Mais uma semana e mais uma edição do Algo_Ritmo Musical. Cada vez com nomes mais obscuros no mundo da música, a qualidade no entanto teima em não descer nesta Listener’s Digest do Spotify.

Teleman – Skeleton Dance (2014)

Começamos com uma simpática música indie pop, daquelas que nos tentam dar ânimo para começar as cinzentas segundas-feiras. Brilliant Sanity, o segundo álbum da banda inglesa Teleman vai ser lançado já no próximo mês.

Architecture in Helsinki – Heart It Races (2007)

O nome pode enganar, mas a próxima música vem da Austrália. Continuamos dentro do mesmo género, mas o indie de Architecture in Helsinki consegue capturar uma estética bastante particular. Com uma espécie de tribalismo urbano, facilmente este som nos deixa a bater com o pé no chão.

Dungen – Panda (2004)

Voltamos ao velho continente, mais especificamente à Escandinávia, para aumentarmos o volume com o rock psicadélico de Dungen. A banda sueca apresenta uma boa simbiose entre o som cru e old school do rock progressivo com ritmos mais atuais do rock alternativo. Aceita-se intérprete de Sueco, no entanto!

David Holmes – Sugarman (2002)

Apesar de ter voltado às bocas do mundo com o documentário vencedor de um Óscar, já em 2002 o artista de eletrónica irlandês David Holmes andava a trabalhar as músicas de Rodriguez. Esta cover da mais famosa Sugarman transmite-lhe um toque urbano de trip-hop e mostra a intemporalidade desta bela música.

CAN – I’m So Green (1972)

Para terminar damos um grande salto no tempo para revisitar o rock experimental dos germânicos CAN. Com um ritmo crescente ao longo da música, esta fantástica estrutura dinâmica devia ser estudada por muitos artistas modernos para aprenderem sobre a fluidez que uma música pode (e deve) ter.