Prejuízos nas duas publicações estão na origem da decisão tomada pelos accionistas detentores da empresa de media.

O dia 15 de dezembro será o último em que o jornal diário i e o semanário Sol estarão nas bancas. Os accionistas das publicações decidiram encerrar a dona de ambas, a empresa Newshold. No lugar destas duas marcas deverá surgir um novo projeto jornalístico que aproveita parte da redação quer do Sol, quer do i.

A decisão tomada foi comunicada aos funcionários das duas publicações esta manhã, durante um plenário. Na prática, o encerramento da empresa de media irá empurrar para o desemprego 120 trabalhadores, dos quais 80 são jornalistas e os restantes 40 funcionários de outros departamentos. Apenas 66 colaboradores, um terço dos quadros, continuará em funções no novo projeto que surgirá em substituição dos jornais que serão extintos.

No plenário foi também divulgado que os salários de novembro dos profissionais do i e do Sol serão pagos até ao final da semana. Já o subsídio de Natal irá chegar aos funcionários até à época festiva.

463407

Segundo a edição online do jornal Público, na origem do fecho da Newshold estão os “elevados prejuízos dos dois jornais, que em 2014 foram da ordem dos 4,4 milhões de euros no Sol, e dos 3,8 no i”.

A nova publicação, também anunciada no plenário de trabalhadores, incluirá duas edições, uma diária e uma semanal, não se sabendo para já se os nomes dos títulos atuais serão aproveitados para o novo projeto.

Os dados mais recentes da Associação Portuguesa de Controlo de Tiragens (APCT), até ao passado mês de agosto, indicavam que o i foi o único jornal a subir no número de exemplares vendidos em média diariamente: 3969, mais 530 do que em igual período do ano passado. Já o semanário Sol viu a sua circulação impressa cair dos 21.705 exemplares para 21.015. Em média, foram vendidos 23 mil jornais por semana durante 2015.