HTGAWM_Y1_D101-F001_0116

Resolução de ano novo: serei uma personagem melhor

“Ano novo, vida nova”. Esta é a velha máxima sobre a qual ainda hoje nos regemos. Quando fazemos a contagem decrescente que torna real a passagem para o novo ano, enchemo-nos de coragem. Vamos para o ginásio, vamos estudar mais, vamos sair menos… vamos mudar! Essa mudança não tem de ser má e, em alguns casos, é mesmo necessária.

As personagens que escolhemos são as que se encaixam no segundo caso. Seja por desgaste das temporadas ou por más decisões dos argumentistas, a verdade é que todas elas precisam de aproveitar a mudança de temporada ou a mid-season break e a mudança de ano para mudarem também.

Daenerys Targaryen – Game of Thrones

Ano Novo Daenerys Targaryen

Uma das protagonistas femininas da série da HBO ganha vida graças a Emilia Clarke e tanto a história da personagem como a prestação da atriz são altamente questionáveis. Embora Daenerys seja um símbolo de revolução a nível de género, sexo, raça e moralidade, ela tem de se lembrar que não é por ter três dragões que fica automaticamente capaz de tudo.

Daenerys dá a impressão de andar a passear pelo reino de Westeros, não controlando sequer o único trunfo que possui – os dragões. A sua narrativa parece demasiado fácil e altamente deslocada da história como um todo. Quer afirmar-se como uma mulher poderosa e independente, mas foram raras as suas decisões que de facto tiveram resultados positivos.

Enquanto atriz, Emilia Clarke consegue dar um charme feminino à série, mas a sua prestação baseia-se num par de tons de voz e em três ou quatro expressões faciais. Se a personagem já por si parece estar na ponta do prato, Emilia precisa urgentemente de mais firmeza enquanto atriz.

Wesley “Wes” GibbinsHow to Get Away With Murder

ano novo Wesley “Wes” Gibbins

Na primeira temporada, a personagem interpretada por Alfred Enoch é uma das que tem mais importância na resolução dos casos e nas próprias dinâmicas de grupo. Acaba por ser um líder, ainda que não de forma óbvia, uma vez que não tem as características que estamos habituadas a ver num líder. Não é especialmente carismático, não é um excelente orador, mas que foi um líder, isso foi!

No entanto, com o início da segunda temporada tudo mudou, precisamente porque nada aconteceu com a personagem. Todos os outros cresceram de forma a fazer-nos querer aprofundar as suas histórias individuais e prescindir do mistério que caracteriza a série. Todas menos Wes.

Sempre que parecia que algo ia acontecer com o mesmo, a inércia prevalecia. Após a morte/desaparecimento de Rebecca (Katie Findla) andou às voltas pelas diferentes linhas narrativas da série como um verdadeiro puppy, alcunha que Annalise (Viola Davis) e Bonnie (Liza Weil) lhe deram, e salvo um pequeno apontamento no último episódio deste mid-season esteve pouco presente.

Numa série que marca pelas mudanças constantes, esta é bastante premente. Escolham um caminho para Wes, vão para a frente com ele e desenvolvam-no, ou então a personagem tornar-se-á cada vez mais aborrecida.

Aria, Emily, Hanna e Spencer – Pretty Little Liars

ano novo pretty little liars

A primeira metade desta sexta temporada ficou marcada por uma revelação que parecia nunca mais chegar e que, apesar de tardia, chegou em 2015 por insistência dos fãs que estavam prestes a abandonar o barco. Deram-nos um A às três pancadas e agora de repente passaram cinco anos e as vidas destas cinco personagens avançaram. Tudo isto supostamente.

Pretty Little Liars tem-se tornado perita em surpresas que prometem muito, mas que não cumprem. As pontas são deixadas soltas por demasiado tempo para irem buscar assuntos de que já ninguém se lembra e isso automaticamente afeta a evolução das personagens.

Com o tempo a história foi ficando confusa e as personagens foram perdendo densidade. Nas últimas temporadas as protagonistas da série ficaram quase reduzidas à parte amorosa da sua vida, o que contribuiu para que mais uma vez os fãs ficassem saturados com a série.

Esperamos agora que este salto de cinco anos traga finalmente a tão esperada evolução e que isto não seja mais um plano furado.

Olivia Pope – Scandal

ano novo scandal

Olivia Pope (Kerry Washington) é a personificação de força, astúcia e perspicácia. Ou melhor, era. Finalmente está com Fitz (Tony Goldwyn), mas isso fez com que perdesse tudo aquilo que a identificava. Andou confusa, deixou-se melindrar por Mellie (Bellamy Young), que se apresenta agora com a maior potência feminina da série (o que antes parecia que nunca poderia acontecer), e pouco a pouco foi perdendo o lugar de protagonista.

Aconteceu também algo que seria inesperado em Olivia: ao ver que estava a perder o controlo, começou a chorar qual Madalena arrependida, e demorou tempo a mais do que é normal em si a resolver o problema.

No final decidiu que se devia separar de Fitz. Nós achamos que ela precisa é de se separar da Olivia desta temporada e voltar aos seus tempos de glória.

(Quase) Todo o elenco de Shameless (US)

ano novo shameless

A quinta temporada da versão americana de Shameless foi um autêntico tiro no pé. A série tem vindo a querer ser cada vez mais radical, rompendo com fronteiras, esquecendo-se muitas vezes do seu ponto de partido e deixando as suas personagens completamente irreconhecíveis.

Fiona (Emmy Rossum) namora com três ou quatro homens diferentes numa só temporada, mostrando-se indecisa em relação aos seus sentimentos e perdendo a integridade a que estávamos tão habituados. Carl (Ethen Kutkosky) e Debbie (Emma Kenney) estão a crescer demasiado depressa, tornando-se simplesmente irritantes e dando à série um gosto picante que certamente não precisa. Ian (Cameron Monaghan) anda às voltas com a sua bipolaridade e a sua história não anda nem desanda. Sammi (Emily Bergl) precisa urgentemente de sair da série e o regresso de Sheila (Joan Cusack) nunca foi tão crucial.

Kevin (Steve Howey), Veronica (Shanola Hampton) e Lip (Jeremy White) são os únicos que continuam a fazer as delícias do público, mantendo-se íntegros e tendo uma narrativa dinâmica e interessante. Restam saber se o trio consegue carregar a série às costas durante mais temporadas.

Stefan Salvatore – The Vampire Diaries

ano novo the vampire diaries

Protagonizado por Paul Wesley, um dos pilares masculinos da série de vampiros americana tem vindo progressivamente a perder o seu charme e, pior que isso, a sua relevância. Stefan tem-se assumido com um rapaz de recados, lidando passivamente com os desafios que lhe são postos à frente.

Para além disso, todos sabemos que Elena (Nina Dobrev) foi o amor da sua vida – e agora, numa só temporada, vai alternando entre Caroline (Candice King) e Valerie (Elizabeth Blackmore)? Onde está a coerência?

Damon (Ian Somerhalder) é tudo aquilo que nós queremos num protagonista masculino: tem momentos hilariantes, é um mauzão que luta por causas justas e é também capaz de mostrar o seu coração mole de quando em vez. Com um irmão assim, Stefan precisa urgentemente de mudar a roupa ou arrisca-se a perder por completo a luz da ribalta.

Artigo escrito por Helena Santos e João Miguel Safara.

Mais Artigos
The Walking Dead
‘The Walking Dead’. Vê o trailer do episódio final temporário