Em 2014, a marca sueca H&M esteve envolvida numa polémica devido a uma t-shirt. Desta vez, o problema tem a ver com um lenço às riscas. Fica a saber porquê.

Uma t-shirt para homens com uma caveira desenhada no centro de uma estrela de David colocou a H&M em maus lençóis há cerca de dois anos. Após severas críticas, a marca viu-se obrigada a retirar o produto do mercado.

Recentemente, uma outra polémica surgiu. Desta vez, o alvo de críticas é um lenço beje com riscas pretas. E porquê? Ao que parece, este lenço tem evidentes semelhanças com o Tallit, um acessório religioso usado pelos judeus durante a oração.

lenço

Écharpe H&M

tallit

Tallit

O Twitter tem sido a rede social eleita para as críticas:

twitter

Também alguns defensores da marca se têm manifestado:

twitter2

O uso da religião como inspiração para a moda não é novidade – desde o uso de terços como acessórios aos lenços Keffiyeh -, porém, esta é uma tendência que não agrada a todos. Várias têm sido as tentativas de terminar com esta prática dos designers, uma vez que é considerada apropriação cultural.

A marca já se pronunciou sobre o assunto: “We are truly sorry if we have offended anyone with this piece. Everyone is welcome at H&M and we never take a religious or political stand. Stripes are one of the trends for this season and something we were inspired by. Our intention was never to upset anyone.” (“Pedimos desculpa se ofendemos alguém com esta peça. Todos são bem-vindos à H&M e nunca tomamos um posição religiosa ou política. As riscas são uma tendência desta estação e algo que nos inspirou. A nossa intenção nunca foi a de perturbar ninguém.“, em tradução livre).

Quando questionado se a marca iria retirar as peças do mercado, o porta-voz da H&M afirmou que as quantidades produzidas eram reduzidas e que, em alguns mercados, o produto já não estava disponível.

Lê o artigo original aqui.