Estreou na passada quarta-feira, dia 11 de novembro, o espetáculo Allo, Allo!, baseado na sitcom britânica com o mesmo nome. A plateia do Teatro da Trindade encheu-se para a reabertura do Café René e viajou até à II Guerra Mundial.

Se já eras fã da série de televisão e queres regressar aos anos de 1982 a 1992, quando foi transmitida Allo, Allo! na BBC1, este espetáculo é para ti. Se nunca viste tens aqui uma boa oportunidade de conhecer a trama criada por David Croft e Jeremy Lloyd, e assistir a uma boa comédia, encenada por João Didelet e Paulo Sousa e Costa.

Tudo se passa na vila Nouvion, em França, durante a Segunda Guerra Mundial. João Didelet é René Artois, o dono do pequeno café onde decorre a ação. Ponto de encontro entre ativistas da resistência, soldados alemães, soldados aliados e oficiais da Gestapo, que desconhecem a presença uns dos outros, este café é palco de cenas hilariantes em que René tenta disfarçar a verdadeira identidade de todos.

Como se este corrupio não bastasse, nas catacumbas do café estão escondidos dois oficiais britânicos e, no piso de cima, está a sogra de René, para quem “não gosta de ser simpático”. No meio de toda esta azáfama, a personagem interpretada por João Didelet conta com três cúmplices: a mulher, Edith (Elsa Galvão), para quem “tem de ser simpático” e as duas empregadas, Yvette (Melânia Gomes) e Mimi (Sissi Martins), para quem “gosta de ser simpático”.

José Carlos Pereira é Herr Flick, um oficial da Gestapo, narcísico e autoritário, e Susana Borges a soldado Helga. Os dois formam uma dupla muito particular, ele pela fisicalidade própria, ela por estar apaixonada, apesar de manter a frieza digna de uma soldado alemã. Já Oceana Basílio dá corpo a Michele, uma mulher séria, que tem planos mirabolantes para captar Hitler.

Toda a narrativa se desenrola em torno de uma salsicha alemã em decomposição que contém o retrato valiosíssimo da Madona Caída com grandes mamas. Entre tanta acção e confusão, uma visita inesperada de Hitler é a cereja no topo do bolo! E, para adoçar o apetite, podemos revelar que no fim se encontram não um, mas vários ‘Hitlers’ no Café René.

allo allo

Allo, Allo! é um espetáculo para todas as gerações, uma comédia hilariante e com sentido de humor inteligente. A garantia de uma noite divertida. A estreia esgotou a sala principal do Teatro e no fim a plateia aplaudiu de pé. Um “elenco de luxo” nas palavras do encenador, composto por João Didelet, Elsa Galvão, Oceana Basílio, José Carlos Pereira, Filipe Crawford, Suzana Borges, Sissi Martins, Ruben Madureira, Melânia Gomes, José Henrique Neto, Pedro Pernas e Luís Pacheco. A produção é da Yellow Star Company.

Como é muitas vezes escutado na peça, “Ouçam com atenção, só dizemos isto uma vez”: a peça está em cena até 27 de dezembro no Teatro da Trindade, de quarta a sábado às 21h30, e domingo às 18h00. Os bilhetes custam entre 9,50€ e 18€. Mas atenção! Apressa-te porque podem desaparecer “como um fantasma na madrugada”.

O Espalha-Factos esteve presente na estreia e mostra-ta agora algumas das figuras públicas que não faltaram à chamada.

Fotografias de cena:  Yellow Star Company

Fotografias da estreia: Matilde Ferreira