Entre clássicos recorrentes e estreias inesperadas, a televisão portuguesa não deixa passar em branco a época natalícia e presenteia os espectadores com vários dias de programação especial. Enquanto há quem acredite que o Natal não se faz sem a transmissão do Sozinho em Casa pela milésima vez, há também quem seja adepto de estreias e quem opte por clássicos nem sempre transmitidos com a frequência merecida. A equipa de TV&Media do Espalha-Factos escolheu alguns programas que considera essenciais nesta época.

André Pereira

Merry Christmas Mr. Bean

Se Mr. Bean é, só por si, uma série obrigatória para todos os fãs de comédia, o episódio Merry Christmas Mr. Bean é uma verdadeira referência nesta quadra. Raro será o jovem, nascido na década de 90 que não associe a série às manhãs de natal em família, ao assistir à famosa cena em que Bean (Rowan Atkinson) leva a grande árvore de Natal do centro da cidade para sua casa.

Mas se há momentos que ficarão para a história da televisão, em Merry Christmas Mr. Bean podemos assistir a uma que certamente fará parte dessa lista. Até porque ver Bean a preparar o peru de Natal para o jantar com a namorada (Matilda Ziegler) tem tanto de hilariante como de ternurento.

Mr. Bean chegou a Portugal, durante muitos anos, através da RTP1. Mas se pensarmos que a série original tem apenas 14 episódios, não deixa de ser curioso o facto de esta ter feito tanto sucesso ao longo das inúmeras repetições na estação pública.

Grinch

natal grinch

Quando pensamos nas sessões de cinema natalícias em família, Grinch é um dos títulos que imediatamente surgem. A história do monstro verde e da sua amiga Cindy Lou Quem (Taylor Momset) continua a encantar miúdos e graúdos, 15 anos depois da sua estreia.

Na história, Grinch (Jim Carrey) é uma criatura que odeia o natal e tudo o que envolve a quadra natalícia, vivendo no alto de uma montanha com o seu cão Max, numa caverna isolada do resto do mundo. Esta aversão ao espírito natalício deve-se ao facto de, em criança, ter sido gozado pelos seus colegas, no dia de natal, devido à sua aparência.

A vida de Grinch muda quando conhece a pequena Cindy, uma menina que vai levar até ao monstro verde mais querido da história do cinema – o Shrek que nos perdoe – o verdadeiro espírito de Natal. Mesmo que já não seja uma presença assídua nas grelhas das generalistas portuguesas, não será difícil encontrar este filme na programação de um dos canais de cinema por cabo.

Beatriz Ferreira

Bridget Jones

natal Bridget Jones

Não podíamos deixar passar este outro essencial da época natalícia (ou de qualquer época, na verdade – sobretudo para os solteiros ou românticos por esse mundo fora). Bridget Jones (Renée Zellweger) tem várias resoluções para o Ano Novo: perder peso, deixar de fumar e beber, encontrar o amor e… escrever um diário. Bridget não estava era à espera de se ver num triângulo amoroso, composto pelo mulherengo Daniel Cleaver (Hugh Grant), que por acaso é o seu chefe, e o seu amigo de infância Mark Darcy (Colin Firth), com quem perdeu o contacto.

Quer esteja solteira ou comprometida, Bridget Jones já nos faz companhia há vários Natais, ou não tivesse o filme sido um sucesso de bilheteiras. Renée Zellweger recebeu mesmo uma nomeação para o Óscar de Melhor Atriz Principal. Em 2004 saiu a sequela e no próximo ano chega o próximo capítulo: Bridget Jones’s Baby.

Gremlins

Da saga “Filmes que não saíram no Natal mas que se passam nessa altura do ano” está o Gremlins. Este clássico dos anos 80, que continua a atravessar gerações e a marcar presença nas programações televisivas desta época, prova que convém olhar sempre para o manual de instruções. Rand Peltzer (Hoyt Axton) decide, pelo Natal, oferecer ao seu filho, Billy, um animal aparentemente “fofinho”, um Mogwai. Mas há três regras fundamentais para lidar com estes bichinhos: não colocá-los perante luz forte, não molhá-los e nunca (mas nunca!) alimentá-los depois da meia-noite. O problema, claro está, dá-se quando estas regras são ignoradas pela família Peltzer. Se ainda não viste este filme repleto de humor negro, e algum terror, nós não desvendamos muito mais… mas não te deixes deslumbrar pela carinha destes animais.

Gremlins foi realizado por Joe Danta e produzido por Steven Spielberg, em 1984, e deu origem, no mesmo ano, a um videojogo. A sequela do filme veio em 1990.

Scrooged

E por falar em anos 80, também não podíamos deixar de fora a adaptação de conto A Christmas Carol de Charles Dickens, protagonizada por Bill Muray. Frank Cross (Bill Murray) é um nova iorquino profissionalmente bem sucedido, mas o mesmo não se pode dizer das suas relações interpessoais. Frank é insensível, impaciente e não gosta do Natal. Mas tudo parece mudar quando recebe uma visita no seu escritório de um fantasma, que o informa que outros três fantasmas o irão visitar no dia seguinte. É com eles que Frank repensará o seu passado, o presente e o futuro.

Este clássico de Dickens já conheceu outras adaptações natalícias que não queremos deixar de lado: em 1992, foram os Marretas que reavivaram o conto (em O Conto de Natal dos Muppets) e, mais recentemente, em 2009, foi Jim Carrey quem brilhou na adaptação animada (Um Conto de Natal).

Cátia Duarte Silva

Love Actually

natal Love ActuallyPodem dizer que o filme está farto de dar na televisão (mesmo fora da época natalícia) e que a cena mais romântica de Love Actually é na verdade uma sacanice. Podem dizer isto tudo. Não podem é não dar este filme no dia de natal (ou na véspera, claro). A premissa do filme é bastante simples: somos confrontados com várias histórias separadas mas que no final estão todas interligadas. Mas este não é um filme especial pelo enredo. É um filme especial pelos atores, pois vai desde os clássicos Colin Firth, Liam Neeson, Emma Thompson e Hugh Grant a nomes como Lúcia Moniz, Keira Knightley e Laura Linney, e pelas músicas. Love is All You Need, Christmas is All Around, All I Want For Christmas Is You e God is All Around fazem-nos sonhar com um natal com neve, com a família reunida à volta da lareira e com crianças a descobrir novos presentes. E, no fundo, é este o espírito da época, para miúdos e graúdos.

Clássicos Disney

Se no feriado a SIC já nos presentou com a história do sapatinho de Cinderela, a criança que temos em nós pede muito mais nesta quadra. Desde as aventuras debaixo do mar de A Pequena Sereia, à vontade de honrar a família de Mulan, às 101 pintas dos Dálmatas mais famosos do cinema, passando pela bravura de Hércules e pelas arábias de Aladin, o importante é ver estes filmes intemporais em família. E se os mais novos quiserem influenciar os adultos com as aventuras do reino de gelo, que seja. Ao dia 26, já passou.

Gonçalo Baptista

Die Hard

natal Die Hard

Se Sozinho em Casa é o filme essencial para um natal em família, as aventuras de John McClane em Nakatomi Plaza é a obra ideal para terminar o serão quando os mais pequenos já foram para a cama.

Lançado no final da década de 80, Die Hard vê o agente policial John McClane (Bruce Willis) envolvido com um grupo de criminosos que tomou de assalto Nakatomi Plaza na noite de véspera de natal e fez refém os seus ocupantes, entre os quais a esposa do protagonista. O que se seguem são mais de duas horas de ação e diversão com McClane a solo a tentar libertar os reféns.

Um clássico do cinema, Die Hard é tido por muitos como um dos melhores filmes de natal de sempre com publicações desde o Hollywood Reporter ao The Guardian ou a Forbes a colocarem-no no top 10 dos filmes da quadra festiva. Nós, no Espalha-Factos, concordamos que esta é, sem dúvida, uma das películas fundamentais da programação televisiva por entre as rabanadas e o bacalhau.

Rita Teixeira

Harry Potter e a Pedra Filosofal

Natal sempre (ou, pelo menos, desde 2001) foi sinónimo de Harry Potter e a Pedra Filosofal. O primeiro filme da saga do feiticeiro mais famoso do mundo dispensa apresentações – afinal, é difícil encontrar alguém que não tenha visto nem que fosse dez minutos.

Não se trata, claro, de um filme de Natal. Ainda assim, Pedra Filosofal, o mais family-friendly de todos os Harry Potters, apresenta uma atmosfera que o torna perfeito para ver nesta altura – talvez seja a magia de ver Harry, Ron e Hermione entrarem em Hogwarts pela primeira vez, talvez seja a cena do primeiro Natal de Harry com presentes ou mesmo a neve que cai sobre a escola de magia durante grande parte do filme.

O certo é que o hábito de assistir a este filme na véspera ou no dia de Natal é algo que ficou para sempre. Hoje em dia, a nostalgia faz sempre parte da equação quando se decide rever a Harry Potter e a Pedra Filosofal. Os canais de televisão parecem concordar, e continuam a passar o filme quase todos os Natais.