À medida que vamos caminhando para um mundo onde todos têm os mesmo direitos e são representados da mesma maneira, há quem decida fazer realmente alguma coisa e não esperar que novas medidas caiam do céu. Rebecca Atkinson, natural de Londres, está fazer uso da internet para que as crianças com dificuldades motoras sejam representadas em caixas de bonecos, e já obteve os primeiros resultados.

Depois de uma petição para que a Lego construísse os seus primeiros bonecos com dificuldades motoras, que reuniu mais de 20 mil assinaturas, a gigante do mundo dos brinquedos anunciou que iria colocar à venda em junho deste ano bonecos como este:

LEgo

Foto: AFP/Getty

A Lego mostrou os novos bonecos numa feira a decorrer na Alemanha e este é o primeiro grande passo da associação #ToyLikeMe, criada pela própria Rebecca Atkinson e que pretende dar voz a quem, infelizmente, ir do sítio A ao sítio B pode ser mais difícil do que muitos imaginam.

Para além da Lego, há também uma petição para que a PlayMobil siga o mesmo caminho, e as mais de 50 mil assinaturas já levaram a fabricante alemã a anunciar uma nova linha de brinquedos para finais de 2016/início de 2017 em que estão incluídas figuras em cadeira-de-rodas.

Foto: Getty/AFP

Foto: Getty/AFP

A #ToyLikeMe pretende chegar a cada vez mais pessoas e está a levar a cabo uma campanha de angariação de fundos na Crowfunder, que irá permitir a Rebecca construir um website e criar campanhas de publicidade. Já foram angariados 27% das 16 mil libras (cerca de 21,1 mil euros) pedidos.

O Comité dos Jogos Paralímpicos já reagiu com entusiasmo através do Twitter: