Entre os passados dias 3 e 5 de março, Pedro Tochas subiu ao palco do Teatro da Trindade e o Espalha-Factos esteve lá. O seu mais recente espectáculo, Remix Maiores de 18 / Já Tenho Idade Para Ter Juízo, junta o melhor de Maiores de 18 e Já Tenho Idade Para Ter Juízo. Durante quase duas horas, as paredes da Sala Eça de Queiroz foram forradas a gargalhadas que escaparam inevitável e incessantemente da plateia.

Em Remix, Tochas juntou o melhor de Maiores de 18 e Já Tenho Idade Para Ter Juízo, dois espectáculos da sua autoria. Em conversa com o Espalha-Factos, o humorista contou que a vontade de voltar a levar a palco os dois espectáculos surgiu enquanto passava vídeos de atuações antigas de cassetes para computador.

Escritos há oito e dez anos, respetivamente, Maiores de 18 e Já Tenho Idade Para Ter Juízo não subiam ao palco há cerca de sete anos. Para resolver a vontade de querer repeti-los, decidiu fazer um best of de ambos. Remix estreou na Sociedade de Instrução Guilherme Cossoul no início do ano. Entretanto, surgiu a oportunidade de levar o espectáculo ao palco do Teatro da Trindade, em Lisboa, ao Teatro Ester de Carvalho, em Montemor-o-Velho, e ao Auditório Municipal da Lagoa, embora tenha confessado que ainda não tentou fazer tournée com o espectáculo.

“Está a dar-me um gozo enorme fazer este espectáculo!”

De artista de rua para artista profissional em festivais, Pedro Tochas já arrancou gargalhadas em 24 países. “Há países em que fiz uma cidade e outros em que fiz seis, sete”, informou. O festival preferido do humorista é o Edinburgh Festival Fringe. O humorista explica: “É um festival onde eu posso fazer o meu espectáculo e a seguir tenho 1200 espectáculos por dia durante três semanas e meia. É o maior festival do mundo! Só no ano passado vi setenta e seis espectáculos”. Férias, para Tochas, “é num festival a ver espectáculos”.

“Eu adoro ver espectáculos, adoro aquele festival [Edinburgh Festival Fringe]! Poder fazer parte e ao mesmo tempo estar a ver, é a melhor coisa do mundo”

Falou-nos dos festivais como um intercâmbio cultural onde pode assistir a espectáculos e ter formação. Em Portugal, faz palestras para empresas como comediante e orador, assim como espectáculos para empresas e em teatro. Paralelamente à carreira profissional no mundo da comédia, atualmente integra o júri do programa televisivo Got Talent, na RTP1.

Fotografia: Mariana Godet

Foto: Mariana Godet

“Faz-me impressão aquele pessoal que faz questão de dizer que não gosta das coisas. Eu não tenho tempo para as coisas que gosto, como é que vou estar a perder tempo com coisas que não gosto?”

O humor de Tochas não é passageiro. Como o próprio explica, debruça-se sobre a condição humana, a relação com o mundo, com as pessoas e com a vida. Tudo isto estende a validade dos textos e os mantém geniais dez anos depois de serem escritos.

O humorista, que apesar de já ter idade para ter juízo, afirma convictamente que ainda não o tem. Pedro Tochas mantém-se no registo já habitual de one man show, muito marcado pelas múltiplas interações com o público. As interacções tornam-se parte do espectáculo, são feitas várias referências que trazem de volta as pessoas escolhidas.

Desde os primeiros minutos do espectáculo, o público é desafiado a despojar-se de qualquer inibição e convidado a mostrar-se presente e enérgico. O gelo é quebrado e a resistência muscular começa desde logo a ser testada. O humor de Tochas ultrapassa a dimensão verbal, é também muito físico. A expressão corporal tão bem explorada preenche o palco, tornando todo o espectáculo ainda mais rico.

Fotografia: Mariana Godet

Foto: Mariana Godet

Neste espectáculo, Tochas ensina como chocar uma gargalhada incessante de quase duas horas. Tanto o homem em palco como as gargalhadas em uníssono testam a dimensão da sala principal do Teatro da Trindade. Remix é um espectáculo de real comédia, levado a palco por um verdadeiro contador de histórias que toma a forma de humorista. Ter cãibras nas bochechas não só é possível como inevitável e esta é a maior prova do poder do humor na voz e no corpo de Pedro Tochas.