b (800x355)

La vie est belge: O guia de uma portuguesa na Bélgica

A Bélgica é o país a que posso chamar “casa” nos próximos meses. Após várias experiências e aventuras neste pequeno território europeu, acho que já posso afirmar que conheço relativamente bem o país e as especificidades do modo de vida dos belgas.

Quando se procura comparar a Bélgica a outro país, não há dúvida que o primeiro aspeto referido é o clima. Este país possui um “microclima muito especial”. Isto poderia significar que era um mini-paraíso no meio da Europa, mas infelizmente não. Este “microclima” é sinónimo de céu nublado e chuvas muito (mesmo muito) frequentes. É uma chuva que por vezes nem se sente por ser tão fraca, no entanto tem a capacidade de conseguir durar um dia inteiro. Começo mesmo a achar que este deve ser o país europeu em que mais chove! Como podem imaginar isto é uma adaptação difícil para qualquer português habituado ao sol constante.

Apesar de não ter um território extenso, a Bélgica distingue-se pela sua grande diversidade cultural. É composta por três regiões autónomas: Flandres, Wallonia e Bruxelas. Na primeira, domina uma comunidade de língua flamenga, na segunda uma comunidade de língua francesa, e a zona da capital é bilingue. Para além disto ainda existe uma reduzida comunidade germânica, onde se fala o alemão.

Pode-se tornar confusa a vida neste país. Quando se visita as diferentes regiões são percetíveis bastantes diferenças, não só em termos linguísticos, como a nível cultural, quer na gastronomia como na arquitetura. É bastante interessante experienciar esta diversidade cultural num só dia em que se viaje de uma ponta a outra do país, o que é comum dada a facilidade com que se pode viajar na Bélgica de comboio a um preço muito reduzido.

Para garantir a melhor visita possível em qualquer cidade belga, há que ter em conta alguns aspetos essenciais:

  • Os belgas são bastante ligados à sua região, e portanto NUNCA se deve confundir ou dar a entender que se acha que um habitante da Flandres é o mesmo que o habitante da Wallonia – não queremos ofender ninguém.
  • Quem visita a Flandres e não sabe flamengo nem holandês deve falar inglês, nunca francês, de modo a evitar o mau-humor ou os risos irónicos dos flamengos.
  • Na Wallonia fala-se francês, toujours.
  • Bruxelas é o local mais neutro da Bélgica, onde qualquer língua é bem recebida, até mesmo o inglês. Bem-vindos à capital da União Europeia.

Caso tenham estes aspetos em conta, já têm quase garantida uma estadia agradável. No entanto, para quem gosta de conhecer as línguas faladas nas cidades que visitam, aqui está algum vocabulário útil:

Francês:

  • Salut (olá!)
  • Bonjour (bom dia)
  • Bonsoir (boa noite)
  • Bonne journée (tenha um bom dia)
  • S’il vous plaît (por favor)
  • Excuse-moi (desculpe)
  • Merci / merci beaucoup (obrigado / muito obrigado)
  • Je vous en prie (de nada)
  • Au revoir (adeus)

Flamengo:

  • Hallo (olá!)
  • Goeiemorgen (bom-dia)
  • Goeie middag (boa tarde)
  • Alstublieft (por favor)
  • Sorry (desculpe)
  • Dank U / Dank U wel (obrigado / muito obrigado)
  • Zonder dank (de nada)
  • Bye bye / dag (adeus)

Depois desta pequena introdução à Bélgica, só falta mesmo referir os meus ícones favoritos: os deliciosos waffles (gaufres em francês), mas os de Liège e nunca os de Bruxelas (conselho de amiga), as maravilhosas cervejas belgas, as frites, e os famosos chocolates (que eu não aprecio, mas que são os favoritos da grande maioria). Todas estas coisas podem ser encontradas em qualquer sítio e algumas até a preços demasiado acessíveis. Por isso se quiserem ganhar uns quilos extra, venham para a Bélgica comer os melhores waffles da vossa vida a 1 euro!

E porque aqui la vie est belge, ninguém vai achar estranho se forem onze da manhã e estiveres a beber uma cerveja. Tal como não podes achar estranho se forem cinco horas da tarde e estiverem pessoas no meio da praça principal da tua cidade a beber cervejas em cima de grades, dentro de um carrinho de compras. Mas a vida em Louvain-la-Neuve ficará para outra história.

Resta aproveitar e desfrutar deste país único, localizado mesmo no coração da Europa.

Fotografias © Maria Ana Campos & Marta Pereira

Mais Artigos
Ver p'ra Crer TVI
‘Ver p’ra Crer’. TVI repete concurso para subir às 18h