Bones-ep1106_sc15_0069_hires1-1200x800

Ossos S11: o bom, o mau e o novo vilão

A décima primeira temporada de Bones chegou ao fim no passado dia 21 de julho e deixou-nos com a certeza de uma coisa: foi uma viagem alucinante que nos preparou para o grande final da série, já que está oficialmente confirmado que a próxima temporada será a última, com data de estreia apontada para 2017.

Como em todas as séries, nenhuma temporada é perfeita do início ao fim e Bones tropeçou nalguns aspetos. Desde um começo com um grande sentimento de familiaridade até a um final com uma reviravolta absolutamente chocante, o Espalha-Factos revê agora os prós e os contras desta última aventura da equipa do Instituto Jeffersonian. Relembrando que, tanto nos Estados Unidos como em Portugal, a série Ossos é transmitida na FOX.

ASPETOS POSITIVOS

A temporada começou pronta para rebentar. Após seis meses de ausência do Jeffersonian, Booth (David Boreanaz) e Brennan (Emily Deschanel) estão de volta ao trabalho, com um segundo filho nos braços. O caso gira em volta de um cadáver que a equipa descobre ser do irmão de Booth. Os dois primeiros episódios revelam que Booth também se envolvera num esquema de crime de modo a salvar o meu irmão e foi agora raptado. A equipa entra numa corrida contra o tempo para salvar um dos seus, num dos melhores inícios de série que alguma vez presenciei.bones_SC11-2shot-Grace-and-Aubrey_0064_hires2_FULL

Este começo abriu as portas para uma despedida agridoce que alguns adivinhavam já na altura. Criar um caso completamente focado no elenco principal, em que um deles corre perigo de vida, é uma forma de dizer aos fãs “Obrigado por terem percorrido todo este caminho como nós e prometemos não desiludir”. Para além disso, depois da inesperada morte de Sweets (John Francis Daley) na temporada passada, estes episódios vieram também relembrar que ninguém está a salvo e, a partir de agora, tudo pode acontecer.

Especial atenção para Aubrey (John Boyd), que certamente cresceu enquanto personagem ao longo da temporada. O detetive veio substituir a vaga deixada por Sweets, o que foi uma jogada perigosa, visto que eles possuem poucas ou nenhumas semelhanças. Confesso que, na temporada anterior, Aubrey pareceu ser apenas uma solução provisória, que se esforçava demasiado e nunca conseguira preencher o buraco deixado pelo psicólogo.

Contudo, nesta temporada, tivemos acesso ao seu envolvimento romântico com a estagiária Jessica (Laura Spencer), bem como a revelação de que o seu pai, outrora desaparecido, está de volta ao país e atrás do filho. Este caso ficou por resolver e será certamente algo explorado na próxima temporada, mas ficámos com o sentimento de que Aubrey não veio substituir ninguém e que tem os seus próprios dramas e aventuras para contar.Bones-ep1101_sc10_0269_hires1-1940x1293

Finalmente, deixo um pequeno aplauso para Caroline (Patricia Belcher), a procuradora mais hilariante da televisão americana, que teve uma quantidade considerável de aparições ao longo desta temporada. Caroline tem um sentido de humor discreto e assertivo, sempre com uma piada na ponta da língua e um coração do tamanho do mundo. Já disse várias vezes e não me canso de repetir: qualquer episódio em que ela está presente é sempre um bom episódio.

ASPETOS NEGATIVOS

Retomando a premissa de que ninguém está a salvo, Hodgins (T.J. Thyne) foi a prova viva disso. No décimo episódio, este esteve envolvido numa explosão que o deixou paralisado da cintura para baixo. A forma como a série explorou esta situação foi, ao mesmo tempo, muito realista e muito perigosa.

A personalidade de Hodgins deu uma volta de 180 graus. Uma personagem outrora engraçada, dedicada e com um grande amor pela sua esposa, tornou-se numa pessoa rude, amargurada e até insultuosa. A sua relação com Angela (Michaela Conlin) ficou por um fio, situação essa que felizmente se foi resolvendo nos últimos episódios da temporada. É compreensível que, na realidade, qualquer pessoa ficaria frustrada perante a vida da maneira que Hodgins ficou. Contudo, durante um bom período de tempo, conhecemos um Hodgins completamente diferente, que magoou vezes sem conta Angela, aquela pessoa que sempre esteve do seu lado e que menos merecia tamanho desrespeito.Bones-S11_1111-sc24-PM_0101_hires2_FULL

Foram tempo tumultuosos que, felizmente, já acabaram. Resta até alguma esperança, já que, nos dois últimos episódios, Hodgins ganhou de volta alguma sensibilidade nas suas pernas, o que aponta uma possível recuperação para a última temporada. Resta esperar para ver.

Há que fazer também um comentário negativo relativamente a Saroyan (Tamara Taylor), ou melhor, ao papel que lhe foi dado nesta temporada. A única novidade que tivemos desta personagem foi o seu noivado com Arastoo (Pej Vahdat). Tirando isso, Saroyan tornou-se no acessório que desfila pelo Jeffersonian e parece não prestar grandes ajudas aos casos.

Na minha opinião, isto é um insulto à personagem que aprendemos a amar há tantos anos atrás. Saroyan possui um coração de ouro e foi-nos apresentada como a melhor patologista do país. Mandar umas piadas de vez em quando e estar presente no laboratório não faz justiça à grande personagem a que estávamos habituados. Ainda assim, estou certo de que serão muitos as lágrimas quando assistirmos ao seu casamento na última temporada, algo pelo qual mal posso esperar!Bones-Ep1104_TheCarpals-Sc13_00401_hires1-1940x1219

O GRANDE FINAL

No décimo terceiro episódio da temporada, a equipa depara-se com um novo serial killer, o qual apelidam de “marionetista”, já que ele vive com as suas vítimas durante meses e cria buracos nos seus esqueletos, de modo a prendê-las no ar e fazer delas marionetas. No último episódio, o serial killer mostra estar atrás de Brennan, conseguindo raptá-la no final e revelando a sua identidade: Zack Addy (Eric Millegan)!

Após uma pausa para respirar, está na altura de voltar um pouco atrás no tempo. Zack fizera parte do elenco principal durante as três primeiras temporadas da série, enquanto estagiário no Jeffersonian. Eventualmente, a equipa descobre que Zack ajudara um serial killer canibalista de nome Gormogan e é então colocada numa ala psiquiátrica, condenado a passar lá o resto dos seus dias. Oito anos depois, Zack está de volta, na reviravolta mais chocante que a série alguma vez criou, deixando-nos como perguntas infinitas.

Como é que Zack escapou do hospício? Será ele, de fato, o serial killer? Ou estará ele a tentar ajudar Brennan? Embora tenha feito escolhas questionáveis, não há dúvida de que Zack estava do lado dos bons, já que até o seu envolvimento com Gormogan visava destruir sociedades secretas. Contudo, ele arriscou a sua própria vida para salvar Hodgins. Toda a equipa, na altura, se despediu de Zack com o coração desfeito e lágrimas nos olhos. Tendo em conta que a próxima temporada será a última, esta foi a jogada mais inteligente que a série alguma vez fez, prometendo uma despedida bombástica com revelações a cada esquina.Zack-in-A-Boy-in-a-Bush-dr-zackary-uriah-addy-11569821-1280-720

MENÇÕES HONROSAS

  • O aparecimento da atriz Betty White no quarto episódio da temporada, no papel de Beth Mayer, uma antropóloga com um sarcasmo hilariante que foi a chave para resolver o caso dessa semana.
  • O regresso de Buck e Wanda, os famosos disfarces de Booth e Brennan, no nono episódio da temporada, quando eles tiveram de investigar uma vítima envolvida numa competição de tiro no meio de uma aldeia rural.
  • O aparecimento dos cantores Sam Tsui e Jordan Fisher, bem como do famoso grupo acapella Pentatonix, enquanto suspeitos no caso do décimo sexto episódio. Uma hora absolutamente musical.

 

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Cristina Ferreira
Cristina Ferreira esteve para renovar contrato com a SIC até 2025