Neste quarto dia de comeptição, antes da seleção dos 20 finalistas, as raparigas foram avaliadas pelo júri no contemporâneo. O dia foi bem mais tranquilo para os rapazes, que não estiveram em competição. 

As provas continuam nas aulas e treinos no Prix de Lausanne 2016. Hoje foi a vez das raparigas serem avaliadas na aula de contemporâneo e no treino da variação contemporânea. A portuguesa Margarida Trigueiros, da Tanz Akademie Zürich, e Ruika Yokoyama, da Escola de Dança do Conservatório Nacional, estiveram em provas completando assim metade das avaliações na competição.

Lê mais: Foi dia de avaliar o contemporâneo dos rapazes no Prix de Lausanne

Quanto aos rapazes, onde se encontra o bailarino de 15 anos, Alexandre Mateus, o “dia hoje foi mais tranquilo”, como nos afirmou Laura Andrade, que acompanha o jovem neste Prix de Lausanne. Alexandre Mateus teve uma aula de ballet e treino da variação clássica, com Patrick Armand.

Em live streaming, Armand (Diretor adjunto da San Francisco Ballet School), também vencedor do Prix de Lausanne de 1980, conversou com Katerina Novikova ( porta-voz do Bolshoi) sobre o que faz um bom bailarino. De acordo com Armand, não é algo que aconteça no momento, nem que tenha a ver com o mediatismo, ser bailarino leva o seu tempo e é algo que demora a ser educado. O professor da aula de ballet revelou que esta arte e disciplina não é apenas sobre passos, mas é algo que deve ser expresso do interior de cada bailarino. “O ballet é vida e é preciso ver pessoas vivas a dançá-lo”, afirmou Armand.

Durante a tarde, segundo Laura Andrade, o bailarino português aproveitou para descansar e assistir à conferência com Diana Vishneva e Marcelo Gomes, dois nomes bem sonantes do panorama artístico atual e já vencedores do Prix de Lausanne.

unnamed (2)

Na conferência com Diana Vishneva e Marcelo Gomes. Foto: Laura Andrade

Dois ex-concorrentes voltaram ao Prix de Lausanne com novos papéis

A russa Diana Vishneva foi uma das bailarinas vencedoras do Prix de Lausanne de 1994 e voltou não só para a conferência da tarde, como também para lecionar aulas de ballet. Atualmente, Diana Vishneva é bailarina principal no American Ballet Theatre e no Mariinsky Ballet, em São Petersburgo e tem vindo a ter um papel determinante na nova visão da dança na Rússia.

Diana Vishneva na aula de ballet dos rapazes. Foto: Gregory Batardon

Diana Vishneva na aula de ballet dos rapazes. Foto: Gregory Batardon

Quanto ao bailarino Marcelo Gomes, é um dos jurados desta edição do Prix de Lausanne e é também um regresso, pois foi um dos vencedores em 1996. Nascido no Brasil, é atualmente uma das referências da dança clássica e contemporânea, sendo bailarino principal no American Ballet Theatre. Em live streaming, Marcelo Gomes falou da dificuldade de ser jurado num concurso com tanto talento.

MarceloABTcropcolor

Marcelo Gomes. Foto: Jake Young

A seleção está quase a chegar

O quinto dia de competição no Prix de Lausanne é um momento de resultados. Todos os bailarinos terão o aquecimento e depois serão avaliados pelo júri nas variações clássicas e contemporâneas. Para isso, podes acompanhar o live streaming no site oficial do Prix de Lausanne, assim como os resultados no nosso site.

Já podes ver…

As fotografias do terceiro dia das provas já estão disponíveis no site oficial da competição. Hoje também foi divulgado um vídeo com mensagens dos candidatos do Prix de Lausanne 2016. Nos vídeos já disponíveis podes ver a mensagem da bailarina portuguesa, Margarida Trigueiros (vídeo 2), assim como a do bailarino Alexandre Mateus (vídeo 9) e de Ruika Yokoyama (vídeo 5), que estuda na Escola de Dança do Conservatório Nacional