O dia 8 de março é, desde 1977, assinalado pelas Nações Unidas o Dia Internacional da Mulher, como forma de homenagear a luta contra o preconceito e as conquistas das mulheres até aos nossos dias. Para assinalar esta comemoração, o Espalha-Factos destaca as personagens interpretadas por mulheres que pisam agora os palcos do teatro e da dança, um pouco por todo o Mundo.

Carmen, por Diana Vishneva

CcGvyJ5W8AANfI9

Foto: Twitter de Diana Vishneva

A bailarina Diana Vishneva é sempre uma das mulheres a destacar em palco e em Carmen Suite reforça esse estatuto. Coreografado por Alberto Alonso, Carmen Suite já foi dançado por grandes bailarinas como Maya Plisetskaya. Aliás, Diana Vishneva sempre referiu a sua admiração a Plisetskaya e já dançou Carmen num tributo à lenda do ballet. Garra, sensualidade e coragem são as palavras que marcam a atuação que podes ver no vídeo seguinte:
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=IDMcWSYali8]

 

Paulina, por Judi Dench

winters tale

Foto: Divulgação

Judi Dench, mais uma vez, tem dado que falar em teatro. Desta vez interpreta Paulina em The Winter’s Tale, de Shakespeare, em Londres. Já esteve em direto no cinema com esta peça, que lhe valeu a nomeação de Melhor Atriz nos Olivier Awards.
[youtube https://www.youtube.com/watch?v=eAsLtT7Uih8]

Hermione, por Noma Dumezweni

Noma Dumezweni

Foto: Divulgação

Outro nome feminino que tem dado que falar é o de Noma Dumezweni, uma das atrizes principais da adaptação de Harry Potter ao teatro. Isto porque a actriz inglesa é negra, ao contrário da Hermione que vimos nas telas de cinema (Emma Watson). A estreia está marcada para dia dia 30 de julho, em Londres.

Amélia e Mãe de Lídia, por Maria do Céu Guerra

Foto: Facebook do Teatro A Barraca

Foto: Luís Rocha

Maria do Céu Guerra é um nome incontornável do teatro português e desde dezembro de 2015 que tem estado a representar na peça Claraboia. Seja como tia Amélia, apreciadora de música clássica, ou a Mãe de Lídia, sustentada pelo trabalho de acompanhante de luxo da sua filha, Maria do Céu Guerra levou a palco o livro de José Saramago, Claraboia. A peça está em cena até dia 13 de março no teatro A Barraca, que festejou 40 anos no último dia 4 de março.

Judite, por Ana Guimar

2e5fe240-d5d0-467d-a4dc-087e2f85a7fd

Foto: Filipe Ferreira

Vai estrear no dia 10 de março no Teatro Nacional D. Maria II e as expetativas são altas. Ana Guiomar vai interpretar Judite. A partir do Velho Testamento, Judite é uma mulher que entra num acampamento de um poderoso exército para decapitar o seu general. Rui Catalão aproveita a técnica de sedução desta mulher para este peça. Ana Guiomar vai estar em palco com Cláudia Gaiolas, Tiago Vieira e Rui Catalão.

Margarida, por Maria João Abreu

Fotografia: Clementina Cabral

Foto: Clementina Cabral

Com Boas Pessoas, Maria João Abreu volta a provar que é – para lá de artista de revista – uma artista completa. No palco do Teatro Aberto, dá vida a Margarida, uma mãe solteira que luta para sustentar a sua filha e vive numa procura constante de emprego. Maria João Abreu vai continuar a subir ao palco para nos contar como são as boas pessoas até ao próximo dia 27 de março.

Karen, por Alexandra Lencastre

0866814445f210bf35d61d7290b487ff_L

Foto: Divulgação

Em 2015 Alexandra Lencastre comemorou 30 anos de carreira e interpretou Karen em Plaza Suite, uma comédia de Neil Simon. A peça divide-se em duas pequenas histórias e a atriz contracena com Diogo Infante em ambas. Na primeira história, a atriz faz parte de um casamento à beira do fim e na segunda é mãe de uma noiva complicada.

Vicky Mancha Negra, por Custódia Gallego

12745721_1081604805240099_2926393439426365996_n

Foto: Divulgação

O público já está mais que habituado à presença regular desta atriz, veterana das telenovelas e séries no grande ecrã. Agora, Custódia Gallego  é Vicky Mancha Negra, a personagem principal de A Noite da Dona Luciana, a mais recente comédia (ao estilo de Copi) do Teatro do Eléctrico, em cena no Teatro da Politécnica até 19 de março. [youtube https://www.youtube.com/watch?v=AN-a-mgr65M]

 Leonor Keil em  Se alguma vez precisares da minha vida, vem e toma-a

Foto: José Caldeira

Foto: José Caldeira

A Gaivota, de Anton Tchékhov, é o ponto de partida para a nova criação de dança de Victor Hugo PontesSe alguma vez precisares da minha vida, vem e toma-a. Neste espetáculo onde a dança parte de uma peça de teatro, a bailarina Leonor Keil integra o grupo de bailarinos que espelha os conflitos dramáticos e a força emocional das personagens de Tchékhov, como se vê no vídeo. [youtube https://www.youtube.com/watch?v=2QI0wdxW-z0]

Eurídice, por Filipa de Castro

Foto: Página Oficial da CNB no Facebook

Foto: Página Oficial da CNB no Facebook

Em digressão pela Alemanha, está a bailarina Filipa de Castro, uma das bailarinas principais da Companhia Nacional de Bailado. Em Orfeu e Eurídice, espetáculo coreografado por Olga Roriz, Filipa interpreta a ninfa Eurídice que, de acordo com o mito grego, viveu uma história de amor com Orfeu, um guerreiro com talento musical. O espetáculo estreou em Lisboa em 2014 e estará, durante o mês de março, em digressão internacional.

Escrito por Helena Moreira, Mariana Godet e Teresa Serafim