Mais uma semana, mais uma Apsarases. Novamente Justin Bieber? Sim! Há uns dias, o Espalha-Factos falava sobre mais um vídeo da empresa digital DanceOn, no qual dois bailarinos protagonizam uma história de amor, repleta dos seus bons e maus momentos. Na rubrica Apsarases de hoje damos, mais uma vez, atenção a este casal, mostrando-te outro dos seus mais recentes trabalhos.

Já deves, com certeza, ter visto o videoclip da música Love Yourself de Justin Bieber. No entanto, à semelhança de Sorry, já referida numa Apsarases, não reconheces os dois bailarinos que nele participam. Pois por isso mesmo, vamos falar-te sobre eles. Trata-se de Keone e Mari Madrid, um casal real e muito famoso pelos seus vídeos, no Youtube, onde dançam juntos.

Com um novo álbum repleto de surpresas que impressionaram os fãs, o jovem cantor lançou também um videoclip para cada música. Com a ajuda de Parris Goebel, coreógrafa do viral Sorry e outros, bem como diretora de todos os videoclips do álbum Purpose, Bieber deu oportunidade a excelentes bailarinos de brilhar.

Keone e Mari Madrid foram então dois dos escolhidos para integrar este projeto. Para isso, foi-lhes proposto que produzissem uma coreografia para Love Yourself, o tema mais acústico e calmo de Bieber neste álbum.

Ao longo dos mais de quatro minutos do vídeo, Keone e Mari interpretam o papel de marido e mulher e, semelhante ao que criaram para o vídeo da DanceOn, percorrem as várias divisões da casa enquanto realizam a sua rotina matinal…a dançar.

No entanto, em Love Yourself, a intenção não é retratar os altos e baixos tão característicos de uma relação, mas sim uma fase complicada que o casal atravessa. Na letra pode ouvir-se: «Eu nunca gosto de admitir que estou errado e como estive tão ocupado com o meu trabalho, nem percebi o que estava a acontecer. Mas agora sei, estou melhor a dormir sozinho. Pois se tu gostas tanto da tua aparência, devias simplesmente amar-te a ti mesma».

Mari, aliás a sua personagem, ignora qualquer aproximação do seu companheiro, continuando a fazer as suas coisas e chegando mesmo a “trocá-lo” pelo seu reflexo no espelho que tanto admira. No final, apercebemo-nos que o rapaz acaba por desistir da relação por não aguentar alguém tão egocêntrico que nem a sua mãe, que costuma «gostar de toda a gente»,  gostava.

A rapariga acorda sozinha. Ao seu lado, na almofada, apenas está um bilhete onde é possível ler-se «Love yourself» («Ama-te»), recado deixado pelo marido em forma de despedida.

Foto: Frame Videoclipe Love Yourself

Foto: Frame Videoclipe Love Yourself

A coreografia pode parecer vulgar ou até confusa para quem observa pela primeira vez o vídeo, mas após repararmos na letra todos os passos estão em sintonia com o que Bieber vai cantando. Em apenas dois dias, esta fantástica performance de Keone e Mari já acumulava mais de 4 milhões de visualizações, tornando Love Youself uma das músicas favoritas dos fãs no álbum Purpose.

Love Yourself, coproduzida por Ed Sheeran e Benny Blanco, é uma música muito menos eletrónica que as restantes produzidas por Skrillex. Em acústico, apenas com voz e guitarra, este é um tema bem mais intimista e que, mais uma vez, parece ter uma mensagem subentendida, quem sabe sobre alguém que se cruzou na vida de Justin. Este hit foi mais um dos sucessos deste trabalho do cantor canadense, tendo-se mantido, durante algum tempo, no topo das listas de músicas mais ouvidas em vários países.

Keone e Mari, os bailarinos por trás do videoclip

Na vida real, a história de amor e sucesso de Keone e Mariel (conhecida por Mari) não é de todo comum. Os seus caminhos cruzaram-se precisamente durante um workshop de dança onde ambos participavam como professores. O gosto pela dança acabou por os unir e nunca mais os separou… Começaram a criar coreografias que se tornaram virais no Youtube, casaram-se e até hoje continuam a trabalhar juntos em vários projetos.

Foto: Blogue Mari Madrid

Foto: Blogue Mari Madrid

Keone, natural de San Diego, Califórnia, começou a dançar aos 15 anos. Já Mari, nascida em Boulder, Colorado, estreou-se nestas andanças aos 13. Mais tarde, quando se mudou para perto de San Diego para se juntar à companhia de dança Funkanometry SF, acabou por conhecer Keone e juntou-se, depois, à sua crew Choreo Cookies.

A convite de Keone, Mari começou a dar aulas a outra crew, a Future Shock San Diego, na qual ele já tinha competido. Enquanto isso, Keone dava também aulas no Culture Shock Dance Center, também em San Diego. Foram, aliás, os seus alunos que publicaram o seu primeiro vídeo online.

Mais tarde, ambos entraram para a companhia Movement Lifestyle e foi então a partir daí que os dançarinos começaram a publicar as coreografias que criavam e ensinavam nas suas aulas. Sem nunca imaginarem que pudessem ter tanto sucesso, foram ganhando cada vez mais a atenção dos internautas. O seu talento passou a ser reconhecido mundialmente e, até hoje, os seus vídeos conseguem mesmo atingir milhões de visualizações na rede social Youtube.

Em maio de 2010, coreografaram e filmaram o seu primeiro vídeo profissional ao som da icónica Smooth Operator de Sade.

Já em 2012, ano em que oficializaram a relação, surgiu outro trabalho que marcou a carreira de Keone e Mari. O casal dançou, num cenário chuvoso, a épica Latch, música de Sam Smith e Disclosure. Em 2013, a coreografia para a Dangerous, de Michael Jackson, rapidamente se tornou viral, depois de publicada no canal de Youtube Urban Dance Camp, onde costumam marcar presença todos os anos.

No mesmo ano, foram também convidados por Ellen DeGeneres para actuarem e conversarem sobre o seu percurso, profissional e pessoal, no The Ellen Show.

Lê mais: O amor, com os seus altos e baixos, retratado na dança 

Além de tudo isto, Keone e Mari, também já trabalharam para o So You Think You Can Dance, o X- Factor, Dancing with the Stars, Good Morning America, para vários cantores asiáticos e americanos, entre outros. Dançaram, inclusive, para um dos ecrãs gigantes da Times Square, em Nova Iorque. Atualmente, são professores no Building Block, um estúdio de dança fundado por ambos, e estão também ligados a algumas ações de caridade através da sua comunidade Kingdom Made.

Keone e Mari pretendem continuar a fazer parte de mais projectos e a criar histórias que nos transmitam lições e turbilhões de sentimentos, através de coreografias que nos prendem aos ecrãs do início ao fim. Veremos se continuarão a dar que falar. O certo é que, em pouco tempo, este amoroso casal passou a ter um papel principal na indústria das danças urbanas e especificamente na comunidade de hip-hop, onde as coreografias a pares são, demasiadas vezes, básicas e previsíveis (já para não referir raras).