Judite, de Rui Catalão, já estreou no Teatro Nacional Dona Maria II. O Espalha-Factos esteve presente num ensaio onde teve a oportunidade de conversar com Ana Guiomar, a atriz que interpreta o papel de Judite. Rui Catalão não só escreveu e encenou a peça como também sobe ao palco com Ana Guiomar (Judite), Cláudia Gaiolas (serva) e Tiago Vieira (Holofernes).

A história de Judite é inspirada em passagens bíblicas do Velho Testamento. Betúlia e o seu povo estavam sob ameaça de um exército temível comandado por Holofernes, cuja ambição é combater e ganhar propriedade. Judite, para evitar tamanha destruição, entrou no acampamento do exército para degolar Holofernes que, embriagado, se deixou matar.

Rui Catalão trouxe para o palco o que na bíblia está em pouco mais que três linhas: a sedução. De dentro dessas linhas, nasce Judite, um discurso rico e sedutor.

Nesta peça o público vê o ponto

Ana Guiomar toma o papel de Judite, Cláudia Gaiolas o de sua serva, Tiago Vieira o de Holofernes e Rui Catalão o de ponto. Uma das particularidades deste espectáculo é a presença de um ponto em palco, não só visível como audível, que interrompe a peça e se torna parte dela quando o considera necessário. Ana Guiomar revelou-nos que a figura do ponto dá mais segurança em palco quer ao nível do texto, quer ao nível de marcações. No público, as intervenções do ponto causarão certamente alguma perplexidade.

“Todos os dias vai ser diferente! As interrupções vão ser em sítios diferentes e todos os dias vamos ter uma escola diferente em palco, com algumas deixas” – Ana Guiomar

Outro traço característico desta criação é o facto de integrar, para lá dos atores supracitados, algo semelhante a um segundo elenco: o Exército de Crianças de Holofernes. Este apresentará rostos novos todos os dias. Rui Catalão convida escolas a visitarem o teatro com a oportunidade de participar nos ensaios e de assistir e intervir no espectáculo, uma iniciativa que promove a interacção entre o público e os artistas.

Ao receber o encenador como ponto e o público como atores, a sala transforma-se num palco maior. Assim, Judite promete ser um espectáculo sempre ímpar, particularmente imprevisível e dinâmico.

No cenário escuro não vemos mais que alguns cobertores, um copo e uma jarra como acessórios. Os figurinos coloridos e invulgares contrastam com o fundo negro e marcam o movimento das personagens. Estas são, do início ao fim, tudo o que conseguimos – ou queremos – ver.

A atenção prende-se como um gancho nas expressões e vozes que materializam a permanente tensão inscrita no guião. Clássico e muito marcado pela metáfora, o guião é trabalhado de uma forma surpreendentemente inovadora em palco. A intensidade com que os atores dão corpo à peça transparece a cumplicidade que partilham.Todos estes elementos combinados conferem uma profundidade muito particular ao espectáculo e marcam uma identidade muito própria.

Ana Guiomar entre o teatro e a televisão

Ana Guiomar começou a sua carreira televisiva com 14 anos, na sério Morangos Com Açúcar. Entre o teatro e a televisão, confessou considerar injusto conseguir escolher um. Adora as pessoas da televisão, o ritmo frenético, as confusões, as discussões, as partes boas e até as partes más.

“Adoro televisão, nunca quero deixar de fazer. Fico irritada quando tenho colegas que dizem que só fazem televisão por dinheiro” – Ana Guiomar

A peça de Rui Catalão é muito diferente de tudo o que Ana Guiomar tem feito em teatro. Levar Judite até ao palco do Teatro Nacional Dona Maria II trouxe-lhe a possibilidade de trabalhar com outras pessoas. “Este elenco é incrível, estou um bocadinho apaixonada”, confessa. O seu palco habitual tem sido o do Teatro Aberto, mas não quer ficar por aqui.

Em Judite, Ana Guiomar vê uma Maria Capaz e admira a sua persistência. Quando questionada sobre o que há de Judite na Ana Guiomar, respondeu sem hesitar: “a determinação e talvez a força”.

Como podes ver…

Judite vai estar em cena até ao próximo dia 27 de março, na Sala Estúdio do Teatro Nacional Dona Maria II. As sessões realizam-se quarta-feira às 19.30h, quinta a sábado às 21.30h e domingo às 16.30h. Os bilhetes podem se adquiridos aqui.