Todas as sextas feiras, o Casulo faz do Espalha-Factos a casa da música nova, acolhendo artistas dos mais variados ramos musicais, e dos quatro cantos do mundo. A tua descoberta musical desta semana tem lugar aqui e agora.

A poucas semanas da sexagésima edição, o Casulo dá-te a conhecer o som nacional dos DESERTO, bem como a peculiaridade dos Mirror Talk. Como é já costume neste espaço, haverá ainda lugar para um artista surpresa.

DESERTO

Deserto

Paulo Basílio, Miguel Sousa, Mário João e Jô Gonçalves são as quatro forças por detrás do potente rock dos DESERTO. A banda de Lisboa surgiu em 2012 e prima por cantar apenas e só em Português. Os DESERTO resultam numa junção de quatro gerações de músicos, inspirados, segundo afirmam, na vida suburbana em redor da Grande Lisboa. A maio de 2013, o grupo lançou o seu EP de estreia, homónimo. Passando pelas seis faixas que compõem o disco, o ouvido mais atento poderá notar que há algo mais para além da música, há emoção e crítica ao estado do país.

Em novembro do ano seguinte, os DESERTO viam o seu primeiro álbum a ganhar forma. O projeto mostra que o bom rock pode muito bem ser cantado em português. Mais uma vez provamos no Casulo que o rock nacional está de boa saúde e recomenda-se.

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=l2KGCW9LGF4?rel=0]

Confere aqui as datas dos próximos concertos dos DESERTO:

Deserto-tour

Mirror Talk

Mirror Talk

Casulo leva-te agora até aos anos 80 com o new wave dos Mirror Talk. É encantador ouvir a chuva de sintetizadores ao longo das faixas deste grupo de Los Angeles. Em 2013 estrearam-se com o EP Infatuation, com um estilo synthpop meio eletrónico, meio dance. O EP seguinte, 1997, agarra esta onda retrospetiva que nos faz relembrar, por exemplo logo na primeira faixa, o grupo Simple Minds e o seu Alive and Kicking.

Christopher Duncan

Christopher Duncan

O artista surpresa deste Casulo chega-nos de Glasgow. Por ser o último artista desta edição, poderá pensar-se que não é um artista tão bom como os acima apresentados. Desenganem-se: o jovem músico de 26 anos explora um género indietrónico, com toques de soul que fazem apaixonar qualquer um pelas suas melodias.Depois de lançar alguns dos seus temas a avulso, C Duncan lançou o seu álbum de estreia no passado mês de julho. Architect está nomeado para um Mercury Prize!