Adele lançou 25 a 20 de novembro e continua a bater recordes. Na primeira semana, a artista vendeu 3,38 milhões de cópias do novo álbum nos Estados Unidos. E, na segunda, juntou-lhe mais 1,11 milhões. Nunca tinha acontecido nada assim, regista a Nielsen Soundscan. 

Desde 1991, quando a consultora começou a auditar o mercado norte-americano, nenhum artista tinha vendido mais de 1 milhão de discos por duas semanas consecutivas. Adele já vai com quase 4,5 milhões.

25 vendeu, em sete dias, mais do que o último trabalho de Taylor Swift vendeu num ano inteiro – 1,79 milhões de discos.

Furacão Adele é universal

Os recordes têm sido batidos em todo o mundo. No Reino Unido vendeu 1,239 milhões em duas semanas, e 25 tornou-se no disco a alcançar mais rapidamente a marca de 1 milhão, de acordo com a Official Charts Company.

Em Portugal, os registos mais impressionantes vão para os concertos de 21 e 22 de maio. Os bilhetes para os dois espetáculos que dará na MEO Arena, com uma lotação de cerca de 18 mil espectadores, esgotaram num dia.

Dos quase 30 mil ingressos vendidos, estima-se que mais de 6 mil tenham ficado nas mãos de estrangeiros, garantiu Álvaro Covões, da Everything is New, à Lusa. Em todo o mundo estão a ser lançadas novas datas da cantora, numa tentativa de dar resposta à muita procura por parte dos fãs.

As vendas de discos em solo português foram de cerca de 6.000 exemplares até agora, alcançando o primeiro lugar do top e superando os D.A.M.A., avança a Blitz.

Na Alemanha alcançou o melhor registo para a primeira semana de um disco desde 2007, com 263 mil unidades vendidas e no Canadá vendeu 306 mil cópias, o melhor lançamento de sempre no país de Celine Dion.