DSC96451

8 fantasmas que ainda hoje assombram os Teatros

Sim, sim, sim… Castelos, florestas e cemitérios podem ser muito assustadores, mas não há nada mais arrepiante que a história de um velho Teatro assombrado!

Os relatos de aparições fantasmagóricas são já um clássico pelos palcos de todo o mundo, mas talvez fiques surpreendido com a diversidade existente no panorama espetral… O Espalha-Factos não quer que te falte nada e neste Halloween reuniu as mais fantásticas histórias de fantasmas de Teatros, e nem Portugal conseguiu escapar a estes (não tão) amiguinhos do além!

1 – “O Homen de Cinzento” do Royal Theatre (Londres, Reino Unido)

1-horz-horz

Aberto desde 1663, este é o Teatro mais antigo de Londres ainda em funcionamento e o lar de um dos mais conhecidos fantasmas do mundo do espetáculo, um cavalheiro de vestes oitocentistas conhecido como “The Man in Grey” (“O Homem de Cinzento”). A sua identidade ainda é  um mistério, mas quando foi descoberto um esqueleto cercado por um punhal e roupas cinzentas, durante as obras de renovação do teatro, surgiu a teoria de que seria um jovem amante de uma bela atriz, assassinado pelo coprotagonista masculino que também estaria apaixonado por esta. “O Homem de Cinzento” é estimado por todos no Royal Theatre pois diz-se que traz sorte a um espetáculo sempre que aparece na sua estreia.

2 – O Fantasma da Ópera do Palais Garnier (Paris, França)

Phantom of the Opera 25th Anniversary performed at The Royal Albert Hall

Há suspeitas de que a célebre história do Fantasma da Ópera, de Gaston Leroux, seja tudo menos ficção. Por baixo do edifício deste Palácio da Ópera francês existe mesmo um grande tanque de água e há quem diga que um rapaz de face deformada, que teria ajudado na construção do edifício, habita um compartimento secreto na parte subterrânea do Teatro. A história fica mais horripilante se acrescentarmos que, em 2007, foi descoberta uma coleção de gravações de algumas das cantoras mais famosas daquela Ópera nas caves onde o fantasma supostamente circulava…

3 – A Femme Fatale do New Amsterdan Theatre (Nova Iorque, EUA)

3-horz

Vencedora do concurso de “Rapariga Mais Bonita de Nova Iorque”, a femme fatale Olive Thomas rapidamente se tornou numa atriz de sucesso no teatro e no cinema, nos loucos anos 20. A sua morte “acidental” por envenenamento, aos 25 anos, deixou muitos corações destroçados. Diz-se que, mesmo depois da morte, Olive não quis abandonar a folia do mundo do espetáculo e instalou-se no New Amsterdan Theatre, onde aparece apenas aos homens, para os assombrar, carregando consigo o veneno que a matou…

4 – O Empresário Falhado do Boston University Theatre (Boston, EUA)

4-horz

Um enforcamento nos bastidores deu origem à lenda que assombra o Boston University Theatre. O fantasma deste Teatro pertence a um empresário australiano chamado Henry Jewett que se mudou para os EUA à procura do sonho americano, mas chegado à terra prometida o projeto falhou e a sua companhia de teatro faliu. O desgosto levou Jewett ao suícidio no teatro onde não conseguira vingar. Consta que o seu espírito gosta de assistir aos ensaios sentado sempre na última fila e de apagar subitamente as luzes do teatro.

5 – As Almas Penadas da Casa da Ópera Huguan Huiguan (Pequim, China)

5-horz

O Teatro mais assombrado da China foi erguido no século XIX e, na altura, era uma casa de acolhimento para os pobres. Houve um pormenor relevante cujas implicâncias fantasmagóricas devem ter escapado ao arquiteto que o projetou. Foi construído por cima de um cemitério. Os mortos que ali repousavam não parecem ter ficado nada satisfeitos com os novos inquilinos e ainda hoje, no pátio do teatro, se ouvem os gritos e lamentos dos espíritos incomodados.

6 – “O Menino do Som” do Teatro da Cidade do México (Cidade do México, México)

6-horz

É considerado Património Cultural da Humanidade e um dos mais belos edifícios do centro histórico da Cidade do México, mas é também um dos Teatros mais assombrados do país. Os técnicos de som do Teatro da Cidade do México são os mais atormentados pelo espírito que ali paira: uma criança perdida. Consta que os microfones e auriculares foram abolidos no Teatro, porque sempre que os técnicos utilizam estes aparelhos para comunicar, eles ouvem a voz de um menino que chama cada um pelo seu nome e lhes pede que brinquem com ele…

7 – O Elenco Fantasma do Teatro Amazonas (Manaus, Brasil)

7-horz

Pior do que um fantasma só um conjunto deles, mas não quando o único propósito da assombração é o amor à arte! Segundo a História, era normal os artistas europeus que se deslocavam ao Brasil para atuar sucumbirem a doenças tropicais e acabarem por morrer naquelas terras. Ao que parece, a maioria preferiu permanecer no paraíso tropical após a sua morte e formou-se, literalmente, um elenco de fantasmas de antigos atores do Teatro Amazonas, que escolheram dedicar a sua pós-vida àquilo que sempre os apaixonou, o Teatro! Todo o santo (passo a expressão) final de ano, que coincide com a data de aniversário do teatro, é comemorado pelo elenco fantasmagórico com a encenação da ópera La Gioconda, ora dirigida pelo fantasma de Benário Civelli, que morreu de febre-amarela, ora dirigida pelo espetro de Genivaldo Encarnação, morto numa duelo.

8 – O Bombeiro Fantasma do Teatro da Trindade (Lisboa, Portugal)

8-horz

No “nosso” Teatro da Trindade temos a história de uma assombração semelhante à do “Homem de Cinzento” mas com um “Homem de Vermelho”. Conta-se por aí que, há muito tempo atrás, um apaixonado bombeiro se suicidou por amor a uma cantora que atuava no Teatro da Trindade. Depois de morrer, a alma do bombeiro viajou até ao encontro da sua amada e, desde então, permanece na Trindade. Depois dos ensaios e espetáculos, quando a sala se esvazia, se escutarmos com atenção, conseguimos ouvi-lo mover as cordas e fazer chiar os cabos nos bastidores…

Mais Artigos
the flight attendant
‘The Flight Attendant’. Kaley Cuoco de volta em thriller com humor da HBO