Heroes Reborn, a série de Tim Kring exibida no canal NBC, regressou no dia 7 de janeiro com o seu décimo primeiro episódio, estando apenas a dois episódios de distância do grande final. Send in the Clones foi a prova viva de que a série tem vindo a melhorar a olhos nus, semana após semana.

Na mansão Sunset, René (Jimmy Jean-Louis), Farah (Nazneen Contractor), Carlos (Ryan Guzman) e Taylor (Eve Harlow) escapam aos clones de Harris (Clé Bennett) e juntam forças para resgatar Micah (Noah Gray-Cabey) e salvar os restantes Evos prisioneiros (humanos com poderes sobrenaturais).Heroes Reborn

René e Taylor confrontam Matt (Greg Grunberg), dizendo-lhe que ele e a sua família não serão salvos da destruição mundial, ao contrário do que ele pensara. Matt consegue subjugar René e rapta Taylor, usando-a como isco para que Erica (Rya Kihlstedt) cumpra a sua palavra, descobrindo entretanto que Taylor está grávida.

Enquanto isso, Carlos e Farah libertam os prisioneiros, incluindo o Padre Mauricio (Carlos Lacamara) e o sobrinho de Carlos, Jose (Lucius Hoyos). Na tentativa de salvar Micah, o Padre Mauricio sacrifica-se como escudo e morre no processo. Ainda assim, Micah é finalmente resgatado e o grupo prepara-se para destruir o plano de Renautas.

Toda a sequência da Mansão Sunset foi preciosa. Embora continue a achar que Matt enquanto vilão é pouco convincente e simplesmente irritante, foi bom ver os heróis unidos e realmente começarem batalhas a sério, ao invés de se pavonearem de um lado para o outro como costumavam fazer nos primeiros episódios.Heroes Reborn

No futuro, na cidade de Gateway, Tommy (Robbie Kay) mostra a revista 9th Wonders! – mais uma boa referência a Isaac Mendez (Santiago Cabrera) da série original – a Miko (Kiki Sukezane) e esta percebe que o seu destino é travar Harris. Tommy transporta a rapariga de volta para o tempo presente, dizendo a Erica que ela simplesmente desaparecera, para que a vilã não desconfie que ele está a fazer jogo duplo.

Luke (Zachary Levi) e Malina (Danika Yarosh) são travados por dois clones de Harris, Quentin (Henry Zebrowski) e Phoebe (Aislinn Paul). Phoebe é outra daquelas antagonistas que se acha a última bolacha do pacote e ainda tem muito que crescer. Felizmente, Luke e Malina conseguem travar os clones e subjugar os irmãos, raptando-os.

De volta à Mansão Sunset, Miko começa a desaparecer, já que ela é apenas uma criação virtual por parte do seu “pai”, Hachiro (Hiro Kanagawa). Ainda assim, dá-se início ao confronto com Harris e Miko consegue matá-lo, destruindo igualmente todos os seus clones. Já não era sem tempo! Os clones já estavam a tornar-se numa desculpa gasta para toda e qualquer ameaça. Após a batalha, Miko desaparece também e a sua existência chega ao fim.Heroes Reborn

Micah explica ao grupo que as erupções solares começarão no dia seguinte, destruindo primeiramente a América do Norte e depois o resto do plano. Usando os seus poderes, o jovem anuncia ao mundo o plano de Renautas e prova a inocência de Mohinder (Sendhil Ramamurthy), já que este fora culpado pelo ataque terrorista do dia 13 de junho em Odessa, Texas. Foi bom ver mais uma cara conhecida de volta. Embora esteja muito mais velho e quase irreconhecível, Micah continua o mesmo de sempre!

Os últimos minutos do episódio dão-nos um encontro entre Erica e Joanne (Judith Shekoni), onde a primeira contrata a outra para encontrar e matar Malina. Pensei que já nos tínhamos visto livres de Joanne, mas parece que ainda não é desta. O sol manda então a sua primeira erupção à medida que o ecrã passa a negro.

Provavelmente um dos melhores episódios de Heroes Reborn, que finalmente começou a reunir os heróis e a prepará-los para a batalha final. Resta saber o que aconteceu a Noah (Jack Coleman), admito que tive saudades dele esta semana. A despedida de Miko foi o toque dramático de que a série precisava, especialmente porque ela sempre foi a moça de recados da série, trabalhando em prol dos outros. Rezo apenas para que a próxima semana nos traga o tão aguardado encontro entre Tommy e Malina, e que eles possam despachar de umas vez por todas os antagonistas intragáveis, que em vez de assustadores são simplesmente frustrantes – nomeadamente Erica, Joanne, Matt e Phoebe.

NOTA: 8/10