cosplay6

Cosplay e Amadora BD: Dois universos que se cruzam

Amadora BD – Festival Internacional de Banda Desenhada terminou dia 8 de novembro, mas após a análise à 26.ª edição, este ano a celebrar A Criança na BD, o Espalha-Factos continua a trazer surpresas, desta vez a retrospetiva de mais um desfile de cosplay dedicado aos personagens de banda desenhada, muitos dos quais figuram também no universo das séries de anime.

O que é cosplay?

Cosplay trata-se de uma abreviatura de costume play, traduzindo-se como uma representação de personagem, referindo-se à atividade lúdica que consiste em fantasiar-se de personagem real (artista) ou ficcional (personagem de animes, mangás, comics ou videojogos), interpretando-o, tanto quanto possível, através de maquilhagem, vestuário e quaisquer outras técnicas exigidas pelo seu alter ego.

A prática surgiu na primeira The World Science Fiction Convention, em 1939, quando Forrest J. Ackerman e Myrtle R. apareceram fantasiados, ele com um future costume e ela com uma versão do vestido presente no Things to Come, um filme de ficção científica. Mais tarde, o cosplay estendeu-se até ao universo dos fãs de fantasia e quadrinhos. A primeira vez que se ouviu o termo em Portugal foi em 1997, altura em que os fãs da cultura japonesa começaram a caracterizar-se como os seus personagens favoritos. Atualmente a APC – Associação Portuguesa de Cosplay promove a prática em território nacional, incentivando a presença em eventos como Iberanime, Anicomics e Amadora BD.

No passado dia 1 de novembro, decorreu um desfile de cosplay, no Amadora BD – Festival Internacional de Banda Desenhada. Às 16h, hora programada, já era possível encontrar cosplayers a passear pelo festival, apesar da chuva miudinha. O desfile foi adiado para as 17h30, no piso -1. Entretanto, foi possível abordar os fantasiados e várias foram as crianças e os jovens, faixas etárias talvez menos experientes e, por isso, mais curiosas, que os abordaram em busca de fotografias únicas e originais.

Naruto no Amadora BD

SONY DSC
Tommy e Daniela, cosplayers de Naruto, na companhia de duas jovens fãs. Na extremidade esquerda, cosplay de Kakashi Hatake, sensei de Naruto, e na direita, de Sasuke Uchiha, rival de Naruto

O termo mangá, de origem nipónica, deriva do resultado da união dos ideogramas man (humor) e (grafismo). A primeira pessoa a utilizar a palavra foi o artista Katsushita Hokusai, reconhecido pelas suas gravuras ukiyo-ê, «retratos do mundo flutuante» em sentido literal, vulgarmente apelidadas de estampa japonesa, trata-se de um género de xilogravura e pintura que prosperou no Japão entre os séculos XVII e XIX.

Kakashi Hatake e Sasuke Uchiha tratam-se de personagens masculinos de Naruto (1999), série de mangá japonesa escrita e ilustrada por Masashi Kishimoto, que conta a história de Naruto Uzumaki, um ninja que procura constantemente por reconhecimento, em virtude do seu sonho de se tornar Hokage, título que se refere ao líder político e militar da vila em que habita o protagonista. Foram, provavelmente, uma das maiores sensações, no Amadora BD, apesar das duas cosplayers nem sequer estarem inscritas no desfile e, por isso mesmo, não terem subido ao palco. Ainda assim, foram muito requisitadas pelos fotógrafos presentes.

Alice in the Country of Hearts e Sailor Moon também apareceram no festival

O videojogo de romance e aventura Alice in the Country of  Hearts – Wonderful Wonder World foi o mote para o cosplay de Manon, que interpretou Boris Airay, o cheshire cat. A adaptação para mangá, Heart no Kuni no Alice, publicada meses após o lançamento do jogo, foi ilustrada por Soumei Hoshino. Em 2011, surgiu o segundo mangá, intitulado Joker no Kuni no Alice: Circus to Usotsuki Game, com ilustração de Mamenosuke Fujimaru. Existe ainda uma versão alternativa, intitulada Alice in the Country of Hearts: My Fanatic Rabitt, escrita por Owl Shinotsuki e ilustrada por Delico Psyche. A história segue a experiência de Alice Liddell num País das Maravilhas em guerra civil, enquanto tenta descobrir como escapar àquela realidade e, claro, regressar ao seu mundo.

A mangá destaca-se, portanto, como fonte de estímulo para o universo do cosplay. Susana Gonçalves é outro exemplo de cosplayers que optaram por um personagem oriundo da banda desenhada japonesa, neste caso Sailor Cosmos de Sailor Moon, escrita e ilustrada por Naoko Takeuchi. A história, que gira em torno de jovens que combatem o mal com recurso a poderes mágicos, revelou-se um sucesso, mesmo em Portugal, com a transmissão do anime, intitulado Navegantes da Lua.

Por outro lado, um software de síntese de voz, desenvolvido pela Yamaha, foi outra das inspirações para alguns cosplayers, como um grupo de amigos que decidiu fantasiar-se dos seus personagens favoritos, apesar de não se tratarem de protagonistas com uma personalidade definida. Na verdade, trata-se de um produto destinado a músicos profissionais, mas que é cada vez mais utilizado por outros usuários. Miguel Marques e Steffy Amorim são fãs assumidos, interpretando Kaito e Hatsune Miku. Leonor Grácias, da Associação Portuguesa de Cosplay, deu corpo e voz a Megurine Luka, a personagem mais acarinhada de Vocaloid.

Manon como Boris Airay (Alice in the Country of Hearts), Leonor Grácias como Megurine Luka, Steffy como Hatsune Miku, Miguel como Kaito (Vocaloid) e Susana como Sailor Cosmos (Sailor Moon)

No desfile

Quando o desfile começou, os cosplayers, as suas famílias, amigos e ainda os restantes presentes, curiosos com as cores e os cortes, aproximaram-se do palco. Leonor Grácias foi a mestre de cerimónias, apresentando todos aqueles que arriscaram ser o centro das atenções. Desde a Harley Quinn ao Jack Sparrow, de uma estudante Slytherin, sem identidade, a duas entusiastas da cultura japonesa, o cosplay revelou-se diversificado e bem interpretado.

Filipe Sabino é o autor do cosplay de Jack Sparrow, um pirata criado pelos escritores Ted Elliot e Terry Rossio e apresentado em Pirates of the Caribbean: The Curse of the Black Pearl. Por sua vez, Rebeca Louro optou pela Harley Quinn, a supervilã inimiga do Batman e parceira de Joker no Universo DC. Foi também possível vislumbrar personagens como Mystique da Marvel. As inspirações eram múltiplas, desde banda desenhada americana a séries e cultura japonesa.

Onde podes encontrar o cosplay em Portugal?

O cosplay é ainda um nicho por explorar, mas não é apenas no Amadora BD que esta atividade lúdica, que exige criatividade e dedicação, é celebrada. O Iberanime, o maior evento japonês em Portugal, celebrou-se em outubro e a Comic Con Portugal (CCP), que se apresenta como a maior convenção de cultura pop do país, também recebe de abraços abertos todos os cosplayers que queiram homenagear, de uma forma diferente e muito especial, os seus personagens preferidos. Este ano CCP realizar-se-à dia 4, 5 e 6 de dezembro, na EXPONOR. Até dia 2 de dezembro, os bilhetes custam entre 20€ a 23€, aumentando até aos 25€ após a mesma data. Se ficaste interessado em experimentar, existem inúmeras lojas, sobretudo online, nas quais é possível adquirir produtos para cosplay, como a Cosplaymiu, a O Lobo Mau, a Neko e a Tsubaki.

Fotografias de Raquel Dias da Silva

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.