Pedir à equipa de Música do Espalha-Factos para falar sobre música é… bem, fácil. E pedir para contar quais os álbuns e os concertos que mais anseiam dá nisto.

João Patrício

O ano de 2016 promete alguns lançamentos interessantes. Em janeiro, Santigold  dará a conhecer o álbum 99¢  no dia 22. Deste novo projeto ainda pouco se sabe, já que apenas foram adiantados dois temas, Can’t Get nough Of Myself Who Be Lovin’ Me.
[youtube https://youtu.be/i0PD1nVz0kA]

Este ano traz também Still Waters o novo álbum do francês Breakbot . O músico e produtor já avançou o single Get Lost.

Os Miike Snow  também darão que falar em 2016, com o disco iii,  que será lançado no início de março. O álbum parece ser um projeto bastante promissor. Basta ouvir as músicas Heart is Full Genghis Khan.

Depois de tantas notícias e especulação, será que 2016 trará o tão esperado LG 5  O nome pode parecer estranho, mas pelas iniciais conclui-se de imediato que se trata do novo álbum de Lady Gaga. A cantora já admitiu estar a trabalhar na sua produção, mas a data de lançamento continua uma incógnita.

Por falar em promessas, será que em 2016 vamos poder finalmente escutar Radio Silence  de James Blake? 

Relativamente a concertos, basta dar uma breve vista de olhos nos nomes já confirmados para os festivais de verão. Os palcos acolherão nomes como Jamie xx no Super Bock Super Rock e M83  e The 1975 no NOS Alive.

[youtube https://youtu.be/hXaU0QzByIM]

Alexandra Silva

Assim de repente, 2016 está já marcado pelo regresso dos Animal Collective aos discos e a avaliar pelo single de avanço vamos ter discaço.

O mesmo se pode dizer de DavidAll MightyBowie. Os nomes apresentados para alguns festivais também já deixam a salivar: o regresso dos Foals e dos M83 a palcos nacionais e uma curiosidade imensa para saber o que a Ritmos vai apresentar para o NOS Primavera Sound e Vodafone Paredes de Coura.

Será ainda expectável que o Rock in Rio traga uma surpresa boa mas mesmo, mesmo boa, e arriscamos a pedir um Pharell Williams, ou para algo completamente diferente, uns Faith No More. Ah, e nunca se sabe o que os Radiohead andam a tramar e quantas novas bandas portuguesas vão emergir ou sublinhar o seu percurso.
[youtube https://youtu.be/Iw2ssNnA_Es]

Luís Pereira

O próximo ano marca o regresso de algumas bandas portuguesas. Linda Martini lançam Sirumba a 1 de abril, o que até pode parecer mentira mas não é.

PAUS  apresentam Mitra dia 12 de fevereiro, no Cinema São Jorge, depois de um Clarão em 2014.

Os portuenses Salto avançaram em 2015 com Lagostas, single do novo álbum a ser lançado em janeiro.

Ainda em gravações estão Capitão FaustoBrass Wires Orchestra You Can’t Win, Charlie Brown. O próximo ano talvez marque o regresso de Samuel Úria, uma vez que este andava também em gravações.

No campo das novas bandas portuguesas, o aguardado Aurora dos Criatura promete despertar o lado alentejano-tradicional deste que vos escreve. Flying Cages e Madame Luci poderão ser dois nomes importantes a reter para o próximo ano, tendo os primeiros ganhado o Vodafone Band Scouting com um concerto no Vodafone Mexefest. Os segundos têm o carimbo da Azáfama e o single Embuste já se faz ouvir em algumas rádios.

Quanto a festivais, o Bons Sons é sempre aguardado com ânsia. Pelo ambiente da aldeia, pelos artistas que se fazem ouvir naqueles quatro dias e pela capacidade que este festival tem de descobrir novos talentos nacionais.

Menções honrosas: possível vinda a Portugal dos Alabama ShakesThe xx no estúdio outra vez; álbum das Hinds; um possível álbum de Novo Amor.
[youtube https://youtu.be/UL4OUw2O300]

Joaquim Pedro Santos

Imaginemos que estou numa mesa de Blackjack com um 18 e saio a apostar, este movimento é uma aposta de algum risco, mas estou bastante confiante. O meu 18 no mundo da música é DEAU. 2016 pode vir a ser o “ano” para o rapper gaiense. Se 2015 foi um ano muito positivo, com o lançamento de vários singles até à edição do álbum Livro Aberto, 2016 tem que ser visto como o ano de afirmação.

O sucesso nas redes sociais é uma realidade, basta catapultar isso para os principais palcos. A nova vaga de hip hop nacional precisa de alguém que não esteja regularmente a elogiar a sua capacidade de engate.
[youtube https://youtu.be/-P6USaFCd8E]

Alargando o panorama para o internacional, um saltinho a Lisboa para ver Tallest Man on Earth, a 6 de fevereiro. É sempre bom poder ver um artista de que se gosta em nome próprio e num espaço aconchegante.

Beatriz Rainha

Para já, são ainda poucos os acontecimentos de 2016 que fazem o meu coração bater mais depressa. No entanto, posso adiantar que o novo álbum dos meus queridos The 1975, I like it when you sleep, for you are so beautiful yet so unaware of it, já me dá as tais borboletas no estômago (que normalmente se associam a pessoas, mas eu associo a música).

Apesar de um tanto ou quanto receosa pelo lado pop que decerto sobressairá, sinto-me preparada para o receber de braços (e coração) abertos; assim sendo, obviamente que estou já a sofrer pela atuação deles no próximo NOS Alive.

Agora que penso nisso, sofro por todo o festival em geral. Continuando a onda dos festivais, em 2016 não vou perder a oportunidade de me plantar na primeira fila do NOS Primavera Sound, ostentando a minha melhor coroa de flores para uma potencial nova foto de perfil.

[youtube https://youtu.be/TJ5bZuUlftI]

Telmo Romeu

As primeiras coisas a esperar em 2016 são sem dúvida aquelas que estavam quase para acontecer em 2015. Os Radiohead não tiveram pressa para editar o seu novo álbum, que vai ser dos pontos altos deste ano fresquinho.

Também o retorno de Damon Albarn aos trabalhos sobre o selo dos Gorillaz deixa as expectativas em alta depois do sucesso que teve a reunião de Blur. As reuniões não se ficam por aqui, e se a junção dos míticos Guns N’ Roses com Axl Rose e Slash no mesmo palco nos faz sonhar com uma passagem pelo velho continente, o anúncio dos LCD Soundsystem pauta mais pela curiosidade em saber se vão igualmente trabalhar em material novo, já que o recente single de Natal nos relembrou as saudades que temos da banda nova-iorquina.

Mais a nível pessoal, está a expectativa em torno dos MGMT e saber se eles vão enveredar pela faceta mais experimental do último álbum, ou se nos vão voltar a entusiasmar com o pop que caracterizou os primeiros trabalhos.

E são estas as vontades de parte da equipa da Música. Caso precises de um guia para ver o panorama geral de concertos deste ano novo, também damos uma ajuda.