Realizador e argumentista de 'O Leão da Estrela'

Leão da Estrela: O cinema não é ‘uma peça de museu’

Tiago Santos, argumentista de O Leão da Estrela, é perentório quando explica que fazer a trilogia dos clássicos é uma homenagem aos originais, e não uma versão. Considera que o cinema nacional “não deve ser visto como uma peça de museu na qual não se pode tocar”. 

Na Comic Con Portugal, no qual participou com Leonel Vieira, produtor e realizador, esta foi uma das reações à crítica negativa aos filmes e à comparação com os que lhes deram origem, produzidos durante os anos 30 e 40.

Vieira apresentará, no início de 2016, uma nova versão de A Canção de Lisboa e sublinhou que filmes como os seus têm contribuído para “uma maior pluralidade” na produção nacional. O realizador considera que há quem ache “que o cinema português deve ser apenas um género” e que isso tem de ser invertido.

Recusando comparações entre os filmes produzidos em Portugal e a indústria existente nos Estados Unidos da América, defendeu que a função do cinema é “revelar uma sociedade como cultura” e que, nesse campo, existem manifestas diferenças entre os dois países.

Acompanha a nossa cobertura diária de todas as novidades da Comic Con Portugal aqui no Espalha-Factos.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.