Em 2016, Portugal celebra o 30.º aniversário como membro da União Europeia, na altura CEE. Apesar dos prós e contras que esta adesão trouxe, o Espalha-Factos reuniu algumas músicas e álbuns que os portugueses escutavam em 1986.

Desde Rui Veloso às Doce, passando pelo Festival RTP da Cançãoeis algumas músicas que fizeram parte do quotidiano musical dos portuguesa em 1986.

Rui Veloso – “Rui Veloso”

No ano em que Portugal passou a fazer parte da CEE, Rui Veloso decidiu afirmar a sua identidade com um álbum homónimo. E que bem o fez! É em 1986 que são apresentados os temas Porto Côvo, Cavaleiro Andante e Porto Sentido, que ainda hoje, passados trinta anos, continuam a ser alguns dos preferidos do público. Apesar destas possíveis escolhas (mais óbvias, é certo), destacamos a Valsinha das Medalhas, um tema que parece ser uma constante celebração do 10 de junho (Dia de Portugal). “Quem és tu donde vens, conta-nos lá os teus feitos/ Que eu nunca vi pátria assim, pequena e com tantos peitos”

Dora – “Não Sejas Mau Para Mim”

Quem nunca cantou o primeiro verso do refrão desta música que atire a primeira pedra. Não Sejas Mau Para Mim foi uma das músicas concorrentes no Festival RTP da Canção 1986. Dora não venceu o concurso, mas este tema ficou para sempre na memória dos portugueses.

Trovante – “Sepes”

1986 foi também o ano de edição do sexto álbum de Trovante. Sepes dá à música portuguesa os singles Namoro II, Aerograma e Fim (uma interpretação do poema homónimo de Mário de Sá Carneiro). Porém, é a irreverência presente na letra de Fizeram Os Dias Assim que nos conquista: “Não nos venham pedir contas/ Não venham pôr-nos regras”. Num tom mais subjetivo, este throwback não seria o mesmo se não integrasse a voz inconfundível de Luís Represas.

Doce – “Rainy Day”

1986 foi o ano em que dissemos adeus às Doce. Autoras de grandes temas como Bem BomAmanhã de Manhã, as artistas que compõem este grupo viraram costas a este projeto, despedindo-se com um álbum de compilação dos maiores êxitos desde 1979. No meio do alinhamento encontra-se o tema inédito Rainy Day.

GNR – “Psicopátria”

Trinta anos passaram e ainda nos lembramos do álbum no qual os GNR se renderam à sua essência pop: Psicopátria. Com singles como Bellevue, Efetivamente, Ao Soldado Desconfiado e Choque Frontal, os GNR reinventaram-se, reinventaram a sua sonoridade e estreitaram a ligação com o público. Pós Modernos reflete esta nova identidade pop e é uma das mais emblemáticas músicas do grupo portuense.

Xutos & Pontapés – “O Homem do Leme”

Apesar de fazer parte do álbum Cerco, lançado em 1985, o tema O Homem do Leme foi divulgado como single no ano seguinte. Trata-se de um autêntico hino da música nacional, que ainda hoje podemos ouvir com frequência na rádio. Há trinta anos que O Homem do Leme enaltece o orgulho nacional.

Artigo da autoria de: João Patrício e Mónica Azevedo