Pretty Little Liars não tem poupado na dose de drama e susto nesta temporada e o novo episódio não foi diferente, oferecendo-nos mais uma morte inesperada. O episódio Wanted: Dead or Alive estreou no canal Freeform no dia 2 de agosto. Em Portugal, a série Pequenas Mentirosas é exibida no AXN White.

O caso não está brilhante para nenhuma das jovens. Aria (Lucy Hale) não tem o seu anel de noivado no dedo, indicando que ainda não deu uma resposta a Ezra (Ian Harding). Alison (Sasha Pieterse) aparece junto das amigas com o seu casaco vermelho, mostrando que já sabe que elas a oferecem como isco ao inimigo. A pior notícia de todas: a polícia acredita que Rollins (Huw Collins) continua vivo e atrás de Alison.

As próprias raparigas disseram: também Alison foi enterrada numa cova e saiu de lá viva. Já é mau o suficiente repetirem esta jogada mas será ainda pior se Rollins estiver efetivamente vivo, visto que ele já deu o que tinha a dar há muito tempo. As suspeitas pioram quando o seu telemóvel descartável, sob a guarda de Hanna (Ashley Benson), recebe uma chamada em que o próprio Rollins anuncia estar vivo e em busca de vingança.

Tendo em conta que esta é a última temporada da série, acredito que os escritores tenham mais com que se preocupar do que trazer uma personagem que mal conhecemos de volta à vida. Um conselho aos criadores: não deitem as suspeitas em cima de personagens irrelevantes ou de personagens mortas ou ambas. Os fãs merecem um caso solidamente construído e uma despedida bombástica.

Adiante. Spencer (Troian Bellisario) fica encarregue de espiar Mary Drake (Andrea Parker) e descobre que esta tem genuinamente medo de Rollins, o que pode significar que ambas estão do mesmo lado. Claro que, com Mary Drake, nunca se pode ter a certeza de nada. Continuo a dizer que uma cabeleira morena e um eyeliner carregado não fazem um vilão, mas Mary é das personagens mais interessantes que a série alguma vez criou.

No hotel Radley, Emily (Shay Mitchell) encarrega-se de vigiar Jenna (Tammin Sursok) e Sara (Dre Davis), descobrindo rapidamente a verdade: Jenna era amiga de Charlotte (Vanessa Ray) e estava a tentar ajudá-la a encontrar a sua mãe biológica. Esta informação é-nos dada em forma de flashback, levantando perguntas urgentes: onde raio é que Jenna e Charlotte se conheceram? Como é que Charlotte descobriu que, afinal, não é uma DiLauretins?

Como se isto não bastasse, foi Jenna quem apresentou Rollins a Charlotte e conseguiu arranjar-lhe uma identidade falsa. Isto é muita informação para engolir de uma vez só e espero que Jenna comece a escolher melhor as suas companhias. Sara tenta afugentar Emily com o pretexto de a proteger, mas é rapidamente impedida por Jenna, que grita com a rapariga como se ela fosse um animal de estimação. Para alguém que outrora foi a Red Coat e a Black Widow, Sara de repente ficou bastante passiva.

No meio de tudo isto, é altura para chorar com os casais. Spencer e Caleb (Tyler Blackburn) reencontram-se e decidem acabar a sua relação de uma vez por todas, fazendo de mim o homem mais infeliz deste mundo. Emily e Alison desabafam, choram e abraçam-se, relembrando os fãs de que, desde o início, estão destinadas a ficar juntas. Finalmente, o grande momento por que todos esperávamos: Aria decide aceitar o pedido de Ezra! Apertem os cintos, teremos um casamento muito em breve!

Enquanto isso, Alison recebe uma visita desesperada: A.D., mascarado de polícia, ataca-a na sua própria casa, mas esta consegue defender-se e o vilão escapa no último segundo. Fartas da situação, Hanna e Spencer decidem tomar medidas próprias e escavam novamente o buraco onde enterraram Rollins, descobrindo que o corpo dele permanece lá. O episódio fecha com a empregada de limpeza do hotel a entrar no quarto de Sara Harvey, descobrindo-a morta numa banheira de sangue.

Pretty Little Liars tem um jeito especial para nos deixar confusos, fazendo-nos avançar um passo e recuar dois. Afinal, Rollins está vivo ou morto? Qual o papel de Jenna no meio de tudo isto? Quem matou Sara e porquê? E mais importante: onde está a família de Alison quando ela mais precisa deles? Um episódio agitado que, honestamente, me fez pular de alegria quando mostrou Sara morta. A pior personagem que alguma vez surgiu na série; certamente já devia ter saído há muito tempo.

NOTA: 7/10