8078a55a-adcc-47bc-946f-4f4745309b3b-2060x1236

IndieLisboa’16: os vencedores e o absurdo de uma lagosta

Chegamos ao fim da 13.ª edição do IndieLisboa, o festival que traz à capital portuguesa o que de melhor se faz no cinema independente de todo o mundo. O grande Prémio Cidade de Lisboa foi entregue a um filme com uma duração perto das 5 horas, The Family de Shumin Liu, que subiu ao palco da Culturgest para agradecer ao júri e ao público no festival.

Além do filme de Liu muitos outros ganharam palmarés na cerimónia de encerramento do IndieLisboa, incluindo longas-metragens como Le Nouveau, Treblinka, Flotel Europe e curtas-metragens como The Hunchback, Velodrool, The World of Tomorrow ou Viktoria. Confirma todos os grandes vencedores de seguida e na página oficial do festival:

7421

Grande Prémio de Longa Metragem Cidade de Lisboa
Jia/The Family, Shumin Liu (Austrália, China)

Prémio Especial do Júri Canais TV & Séries
Kate Plays Christine, Robert Greene (EUA)

Grande Prémio de Curta Metragem Internacional
Nueva Vida, Kiro Russo (Argentina, Bolívia)

Menções Especiais
Animação

Velodrool, Sander Joon (Estónia)

Documentário
La impresión de una Guerra, Camilo Restrepo (Colômbia, França)

Ficção
Another City, Lan Pham Ngol (Vietname)

Prémio Allianz – Ingreme para Melhor Longa Metragem Portuguesa
Treblinka, Sérgio Tréfaut (Portugal)

Nescafé Dolce Gusto – Ingreme para Melhor Curta Metragem Portuguesa
The Hunchback, Gabriel Abrantes, Ben Rivers (Portugal, França)

Prémio Novo Talento Fnac – Curta Metragem Nacional
Campo de Víboras, Cristèle Alves Meira (Portugal)

Menção Honrosa
Viktoria, Mónica Lima (Alemanha, Portugal)

Prémio FCSH/NOVA para Melhor Filme na secção Novíssimos
Maxamba, Suzanne Barnard, Sofia Borges (Portugal, EUA)

aqui os restantes vencedores.

The Lobster – 9/10

the-lobster-movie-trailer-images-stills-transformation-room

Yorgos Lanthimos, realizador grego que foi catapultado para as atenções do cinema mundial e que se tornou numa das principais figuras do cinema contemporâneo helénico, apresentou a sua mais recente obra, numa ante-estreia absoluta nacional, no Cinema São Jorge em Lisboa. Lobster é no entanto um desligar do cinema grego, um filme-alavanca para o mercado internacional, mas é um enorme sucesso esta transição neste que é uma incrível maturação do seu próprio estilo cinematográfico.

Lobster é acima de tudo uma ode ao absurdo. Passado num futuro distópico em que ninguém pode ser solteiro, caso contrário arrisca-se assim a acabar num hotel onde, se em 45 dias não encontrar um parceiro, é transformado num animal selvagem. É esta fantástica premissa de partida que dá o tom a toda uma longa-metragem que vai roçando em momentos totalmente absurdos e hilários, levando a audiência a uma calorosa recepção deste filme com tantos toques de comédia negra.

Lanthimos já nos habitou a um certo estilo que é definidor da sua carreira – sendo Canino o expoente máximo desse mesmo estilo -, o seu traço autoral é já bastante forte e em Lobster vemos a sua pegada artística em todo o lado: na fotografia, no argumento, na escolha de cast, nas ironias, na sátira, na comédia negra mas, acima de tudo, no absurdo.

Contando com um elenco de luxo, Lobster apresenta a melhor prestação de Colin Farrell até à data. Os devaneios do argumento completa-se com a apatia e a timidez de Farrell e o humor implacável e negro materializa-se através da voz de Rachel Weisz. Destaque também para Angeliki Papoulia, atriz grega que faz aqui um papel algo semelhante daquele das irmãs de Canino, esta é uma personagem-nostalgia que nos deixa um gosto do já clássico de Lanthimos neste seu novo filme mais “internacional”.

Em suma, The Lobster foi o perfeito fechar portas desta edição do IndieLisboa. Um filme que inevitavelmente marcará o ano de 2016 nas salas de cinema portuguesas, afirmando-se já numa das mais fortes longas-metragens do ano. É um apagar de luzes, fechar das cortinas e um levantar voo deste corvo que parte agora da cidade de Lisboa, prometendo voltar daqui a um ano.

Mais Artigos
Beyoncé e Adele
Adele exalta novo trabalho de Beyoncé