Estamos na reta final da temporada e, neste episódio de Outlander, Jamie lidera os rebeldes escoceses na sua primeira vitória contra os ingleses, em Prestonpans. Mas qualquer batalha tem um custo e nem todos chegam ao fim sãos e salvos.

Depois de semanas a tentar evitar a revolta escocesa, Jamie (Sam Heughan) e Claire (Caitriona Balfe) perceberam que não podiam fugir ao que o futuro reserva e os rebeldes estão agora prontos para atacar e salvar os seus territórios do domínio inglês.

Assim que decidirem o modo mais eficaz de o fazer, claro. Não há consenso entre os comandantes e generais do Príncipe Charles Stuart (Andrew Gower). Basicamente, o problema é que um terreno pantanoso separa o acampamento dos escoceses do exército inglês, cujas armas de fogo podem parar qualquer ataque dos escoceses enquanto estes tentassem avançar no pântano.

Charles sugere a diplomacia, claramente convencido que o seu direito divino ao trono irá fazer com que os ingleses desistam, mas, felizmente, Jamie e os restantes comandantes são capazes de o fazer entender que o tempo para conversas já passou.

Entretanto, Claire trabalha com um grupo de mulheres na organização de um hospital de campo para tratar os eventuais feridos na batalha que se aproxima. Charles ordena que Claire também preste cuidados médicos aos soldados ingleses que forem feitos prisioneiros.

Outlander

Enquanto isso, os rebeldes escoceses estão fartos de esperar por ordens e o mau humor leva a discussões entre os membros dos clãs. Jamie decide que alguém tem que perceber que é ou não possível atravessar o pântano em segurança. Apelando ao ego de Dougal (Graham McTavish), Jamie convence o velho escocês a voluntariar-se para a missão.

Jamie pede-lhe para se manter a uma boa distância do acampamento inglês, mas Dougal decide aventurar-se e aproxima-se perigosamente do alcance das armas inglesas. O seu cavalo fica preso nas águas do pântano, mas, com Charles e os escoceses a observar, lá consegue voltar atrás. Apesar de trazer más notícias – é impossível atravessar o terreno pantanoso – Dougal é recebido de braços abertos por Charles.

Felizmente para Jamie e companhia, o problema de como atacar os ingleses é resolvido quando um jovem, Richard Andersen (Alex Hope), oferece a sua ajuda. Richard cresceu naqueles terrenos e, por isso, conhece um pequeno caminho através dos pântanos.

Na noite antes da batalha, Murtagh e Jamie conversam sobre o que a morte de um mero soldado significa em guerras tão grandes como esta. Angus (Stephen Walters) pede um beijo de boa sorte a Claire, ao contrário de Rupert (Grant O’Rourke) que diz não precisar, pois vai voltar vivo de qualquer maneira.

Por fim, Claire despede-se de Jamie, assegurando-lhe que irá ganhar o dia e pedindo a Murtagh para olhar por Jamie.

Outlander

Os escoceses seguem Richard até ao acampamento inglês. Jamie insiste que Charles deve ficar para trás, provavelmente para não atrapalhar – embora Jamie formule o pedido de forma mais delicada, afirmando que a rebelião não sobreviveria se o príncipe morresse.

Jamie e os homens que comanda apanham os ingleses de surpresa, que começam a retirada em pouco tempo. Mas não antes de Rupert levar com uma espada no peito. Angus é apanhado por uma explosão de um canhão, mas arranja forças para levar Rupert até ao hospital improvisado. Claire cose a ferida de Rupert, mas dita um prognóstico reservado. Angus insiste em ficar de vigia, afirmando estar bem.

No campo de batalha, Dougal, com a sede de sangue aparentemente ainda por saciar, certifica-se que todos os ingleses caídos estão mesmo mortos. Jamie e Murtagh regressam ao encontro de Claire, que trata de alguns prisioneiros ingleses.

Charles está precisamente no meio de discurso de vitória quando Dougal interrompe desvairado, gritando que deviam matar todos os ingleses. O príncipe está pronto para expulsar Dougal do seu exército, mas Jamie tem uma ideia melhor e sugere que Dougal comande a nova cavalaria escocesa – bem longe dali.

Outlander

Quando pensamos que, finalmente, teremos causa para celebrações, Jamie e Claire apercebem-se que Angus está pior do que deixou crer. Afinal, a explosão deixou Angus a sangrar internamente, conduzindo à sua morte. Com cânticos de luto como barulho de fundo, Claire avisa que os livros de história estavam certos sobre esta batalha – e portanto o desastre ainda espreita em Culloden Moor.

A primeira parte do episódio revelou-se um pouco cansativa. Um pouco mais do mesmo – ou seja, mais 30 minutos de preparações de guerra, quando já andamos nisto há pelo menos dois episódios. Mas Outlander voltou em erguer-se e esteve no seu melhor nos momentos finais do episódio. A sequência da batalha de Prestonpans é, até agora, provavelmente a maior e melhor sequência do género na série.

O uso do nevoeiro deu à cena um certo ar de misticismo e a série fez uma excelente justaposição entre a glória conquistada por Jamie, sempre no seu melhor no calor da batalha, e os horrores da guerra – mostrando, por exemplo, a reação traumatizada do pequeno Fergus (Romann Berrux) e a morte de Angus.

Sim, os nossos protagonistas ganharam a batalha, mas o custo foi grande e o episódio acaba em luto e não em celebrações. E o pressentimento geral é que as coisas não vão melhorar daqui para a frente.

Nota: 8/10