No passado dia 4 de dezembro, os vencedores do 21º Caminhos Film Festival foram anunciados. A edição de 2015 do festival contou com mais de 150 filmes em competição, sendo que Seleção Ensaios conteve obras de 30 nacionalidades diferentes.

O Júri da Selecção Caminhos, Ana Rocha, Gonçalo Galvão Teles, Joaquim Leitão, Lauro António, Maria Vieira, Marta Rebelo e Rita Loureiro decidiu atribuir o Grande Prémio do Festival Portugal Sou Eu ao filme Irmãos, de Pedro Magano. O prémio para melhor Longa-Metragem foi para Yvone Kane de Margarida Cardoso, com o filme a vencer noutras 3 categorias.

09f771ac2_13aaa5510020215

Lista Completa dos Vencedores do Júri da Seleção Caminhos:

  • Grande Prémio do Festival Portugal Sou Eu: Irmãos
  • Melhor Longa-Metragem: Yvone Kane
  • Melhor Documentário: Gipsolia
  • Melhor Curta-Metragem Recheio: Que Dia é Hoje
  • Melhor Curta-Metragem Turismo do Centro: A Última Árvore Analógica
  • Melhor Realizador: Miguel Gomes – As Mil e Uma Noites
  • Melhor Actor: Filipe Duarte – Cinzento e Negro
  • Melhor Actriz: Beatriz Batarda – Yvone Kane
  • Melhor Actor Secundário: Carlotto Cota – Montanha
  • Melhor Actriz Secundária: Luísa Cruz – As Mil e Uma Noites
  • Melhor Argumento Original: Miguel Gomes, Mariana Ricardo e Telmo Churro – As Mil e Uma Noites
  • Melhor Argumento Adaptado: Miguel Gomes, Mariana Ricardo e Telmo Churro – As Mil e Uma Noites
  • Melhor Direcção Artística: Ana Vaz – Yvone Kane
  • Melhor Fotografia: João Ribeiro – Yvone Kane
  • Melhor Guarda Roupa: Isabel Quadros – Capitão Falcão
  • Melhor Caracterização: João Rapaz – Arcana
  • Melhor Montagem: Ricardo Teixeira – Irmãos
  • Melhor Som: Hugo LeitãoPortugal – Um Dia de Cada Vez
  • Melhor Banda Sonora Original: Mário Laginha – Cinzento e Negro
  • Prémio Revelação: David MourãoMontanha

O júri distinguiu ainda a curta Provas, Exorcismos de Susana Nobre com uma menção honrosa.

O Júri da Selecção Ensaios analisou o que de melhor se produziu no último ano nas escolas de cinema nacionais e internacionais. O júri desta categoria foi constituído pelos atores Sílvia Almeida, Dinarte Branco e Afonso Pimentel e pelos realizadores João Antero e Ricardo Pugschitz de Oliveira.

Na categoria de Melhor Ensaio Visual venceu a curta-metragem Lingo de Vicente Niro, enquanto o prémio para Melhor Ensaio Internacional foi atribuído a When Sanam Cried de Fariborz Ahanin e Majid Sheyda.

O Prémio de Imprensa foi atribuído ao documentário de Manuel MozosJoão Benárd da Costa: Outros Amarão as Coisas Que Eu Amei, com a atribuição de uma menção honrosa a Torre de Salomé Lamas.

JOAO_BENARasasD_DA_COSTA_STILL1

Massimo Bernardoni e Odd Vaagland foram os jurados com a tarefa de distinguirem o melhor de todos os filmes que passaram pelo festival. O filme que elegeram como o vencedor supremo foi a curta-metragem O Assalto de João Tempera. Os jurados justificaram a sua escolha devido “à mensagem que transmite sobre a nossa própria humanidade, como um registo a preto e branco significa que a nossa existência não vive no maniqueísmo.”

Apesar de já ter sido feita a entrega de prémios, ainda será possível visitar, até dia 15 de dezembro, a exposição Os Anos d’Ouro do Cinema Português, que faz parte desta edição do festival.