Faltam menos de dois meses para a semana mais agitada para os fãs da Eurovisão, mas as apostas já estão a ser feitas e o ritmo só vai acelerar daqui para a frente. Apostar num evento que depende do votos de milhões de pessoas é arriscado, e em outros anos houve discrepâncias significativas, mas das 43 canções que concorrem (e Portugal não vai estar este ano), há cinco que já chamam à atenção.

Austrália
Dami ImSound of Silence

Da land down under, há uma canção que é preciso levar a sério. A Austrália volta à competição depois de uma estreia em 5.º lugar e surge nos sites de apostas como a terceira mais votada este ano. É a mais interessante das cinco canções que lideram as apostas, mas já tem alguns vícios eurovisivos e é algo repetitiva, apesar da voz de Dami Im, com o seu aspeto exótico, poder superar essas falhas.

 

Croácia
Nina KraljićLighthouse

Nas apostas, a canção croata surge ora em terceiro, ora em quarto lugar entre as favoritas a vencer, mas é difícil de entender porquê. Não há nada que a faça brilhar mais do que qualquer outra, a não ser a voz peculiar de Nina Kralkić, vencedora do The Voice croata. Lighthouse é uma canção banal que pode vir a beneficiar de uma atuação mais arrojada em palco, mas ainda assim pode não chegar. Terá que ultrapassar primeiro uma difícil primeira semifinal.

 

Malta
Ira LoscoWalk On Water

Depois de Portugal, Malta é o país que há mais tempo participa na Eurovisão sem ter uma vitória. Não parece que esta surja com Walk On Water, apesar da canção ter potencial e Ira Losco ter fôlego para a cantar. É moderna e tenta não ser demasiado eurovisiva, o que pode vir a ajudar. Malta, ilha mediterrânica, tem poucos vizinhos fiéis para a troca de pontos, e o primeiro grande desafio vai ser passar da primeira semifinal. É a quinta canção mais bem cotada nos sites de apostas.

 

Rússia
Sergey LazarevYou Are The Only One

A participação russa lidera as apostas como a possível vencedora da Eurovisão deste ano. A canção não é extraordinária, mas a performance em palco pode alterar as coisas – pelo vídeo, percebe-se que Sergey (bem parecido e com um físico invejável) deverá interagir com o grafismo digital que o rodeia, ao estilo daquilo que a Suécia fez no ano passado, e contribuiu para a vitória sobre os russos. Nova dose este ano pode ser apenas mais do mesmo, mas dificilmente a Rússia deixará escapar os lugares cimeiros da competição. A pressão política, muito forte no ano passado, parece ter aliviado e isso pode ajudar a canção.

 

 

 

Suécia
FransIf I Were Sorry

A Suécia investe muito nas suas participações na Eurovisão, e mesmo no ano em que é anfitriã do evento surge como o segundo país em que mais se aposta para vencer novamente. Se a expectativa com as canções suecas é muitas vezes justificada, este ano não é o caso – Frans é uma espécie de Justin Bieber, que se apropria do look e da nova sonoridade do cantor canadiano (até Sorry surge no título). A canção é preguiçosa e mostra despreocupação, mas pelos vistos a Suécia arrisca-se a tê-la no mesmo lote de vencedores que os ABBA.

Lê também: Bielorrússia já ensaia com lobos e um homem nu para o palco da Eurovisão