Durante mais de um mês, Shakespeare vai estar em várias salas de espetáculos lisboetas. O enigmático e prodigioso autor inglês conhecido por todo o mundo já morreu há 400 anos, mas as suas obras ainda são representadas e adaptadas com frequência. Como forma de assinalar a figura do dramaturgo, de 8 de julho a 13 de agosto, o Teatro Nacional D. Maria II e o São Luiz Teatro Municipal associam-se para mostrar o seu teatro de seis formas diferentes no Festival Glorioso Verão

Shakespeare vai estar em…

Filmes

Logo no começo do festival há um ciclo de filmes Shakespeare, na Sala Estúdio, do Teatro Nacional D. Maria II, sempre às 18h00. Romeo and Juliet (1968), de Franco Zeffirelli, é o primeiro, seguido de Hamlet (1955), de Laurence Olivier, no dia 9 de julho, Macbeth (1971), de Roman Polanski, no dia 15 e King Lear  (1970), de Peter Brook, no dia 16.

Macbeth, de Roman Polanski

Macbeth, de Roman Polanski

Oficinas para os mais novos

De 11 a 15 de julho, Cláudia Gaiolas orienta uma oficina dirigida a crianças e jovens, na Sala Mário Viegas, no São Luiz.

Espetáculos

Os espetáculos começam no dia 13 e 14 com Sonho de uma noite de verão, um exercício final da Escola Superior de Teatro e Cinema. A direção é de Cristina Carvalhal e a peça também faz parte do Festival ao Largo. A entrada é livre. A partir de Muito barulho por nada, com tradução de Sophia de Mello Breyner Andresen, e com encenação de Francisco Salgado, os alunos da Escola Superior de Teatro e Cinema apresentam o espetáculo de final de ano intitulado Shake, Shake, Shake Meu Amor. A peça vai ter lugar na Sala Garrett, do Teatro Nacional D. Maria II, de 28 a 31 de julho.

É de 14 a 23 de julho que o Romeu e Julieta, de Rui Horta, dançado pela Companhia Nacional de Bailado, volta a ser apresentado, desta vez na Sala Garrett, do Teatro Nacional D.Maria II.

Foto: Bruno Simão

Foto: Bruno Simão

António e Cleópatra, de Tiago Rodrigues, é reposto, depois da sua estreia em 2014. De 15 a 17 de julho, Sofia Dias e Vitor Roriz sobem ao palco da Sala Principal, do São Luiz. By Heart, também de Tiago Rodrigues volta a ser apresentado na Sala Estúdio, do Teatro Nacional D. Maria II, de 20 a 23 de julho.

Com criação e interpretação de Rui Neto, Teresa Sobral e Miguel CuradoTrocava a Minha Fama Por uma Caneca de Cerveja vai estar no Jardim de Inverno, do São Luiz, de 18 a 23 de julho. A intenção é “servir” as palavras de Shakespeare. Ricardo III, Hamlet ou Lady Macbeth são alguns dos convidados deste “banquete”.  Com direção de Pedro Lacerda, é acrescentado um ‘h’ a Otelo, de Shakespeare. De 21 a 24 de julho, a Sala Mário Viegas recebe esta produção da Negócio ZDB.

O encerramento do festival está marcado nas Ruínas do Convento do Carmo, com Cimbelino. Com encenação de António Pires, a peça será apresentada de 2 a 13 de agosto. A interpretação está a cargo de Adriano Luz, João Araújo, João Barbosa, Ricardo Aibéo e Rita Loureiro , com um elenco da Act School.

Leitura

Um ano depois, João Grosso volta ao Teatro Nacional D. Maria II para dirigir uma leitura encenada de Macbeth. A iniciativa acontece no Salão Nobre do Teatro Nacional D. Maria II, no dia 12 de julho.
Foto: Teatro Nacional D. Maria II

Foto: Teatro Nacional D. Maria II

Recital

Nuno Vieira de Almeida aproveita a citação If Music be the food of love, de Twelfth Night, para homenagear Shakespeare com um recital. Na interpretação estão Rita Blanco, Susana Gaspar e Nuno Vieira de Almeida. O recital será apresentado nos dias 16 e 17 de julho, no Jardim de Inverno, no São Luiz Teatro, às 18h30.

Livro

No mesmo dia em que os alunos da Escola Superior de Teatro e Cinema apresentam o espetáculo final, é lançado o livro Muito barulho por nada, com tradução de Sophia de Mello Breyner Andresen. O lançamento é no átrio do Teatro Nacional D. Maria II , às 19h, no dia 28 de julho.

Consulta mais informações, aqui.