao instrumento, evoluem ligados no mesmo espaço.

Foto: Vortex Temporum © Herman Sorgeloos

Foto: Vortex Temporum © Herman Sorgeloos

Bostjan Antoncic, Carlos Garbin, Maria Goudot, Cynthia Loemij, Julien Monty, Michaël Pomero e Mark Lorimer são os nomes dos sete bailarinos que compõem e que criaram esta coreografia.

A direção musical está a cargo de Georges-Elie Octors e os músicos do grupo Ictus são Jean-Luc Plouvier (piano), Michael Schmid (flauta), Dirk Descheemaeker (clarinete), Igor Semenoff (violino), Jeroen Robbrecht (viola) e Geert De Bièvre (violoncelo). A música Vortex Temporum, de Gérard Grisey (1996), dá o nome à obra.

O desenho de luz é de Anne Teresa De Keersmaeker, os figurinos, de Anne-Catherine Kunz, e a dramaturgia musical, de Bojana Cvejic.

Premiada, em 2015, com o Leão de Ouro de carreira, na Bienal de Veneza, na área da dança, Anne Teresa De Keersmaeker nasceu em Mechelen, na Bélgica, em 1960, e estudou música antes de entrar na área da dança. Foi convidada para criar o grupo de dança residente no teatro La Monnaie, em Bruxelas, a partir de 1992, onde trabalhou até 2007.

Em 1983, criou a sua própria companhia, Rosas, e, em 2011, recebeu o Prémio de Carreira do American Dance Festival. Soma no seu repertório mais de duas dezenas de trabalhos.

Em 2012, a criadora esteve em Portugal como primeira convidada da 1.ª Bienal Artista na Cidade de Lisboa. Lá apresentou algumas das coreografias mais emblemáticas da sua carreira e ganhou a Medalha Municipal de Mérito (Grau Ouro).

Por cá também já passou com outras das suas obras, como Cesena e En Atendent, no Centro Cultural de Belém (CCB) e na Culturgest, sala que recebe no final do próximo mês Vortex Temporum, o trabalho que marca o regresso da coreógrafa belga à capital.