A cineasta israelita morreu hoje, aos 51 anos, vítima de cancro.

Ronit Elkabetz era atualmente um dos nomes mais importantes do cinema do seu país. Apesar de só ter realizado três obras desde 2004, a realizadora alcançou o reconhecimento mundial com Gett: O Processo de Viviane Amsalem, feito dez anos depois do seu primeiro filme, que acompanhava a história de Viviane, uma mulher que tenta divorciar-se combatendo as rígidas leis rabínicas de Israel.

Escrito e realizado com o seu irmão Shlomi ElkabetzGett foi considerado o filme do ano em Israel e nomeado para um Globo de Ouro para melhor filme estrangeiro em 2015. No mesmo ano, passou pela mostra de cinema judaico em Lisboa, no Cinema São Jorge.

O seu mais recente trabalho foi enquanto atriz na série televisiva francesa Trepalium, recentemente exibida na RTP2.