Decorre entre os próximos dias 13 de novembro e 12 de dezembro o Festival de Teatro do Seixal, uma iniciativa que pretende apostar na descentralização, para que seja possível levar o teatro a toda a população.

São nove as peças de teatro que serão apresentadas em vários palcos do concelho do Seixal, num festival que a Câmara Municipal afirma ser “um evento abrangente” e cuja programação “acolhe atores e grupos consagrados, bem como grupos do concelho que, embora amadores, contam já com uma vasta carreira artística”.

Vê quais as peças que estarão em cena no festival:

Reforma Agrária. 40 Anos. Três Vozes de Teatro

reforma agraria

Os primeiros a subir ao palco são Victor Zambujo, Rosário Gonzaga e Álvaro Côrte-Real, os atores que na peça Reforma Agrária. 40 Anos. Três Vozes de Teatro se propõem a partilhar as memórias de jovens artistas de teatro no Centro Cultural de Évora durante os anos da Reforma Agrária. Para ver no dia 13 de novembro, às 21.30 horas, no Fórum Cultural do Seixal.

O Melhor da Revista à Portuguesa

O Grupo Cénico José Viana é composto por atores, bailarinos e cantores amadores que, pelo “amor” ao teatro e à música, trabalham para não deixar morrer os artistas nacionais. Têm como patrono o ator José Viana que sempre apoiou este grupo, funcionando como uma continuação do seu trabalho. No dia 14 de novembro, às 21.30 horas, apresentam-se na Sociedade Filarmónica União Seixalense, para mais uma vez homenagear os artistas portugueses.

Rádio Cabaret

2_Foto_Rádio-Cabaret-1024x466

Rádio Cabaret é um espetáculo do Teatro das Beiras, construído a partir dos elementos mais representativos da obra do comediógrafo alemão Karl Valentin. O carácter “clownesco” e multidisciplinar medeia o universo ficcional, em que o absurdo e o fantástico coexistem. Acontece no dia 21 de novembro, às 21.30 horas, na Sociedade Filarmónica União Arrentelense.

O Homem Que Olhou para o Céu e… Elas

A proposta para dia 27 de novembro é da Companhia Almagesto. A Escola Básica de Vale de Milhaços serve de palco à peça O Homem Que Olhou para o Céu e… Elas, que retrata visão de um homem sobre o mundo que o rodeia e a luta para sobressair no mundo decadente em que todos vivem.

Aqui Também Cheira a Lisboa

Um espetáculo de revista à portuguesa levado a cena por 14 jovens atores, que dão corpo a personagens baseadas na cultura portuguesa. Cenas de cariz cómico, satírico e de crítica política e social são reinterpretadas no Centro Cultural e Recreativo do Alto do Moinho, dia 28 de novembro, pelo Grupo de Teatro CCRArtes e Magias.

Variações de Amor

Os Trabalhadores de Sonhos apresentam, dia 4 de dezembro, na Sociedade Filarmónica Operária Amorense, a peça encenada por Paula Perdigão. Uma compilação de histórias de amor, ficcionadas em contexto de comédia.

A Minha Escola

a minha escola

Dia 5 de dezembro, no Cinema S. Vicente, às 16.30 horas, é a vez do Projeto (Des)dramatizar apresentar uma viagem ao passado. Uma retrospetiva à aprendizagem das primeiras liberdades. Criaturas humanas que exibem sem vergonha os segredos do passado e os excessos da infância.

Guerra É Guerra

guerra é guerra

A produção do Teatro Extremo sobe ao palco para apresentar Guerra É GuerraFrei Bernardo está inconformado com a ocupação francesa. Joanico é um sem-abrigo lisboeta e é protegido pelo frade Frei Pacheco, uma personagem batalhadora e dinâmica. E ainda encontramos nesta história a cantora de ópera Luísa Todi. Todas estas personagens fazem parte de um percurso que relata episódios das invasões francesas e nos conduz pelo país para conhecer os locais, os acontecimentos e os intervenientes da guerra. Para ver no dia 11 de dezembro no Clube Recreativo de Cruz de Pau.

Ana Bola sem Filtro

ana bola

Para encerrar o festival, dia 12 de dezembro, é chamado ao palco do Centro Cultural do Seixal um nome bem conhecido da comédia portuguesa. Ana Bola apresenta um monólogo, escrito por si, uma crítica à situação que muitos atores têm de enfrentar atualmente. Este é um espetáculo interpretado, obviamente, de uma forma divertida.