exposição garras armadas

Garras armadas: uma exposição na magia dos oceanos

Ao entrar no Sea Life somos imediatamente transportados para um ambiente relaxante e mágico, tal como se estivéssemos no fundo do mar. É assim que nos sentimos durante toda a visita, ao ouvir o som da água a correr e a música calma, e ao percorrer o espaço com apenas a luz dos aquários.

Mas antes da visita guiada, a tartaruga Mariza tinha de ser alimentada. Apesar de preferir peixe, como está de dieta – não é porque está a chegar o verão – teve de comer legumes, como vagem e cenoura. Ainda assim, com apenas 11 anos (5 desses no Sea Life do Porto) pesa atualmente 130kg.

Tartaruga Mariza
Tartaruga Mariza

Existem vários aquários com as mais diferentes espécies, separados por zonas – primeiro de água doce, depois água salgada e por fim com peixes tropicais. A acompanhar cada um deles estão diversas informações sobre as características, alimentação e nível de extinção dos animais.

À entrada estão os aquários com peixes de água doce, mais especificamente do rio Douro. Este não nasce e desagua no Porto, o que contribui para o desconhecimento de várias espécies, principalmente as que se encontram apenas no lado espanhol. No entanto, é possível observar trutas, esturjões, carpas, e ainda percas sol, usadas para explicar às crianças como é mau termos espécies invasoras.

De seguida, nos aquários de água salgada podem ver-se cavalos marinhos, um polvo (quando este decide dar o ar da sua graça), anémonas, ouriços, estrelas do mar e uma maraxemba (ou macata, larote, pretinho, caboz – várias designações para o mesmo peixe encontradas desde Espinho até à Invicta).

Anémonas, ouriço e estrela do mar
Anémonas, ouriço e estrela do mar

Nos aquários posteriores, os peixes são maiores e mais coloridos. Vemos os temíveis tubarões a nadar por cima de nós e tartaruga mesmo ao nosso lado, num túnel que passa no meio do aquário.

Atualmente temos ainda a oportunidade de ver a exposição Garras Armadas que conta com a presença de 9 animais com semelhanças entre eles – todos têm exosqueleto, 5 pares de patas e 2 pares de antenas, crescem por muda de esqueleto (numa única peça) e, no caso de falta de cálcio, comem o próprio esqueleto antigo.

A grande atração é o caranguejo-aranha- gigante e outros animais como caranguejos arco-íris, lagostins, santola, lavagante e lagosta azul.

Os caranguejo-aranha- gigantes são os maiores artrópodes vivos conhecidos e os maiores alguma vez medidos (as suas patas podem chegar aos 2 metros de comprimento).
Os caranguejo-aranha- gigantes são os maiores artrópodes vivos conhecidos e os maiores alguma vez medidos (as suas patas podem chegar aos 2 metros de comprimento).
O caranguejo arco-íris é uma espécie canibal que se alimenta de caranguejos mais pequenos.
O caranguejo arco-íris é uma espécie canibal que se alimenta de caranguejos mais pequenos.
O lavagante, crustáceo mais pesado do mundo, possui uma cor pardo-azulada e não vermelha: isso apenas acontece se o animal for cozinhado, uma vez que o calor liberta um pigmento vermelho.
O lavagante, crustáceo mais pesado do mundo, possui uma cor pardo-azulada e não vermelha: isso apenas acontece se o animal for cozinhado, uma vez que o calor liberta um pigmento vermelho.

Mas o Sea Life não apresenta apenas animais. Possibilita ao público alimentar tubarões bamboo e port jacksoon, raias e peixes anjo (às 12h e 16h), aprender sobre as várias espécies disponíveis de forma simples e didática e ficar fascinado com o mundo marinho, tendo sempre em mente a preservação dos oceanos e do ambiente.

Mais Artigos
Novela
Penúltimo episódio de ‘Quer o Destino’ destaca-se como programa mais visto de sábado