A nova coleção é encabeçada pela obra de H. G. Wells, A Ilha do Doutor Moreau. Os romances de Oscar Wilde, Lev Tolstoi ou Mary Shelley também farão parte das obras reeditadas.

“Sob o lema ‘não vá em modas leia os clássicos’, a editora Alêtheia está a reeditar alguns dos clássicos da literatura mundial dos séculos XIX e XX” confirma uma fonte editorial à agência Lusa. A escolha para a primeira obra a ser reeditada recaiu sobre H. G. Well uma vez que foi “um autor visionário e popularizou na literatura a reflexão sobre questões atuais, entre as quais a ameaça de uma guerra nuclear“, realçou a mesma fonte.

Em julho chegará às livrarias uma coletânea das melhores histórias dos irmãos GrimmDom Casmurro de Machado de Assis e O Jogador, de Fiódor Dostoiévski. Planeados estão ainda os títulos Frankenstein, de Mary Shelley, A morte de Ivan Ilitch e A confissão, ambos de Lev Tolstoi.

Camilo Castelo Branco (A corja e O perfil do Marquês de Pombal), Eça de Queiroz (Cartas de Inglaterra e Egipto, notas de viagem) e André Brun (O homem que queria conhecer as mulheres) são os autores nacionais previstos numa coleção que reunirá mais de uma dezena de títulos.

Foto: Utopiaordystopia

Foto: Utopiaordystopia

Nascido em 1866, o romancista, jornalista e historiador, H. G. Wells destacou-se e atingiu sucesso editorial no mundo dos romances científicos com títulos como A máquina do tempo, de 1895, O homem invisível, de 1897, e a A guerra dos mundos, de 1898. Em A ilha do doutor Moreau, de 1896, são abordadas questões da manipulação genética de animais e os limites da ética científica. A obra foi já adaptada ao cinema, em 1977 por Don Taylor, com Burt Lancaster como protagonista e, em 1996, voltou ao ecrã, com direção de John Frankenheimer e Richard Stanley e Marlon Brando como protagonista .