Heroes Reborn despede-se de 2015 com o novo episódio, intitulado 11:53 to Odessa, estreado no dia 19 de novembro. A série, criada por Tim Kring, é exibida originalmente no canal NBC e em Portugal no SyFy. O reboot que tem conquistado cada vez mais fãs estará de volta com os três últimos episódios a partir do dia 7 de janeiro.

Noah (Jack Coleman) está agora encarregue de Malina (Danika Yarosh) e recusa-se a confiar em Luke (Zachary Levi). Ainda assim, este último acredita que está destinado a ajudá-los na sua missão e decide segui-los. Enquanto isso, Tommy (Robbie Kay) acorda em casa de Erica (Rya Kihlstedt) e continua incapaz de usar os seus poderes. Eu sei que o nome verdadeiro de Tommy é Nathan mas, por uma questão de linearidade, continuaremos a chamá-lo pelo nome original.

Matt, Heroes Reborn

Erica explica que é impossível reverter os pólos magnéticos e impedir o fim do mundo. Como tal, ela usara os poderes de Hiro (Masi Oka) para construir uma ponte entre o presente e o futuro, de modo a colonizar um mundo pós-apocalíptico, e é isso que ela tenciona fazer agora com Tommy. A mulher sublinha que o fim do mundo é inevitável e que está nas mãos do jovem salvar parte da população.

Na mansão Sunstone, Taylor (Eve Harlow) e o resto do grupo tentam descobrir uma maneira de entrar à socapa, de modo a resgatar o seu líder, Micah (Noah Gray-Cabey). Lá dentro, Matt (Greg Grunberg) ameaça matar Carlos (Ryan Guzman) de modo a que Farah (Nazneen Contractor) confesse onde se encontra Malina, sendo incapaz de ler os seus pensamentos. Tudo isto é muito bonito mas acho que todos concordamos que o tempo de antena de Matt já devia ter acabado há muito tempo – ele não é minimamente convincente enquanto vilão.

No futuro, 7957 anos mais tarde, Miko (Kiki Sukezane) descobre a primeira cidade desenvolvida pela Renautas, chamada Gateway – em português seria algo como Portal. Na cidade, Miko descobre Hachiro Otomo (Hiro Kanagawa) e, para grande choque, descobre-se também a si própria – a verdadeira Miko. O seu pai explica que ela fora apenas uma criação e que a sua missão consiste em salvar o novo Mestre do Espaço e do Tempo. Coitada da jovem, anda lá a fazer de empregada de limpeza e nem sequer é uma personagem “a sério”.

Miko, Heroes Reborn

No tempo presente, Hachiro encontra Ren (Toru Uchikado) e dá-lhe uma chave para a Gateway, acrescentando que deve encontrar uma maneira de se dirigir ao futuro. Na mansão Sunstone, Taylor encontra uma entrada mas é rapidamente travada por Matt. Por sua vez, Carlos salva Farah e ambos se juntam a Taylor. Quando o trio está prestes a escapar da mansão, incapazes de salvar Micah, vêem-se confrontados com uma legião de clones de Harris (Clé Bennett).

Durante a sua viagem, Noah e Malina deparam-se com uma tempestade que ameaça matar dezenas. Durante o sucedido, Noah quase é atingido por um carro mas acaba por ser salvo por uma entidade desconhecida – não lhe vemos a cara. Malina, usando os seus poderes, consegue travar a tempestade mas a população cumprimenta-a com ódio, dizendo que os Evos são a causa das catástrofes actuais. A jovem acaba por ser salva por Luke. Enquanto isso, para desagrado de Erica, Miko surge para salvar o novo Mestre do Espaço e do Tempo: Tommy.

Digamos que o novo episódio de Heroes Reborn não conseguiu manter o ritmo dos seus precedentes, adiantando pouco à história. A junção de Carlos, Farah e Taylor foi uma combinação interessante e espero que seja algo explorado proximamente. Para além disso, foi bom ver novamente a união entre Malina e Luke. Mas este episódio apenas servir para introduzir a ideia de Gateway, enquanto as personagens andaram por lá a passear, cada um com a sua missão mas, para (não) variar, incapaz de a cumprir. Para além disso, tendo em conta que há dois episódios atrás assistíramos a uma profecia que dizia respeito ao encontro entre Tommy e Malina às 11:53 em Odessa, esperava que este episódio, graças ao título, fizesse referência a esse momento… mas pelos vistos não.

NOTA: 6/10