Albano Jerónimo e Lígia Roque protagonizam Quarteto, peça considerada pornográfica em 1981. O espetáculo está em cena até 7 de fevereiro, no Teatro Carlos Alberto (TeCA) , no Porto. De 18 a 21 de fevereiro, poderá ser visto no Centro Cultural de Belém (CCB), em Lisboa.

Quarteto, de Heiner Müller, trata-se de uma obra banida na RDA em 1981 por ter sido considerada pornográfica. Inspirado por As Ligações Perigosas, um romance epistolar do final do século XVIII, de Choderlos de Laclos, o dramaturgo e escritor alemão escreveu uma peça sobre o desejo e a manipulação, durante o seu processo de separação.

Com encenação de Carlos Pimenta, Quarteto revela o jogo de sedução entre dois ex-amantes, Valmont e Merteuil, interpretados por Albano Jerónimo e Lígia Roque, respetivamente. A ação ocorre num salão antes da Revolução Francesa, um bunker depois da Terceira Guerra Mundial.

Os corpos de Valmont e Merteuil (sobre)vivem há 200 anos e, antecipando o fim próximo, revivem histórias, enquanto trocam papéis e deixam sobressair outras vítimas, como a Madame Tourvel ou a jovem Volanges. Através de um jogo de espelhos, os personagens assumem a possibilidade de regresso às suas disputas sexuais e amorosas, que as máscaras permitem, e um jogo de volúpia entre passado e futuro, no qual se testam limites.

Quarteto 2 ©João Tuna

‘Quarteto’, com encenação de Carlos Pimenta | Foto: João Tuna

No dia 30 de janeiro, a obra de Heiner Müller, uma das consciências mais agudas da dilacerada Europa do pós-guerra, estará em debate, às 18h30, no Teatro Carlos Alberto (TeCA). O encontro irá reunir José A. Bragança de Miranda, investigador, ensaísta e professor universitário, Carlos Pimenta, o encenador de Quarteto, e Nuno Carinhas, diretor artístico do Teatro Nacional São João (TNSJ). A iniciativa é de entrada gratuita.

Quarteto, coprodução entre o Centro Cultural de Belém (CCB) e o TNSJ, está em cena até dia 7 de fevereiro, quartas às 19h, de quinta a sábado às 21h e domingos às 16h, no TeCA, no Porto. De 18 a 21 de fevereiro, estará no CCB, em Lisboa. A peça, para maiores de 16 anos, tem um preço único de 10€.