Once Upon a Time terminou a sua quinta temporada com os episódios Only You e An UnTold Story, mas nem a hora dupla foi suficiente para criar um final minimamente satisfatório. Os novos episódios estrearam no canal ABC no dia 15 de maio. Em Portugal, a série Era Uma Vez é exibida no AXN White.

Gold (Robert Carlyle) pretende usar o Cristal Olímpico para aumentar os seus poderes e acordar Belle (Emilie de Ravin) do seu sono profundo. Henry (Jared S. Gilmore), por seu turno, mete na cabeça que a magia é sempre má – especialmente após a morte de Robin (Sean Maguire) – e promete destruí-la de uma vez por todas.

Enquanto isso, Snow (Ginnifer Goodwin), Charming (Josh Dallas), Zelena (Rebecca Mader) e Hook (Colin O’Donoghue) usam a Varinha do Feiticeiro para enviar a população de Camelot de volta para casa. Mas, neste caso, o feitiço virou-se de facto contra o feiticeiro: após a população sair de cena, abre-se um novo portal que transporta os quatro protagonistas para uma terra desconhecida.Once Upon a Time

Henry convence a sua jovem amada, Violet (Olivia Steele Falconer), a juntar-se à sua missão e o casal adolescente dirige-se a Nova Iorque à procura de respostas. Para além disso, Henry usa os seus poderes enquanto Autor para roubar o cristal de Gold. Naturalmente, Emma (Jennifer Morrison) e Regina (Lana Parrilla) seguem-nos até à cidade que nunca dorme, bem como Gold, abrindo então uma corrida contra o tempo para ver quem chega primeiro.

Numa biblioteca, Henry e Violet encontram uma réplica do Santo Graal, o objeto que gerou toda a magia na época de Merlin – recordemos a primeira metade da temporada. O casal acredita então que esta é a ferramenta para destruir a própria magia. Antes que possam avançar na missão, Gold entra em cena e rouba de volta o cristal.

Emma e Regina não se deixam ficar para trás e conseguem interceptar Gold, tentando também elas roubar o cristal, mas sem sucesso. Henry, contudo, mantém a sua palavra. O rapaz invade o apartamento de Gold e usa o Santo Graal para destruir o cristal. Sem se aperceber, o adolescente inconsequente acabou de destruir toda a magia. Claro que isto tem consequências complicadas, mas já lá vamos.

O quarteto fantástico começa a explorar a terra desconhecida e é rapidamente imobilizado, acabando numa cela encantada por magia – ou seja, eles não conseguem sair. A primeira pessoa que conhecem é um homem claramente mau, que acredita que eles vieram ao serviço de Rumplestiltskin, ameaçando até matar Hook graças ao sucedido. É fácil perceber que este misterioso homem não gosta do Sinistro.Once Upon a Time

Uns momentos mais tarde, os quatro protagonistas deparam-se com um homem gentil que os tenta soltar, mas este é descoberto e impedido de cumprir o seu propósito.

Numa sala ao lado, descobrimos que ambos os homens são na verdade um só: os famosos Dr. Jekyll (Hank Harris) e Mr. Hyde (Sam Witwer), que representam o lado bom e mau da mesma pessoa, respetivamente. Esta foi uma escolha péssima de personagens, simplesmente pelo facto de não serem suficientemente conhecidas para agradar ao público tão alargado a que a série se dirige.

Snow, Charming, Zelena e Hook conseguem escapar, encontrando novamente com o seu novo amigo de personalidade dupla. Ao saírem da prisão, deparam-se com um mundo conhecido como A Terra das Histórias Inacabadas, que aparentemente é um refúgio para personagens de muitos outros mundos cujas histórias ficaram por contar. Isto vai também de encontro à cena de Henry na biblioteca, onde encontrou vários livros de histórias encantadas iguais ao seu, com personagens nunca antes mencionadas.

De volta a Nova Iorque, sem magia, Gold decide contactar o famoso Dragão (Tzi Ma), que parece ser a última esperança. O idoso asiático tenta abrir um portal para A Terra das Histórias Inacabadas, mas falha, informando então o grupo das lições que August (Eion Bailey) ensinou a Emma na primeira temporada: para haver magia, basta acreditar nela.

Destemido a corrigir o seu erro e a salvar a sua família, Henry dirige-se à fonte da cidade para a qual as pessoas costumam atirar moedas em troca de desejos – ele relembra inclusive o momento, na terceira temporada, em que vivia com Emma em Nova Iorque e atirou uma moeda à fonte, desejando reunir de volta a sua família e foi então que Hook apareceu e os levou de novo para Storybrooke.

Henry convence os restantes membros do grupo e até a população de Nova Iorque presente no local a pedirem um desejo e atirarem moedas para a fonte, como sinal de fé e de esperança. Surpresa das surpresas: um portal é efetivamente aberto e o quarteto consegue regressar ao nosso mundo. As más notícias? Mr. Hyde e Dr. Jekyll vieram atrás.Once Upon a Time

É então que assistimos a um bom momento do episódio – e provavelmente o único. Todos sabemos que Regina também tem um lado mau dentro de si (a Rainha Má) e batalha contra ele todos os dias. A protagonista decide utilizar uma poção para separar as suas duas personalidades, da mesma forma que Mr. Hyde e Dr. Jekyll se separaram um do outro. Assistimos então a um confronto entre Regina e a Rainha Má, no qual a primeira esmaga o coração da segunda, livrando-se dela de uma vez por todas.

Tudo está bem quando acaba bem, certo? Errado. Mr. Hyde (o mau, lembrem-se) está na posse da Caixa de Pandora, onde Belle continua adormecida. Para que Gold recupere o corpo da sua amada, terá de começar a trabalhar para o novo vilão.

Como se isto não bastasse, as cinzas da Rainha Má ressuscitam no templo do Dragão. A vilã diz que não é assim tão fácil Regina livrar-se dela, matando o Dragão e terminando o episódio ao dizer “A rainha está de volta”.

Tudo (ou quase tudo) nestes dois episódios de Once Upon a Time foi péssimo. A crise existencial de Henry foi ridícula e apenas causou problemas desnecessários. A introdução das duas novas personagens foi completamente descabida e devo dizer que eles não são minimamente interessantes.

O único momento bom do episódio foi o regresso da Rainha Má, que mesmo assim desperta em mim sentimentos duplos, já que foi um prazer acompanhar a redenção de Regina ao longo de todas estas temporadas e esta reviravolta parece deitar todo esse esforço para o lixo.

Um final sinónimo de desilusão e que não teve o mínimo espírito tão característico de Once Upon a Time.

NOTA: 2/10