A Noite das Mil Estrelas, de Filipe La Féria, estreou em abril e continua a brilhar no Casino Estoril. Uma homenagem a um espaço pelo qual já passaram grandes nomes da aristocracia europeia, exilada em Portugal, e grandes artistas da música internacional. Dos anos 30 à atualidade, de acontecimentos históricos a concertos, revisita-se a história do país no Salão Preto e Prata cheio de glamour, lendas e músicas.

A Noite das Mil Estrelas não podia começar da melhor forma. Com um número dedicado à magia do teatro e a todos aqueles que em palco são “reis, deuses, criadores”. Alexandra, Vanessa (substítuida, no dia 25 de outubro, por Inês Herédia), Dora, Gonçalo Salgueiro, Pedro Bargado, Rui Andrade, David Ripado, Cláudia Soares, João Frizza e Catarina Mouro são os nomes que se destacam num elenco de estrelas. Da dança à representação e interpretação musical, existiu ainda espaço para, com números de suspensão sobre a plateia, um pouco de acrobacia.

A história do Casino Estoril, um dos mais célebres da Europa, começa em 1931, ano da sua inaguração, graças a Fausto Figueiredo, empresário e grande animador do turismo português, que um dia concebeu o projeto de fazer do Estoril uma estância turística de nível internacional. Na altura, a região era a última paragem do comboio Sud Express, um serviço ferroviário que liga Lisboa à localidade francesa de Hendaia, junto à fronteira entre Espanha e França. A praia do Tamariz, uma das mais cosmopolitas do concelho de Cascais, consagrou-se como o ponto turístico das elites sociais da época, retratada neste espetáculo de forma colorida e entusiasta, num desfile de “tias” em fatos de banho vintage.

Desfile de “tias” em fatos de banho vintage em A Noite das Mil Estrelas

Num cenário manchado de vermelho, relembram-se os anos em que o Estoril abrigou refugiados políticos, que eram visitados por familiares e amigos na época balnear, antes e durante a Guerra Civil de Espanha. Pela zona desfilou ainda a premiada atriz norte-americana Grace Kelly, os pretendentes do trono de Espanha e Itália e Sofia da Grécia, cujo esposo, o rei Juan Carlos, viveu grande parte da sua infância em Cascais, sendo muito acarinhado no Estoril, frequentador da praia do Tamariz e das sessões de cinema e teatro que havia no Casino. Um período marcado por rumores e jogos políticos, que viriam a inspirar Ian Fleming, conhecido por criar a série de romances de espionagem James Bond. O eixo Estoril-Cascais vingar-se-ia como recreio das elites europeias durante e após a Segunda Guerra Mundial.

Celebra-se também a música e o cinema com Gloria Swanson, estrela de Sunset Boulevard, realizado por Billy Wilder, no qual interpretou Norma Desmond, uma decadente atriz da era do cinema mudo. Um espetáculo musical emocionante que evoca a famosa última cena daquele que é considerado um dos filmes mais notáveis da indústria americana.

“Basta olhar para os meus olhos para ver quem sou e o que quero dizer”, cantou Alexandra no primeiro solo da noite

Segue-se uma referência a António de Oliveira Salazar, alegado responsável pela construção da Estrada Nacional n.º 6, mais conhecida por Avenida da Marginal, que liga Cascais a Lisboa. Continua-se com uma performance musical, protagonizada por Inês Herédia, que relembra a Costa do Sol, em particular o Estoril, como o palco estratégico das redes de espionagem quer dos Aliados quer do Eixo. Invoca-se José Teodoro dos Santos, ou Teodoro das Malas, capitalista português que iniciou carreira a vender malas em Lisboa e, enriquecido, adquiriu em 1958 a concessão de exploração do Casino Estoril, e brinda-se ao carnaval dourado da linha.

Para terminar, sucedem-se inúmeras exibições musicais de artistas nacionais e internacionais que, um dia, atuaram no Salão Preto e Prata. Destaca-se Amália Rodrigues, porque “todos nós temos Amália na voz”, como declarou António Variações; a brasileira Mayza Matarazzo, que atuou no Casino na noite em que o seu marido faleceu; Liza Minelli, interpretada por Inês Herédia, que continua a provar o seu talento artístico; Nina Simone e Diana Ross, ambas cantoras de soul e jazz. É de realçar ainda a invocação do concerto inspirado em Mozart, que a Orquestra Metropolitana de Lisboa protagonizou no Casino Estoril, e, simultaneamente, da música Rollin’ on a river, dos Creedence Clearwater, performance fantástica quer a nível musical e coreográfico como de figurinos; e, sobretudo, o Ciclo da Vida, do filme Rei Leão, que surpreendeu o público com as entradas dos animais por vários cantos da sala.

Destaca-se Amália Rodrigues, porque “todos nós temos Amália na voz”, como declarou António Variações em A Noite das Mil Estrelas

Um baú de memórias, para os que viveram os acontecimentos, e de histórias, para os que as ouvem pela primeira vez. A Noite das Mil Estrelas permanece, no Salão Preto e Prata do Casino Estoril, até dia 20 de dezembro, domingos às 17h, de quinta a sexta às 21h30 e sábados às 17h e às 21h30. Os bilhetes custam entre 10 euros (4.º balcão) e 35 euros (balcão central), podendo ser adquiridos através da bilheteira online.

Fotografias de Raquel Dias da Silva