Já estreou nos Estados Unidos o segundo episódio da série American Crime Story, intitulado The Run of His Life. Aqui fica a review do Espalha-Factos. Em Portugal, a série estreia dia 1 de março na FOX.

Pegando onde terminou o episódio anterior, chegamos de novo a Los Angeles no rescaldo da fuga de OJ Simpson com o seu amigo Al Cowlings. Tanto o advogado Robert Shapiro (John Travolta) como o amigo Robert Kardashian (David Schwimmer) começam a entrar numa espiral de desespero quando o detetive Garcetti (Bruce Greenwood) perde completamente a cabeça e ordena uma autêntica caça às bruxas para que se encontre a estrela.

American Crime Story

Robert Shapiro numa conferência de imprensa

Mas rapidamente reencontramos o protagonista, quando um casal que conduz pela auto-estrada avista o famoso carro Bronco a seu lado e percebe quem leva lá dentro. Num ápice, Cowlings e OJ têm uma escolta policial gigantesca, com uma dúzia de carros e vários helicópteros. Sob o olhar atento das câmaras de televisão, a polícia evita jogadas bruscas, “perseguindo” o carro estrada fora de forma lenta e comedida.

Tudo isto estaria muito bem, tirando o fato de começar, a pouco e pouco, a cansar o espectador. Um episódio inteiro permeado apenas pelo desespero dos amigos e familiares e pelo caos definido pela perseguição policial torna-se enfadonho a certo ponto.

Paralelamente a tudo isto, o advogado Johnnie Cochran (Courtney B. Vance) surge na televisão em defesa de OJ, afirmando que tudo se reduz a uma questão racial. É um argumento a que já nos habituou no primeiro episódio, e que claramente se mostrará fulcral daqui em diante – dado o interesse desta personagem em envolver-se no caso.

American Crime Story

O advogado Johnnie Cochran em defesa do atleta

Após uma série de tensos telefonemas para o carro onde se encontra OJ, este acaba por ordenar ao seu amigo (e motorista emprestado) que se dirija a sua casa para que possa ver a sua mãe.No fim do dia, finalmente o carro pode parar, mas apenas para que o episódio nos ofereça o momento de maior tensão, quando OJ quase se suicida com a sua pistola.

É Kardashian quem negoceia por telefone com o seu melhor amigo, convencendo-o a entrar em casa desarmado com a promessa de que não será preso na rua e sim longe das câmaras. Enquanto é finalmente levado pela polícia, uma triunfante Marcia Clarke (Sarah Paulson), cujos desempenhos no episódio foram esporádicos mas sempre certeiros conforme a sua personalidade assertiva, mostra-se feliz e desafiante por poder ir a tribunal.

American Crime Story

“We’re taking him to trial”

Damos destaque à prestação de personagens como Johnnie Cochran e Robert Shapiro nas suas manhas de advogado, Robert Kardashian com a sua emoção crua e Marcia Clarke na sua posição eternamente determinada. Mas infelizmente, e apesar de tudo isto, o enredo arrasta-se visivelmente e de forma incontornável antes de chegarmos sequer a metade da exibição.

O primeiro episódio de American Crime Story lançou o mote para que a série se viesse a definir enorme no seu interesse e capacidade de trazer o que de melhor tem este elenco de luxo. Apesar de tudo, é impossível não sentir uma certa perda de potencial após um segundo episódio no qual os pontos positivos infelizmente não conseguiram suplantar os negativos. Ainda assim, esperamos pelo terceiro e que com ele regresse o entusiasmo que ficámos no episódio piloto.

Nota: 5/10