A sétima temporada de The Vampire Diaries está de volta e o regresso foi tudo menos entusiasmante – um episódio repetitivo, parado e que em nada contribuiu para a história. Hell is Other People estreou no dia 29 de janeiro no canal The CW. Em Portugal, a série Diários do Vampiro é exibida no AXN Black.

Tem sido apunhalado pela adaga da Pedra Fénix, Damon (Ian Somerhalder) encontra-se preso no seu próprio inferno. O meu inferno, por outro lado, foi ter visto este episódio do início ao fim. Com todo o respeito – e admito até que esta temporada tem sido muito melhor do que as duas anteriores – mas a série não se chama “Diários do Damon”. Um episódio inteiro só para ele? Imperdoável.

No inferno, Damon revive os eventos de 1863, quando era um soldado na Guerra Civil antes de se tornar vampiro. Ao receber uma carta de Stefan (Paul Wesley), o protagonista pede ao seu comandante duas semanas de licença para ir ter com o irmão. O chefe diz-lhe que as duas semanas serão concedidas se Damon partir em busca de soldados desertores.The Vampire Diaries

Lá vai ele todo contente com o seu colega Henry (Evan Gamble), dirigindo-se a casa de uma família, onde o plano corre mal e toda a gente acaba por morrer a tiro. No meio disto tudo, Lily (Annie Wersching) aparece como a voz da consciência. Embora fique feliz por ver a atriz de volta à série, nem isso foi suficiente para salvar o episódio.

Também Julian (Todd Lasance) aparece neste inferno, raptando Stefan e queimando-o vivo. Claro que tudo isto é fantasioso e serve apenas para atormentar a cabeça de Damon. Depois disto, entramos numa espiral desnecessária, onde Damon repete todos os eventos vezes sem conta, sem conseguir descobrir o seu verdadeiro arrependimento e corrigir os seus erros.

O vampiro apercebe-se de que a única maneira de mudar os eventos é fugir da guerra e tornar-se ele próprio num desertor. Ao encontrar Stefan, o protagonista admite a verdade: ele não escapou para ver o irmão, mas sim para ver a mãe, Lily.

Damon acorda de volta na floresta e desta vez depara-se com a Lily a ser esmagada por uma roda, implorando ao filho que a salve. Confrontando os seus demónios, Damon pede mil desculpas à mãe, admitindo que gostava de ter uma oportunidade para ambos retomarem a sua relação. Como sabemos, isso é impossível, porque a mulher, na realidade, está morta.Bonnie_and_Damon_7x10

Pelos vistos este era o empurrão de que Damon precisava. O vampiro acorda na mansão dos Salvatore, com Bonnie (Kat Graham) a usar magia para o retirar do inferno. Também lá estão Caroline (Candice King), Matt (Zach Roerig) e Stefan. Este último também fora apunhalado no último episódio, mas pelos vistos Bonnie conseguiu salvá-lo primeiro.

Damon continua a achar que ainda não acordou e que aquilo é tudo uma ilusão. Querendo desesperadamente voltar para junto da sua mãe, Damon enlouquece e começa a distribuir murros e chapadas pela sala, deixando o restante elenco inconsciente – inclusive Caroline, que está grávida. Isto é que foi uma matança!

Atribuir um episódio inteiro a uma única personagem é um erro fatal em qualquer série. Já tivemos sete temporadas para conhecer Damon e os seus defeitos, e nunca na vida seria necessário um episódio apenas para ele fazer as pazes com a mãe. Esta temporada de The Vampire Diaries tem tido grande qualidade pela sua diversidade de elenco e narrativas paralelas. Se queriam fazer um episódio inteiro dedicado ao inferno, ao menos podiam ter alternado também com o coma de Stefan. Ter um elenco tão talentoso e dar-lhes dois minutos de tempo de antena é algo que não tem desculpa.

NOTA: 4/10