10440196_10153919562042264_4243880214849344945_n
Júri Prix de Lausanne 2016. Foto: Gregory Batardon

Prix de Lausanne 2016: e os vencedores são…

Chegaram ao fim as finais da 44.ª edição do Prix de Lausanne. 20 bailarinos, 7 rapazes e 13 raparigas, subiram ao palco do Théâtre de Beaulieu, em Lausana (Suíça), com uma variação clássica e uma variação contemporânea.

A cerimónia, transmitida em live streaming e apresentada por Katerina Novikova (porta-voz do Bolshoi), revelou os seguintes vencedores:

Bolsa N.º 1, oferecida pela adveq – entregue a Yu Hang (China), bailarina da Shangai Dance School, na China.

Bolsa N.º 2, oferecida pelo Beau-Rivage Palace – entregue a Madison Young (EUA), estudante da Houston Ballet Academy, nos Estados Unidos da América.

Bolsa N.º 3, oferecida pela Fondation Albert Amon – entregue a Vincenzo Di Primo (Itália), bailarino da Vienna State Opera Ballet School, Áustria.

Bolsa N.º 4, oferecida pela Oak Foundation – entregue a Leroy Mokgatle (África do Sul), estudante da Art of Motion, África do Sul.

Bolsa N.º 5, oferecida pela Fondation Coromandel – entregue a Laura Fernandez (Suíça), bailarina da Vaganova Ballet Academy- Tanz Akademie Zurich, na Suíça.

Bolsa N.º 6, oferecida pela Harlequin – entregue a Junnosuke Nakamura (Japão), bailarino da Acri Horimoto Ballet Academy, Japão.

Bolsa N.º 7, oferecida pela Fondation des Amis du Prix de Lausanne – entregue a Bai Dingkai (China), estudante da Shangai Dance School, China.

Os dois prémios Dança Contemporânea foram entregues a Laura Fernandez, da Suíça, e a Vincenzo Di Primo, da Itália. A bailarina suíça também conquistou o prémio de Melhor Candidata Suíça.

O candidato da África do Sul, Leroy Mokgatle, muito aplaudido nas suas duas atuações pelo público presente no teatro, ganhou o prémio de Favorito do Público. Já Kim Danbi (Coreia do Sul), da Lee Won-a Ballet Academy of Ballet, saiu vencedora com o prémio Jovem Esperança.

Os restantes finalistas, apesar de não terem ganho uma bolsa de estudo, foram parabenizados com prémios de compensação. E, claro, com tanto talento e trabalho, as oportunidades não ficam por aqui para nenhum dos outros candidatos.

Durante estas finais, os bailarinos apresentaram, em clássico, variações de bailados como Aurora, Don Quixote ou Paquita, entre outras. Já no estilo contemporâneo, pudemos assistir a variações como Bow e Grinding the teeth, do coreógrafo Goyo Montero, e a A Solo for Diego, de Richard Wherlock.

O público teve também oportunidade de assistir a outras performances, como a da bailarina Diana Vishneva, Bailarina Principal da Mariinsky Ballet, de São Petersburgo, e a de doze bailarinos da Junior Company da Dutch National Ballet, Holanda.

Mais tarde, no website do Prix de Lausanne ou na página de facebook, podes acompanhar mais desenvolvimentos e saber quais as escolas que os vencedores deste ano escolheram para usufruir das suas bolsas.

Mais Artigos
The Walking Dead
‘The Walking Dead’. Vê o trailer do episódio final temporário