18

Casulo #52: Especial Primeiro Aniversário

A tua rubrica de música de sexta feira celebra esta semana um ano de existência! Tem sido um ano com imensa música nova, e excelentes artistas que começam a dar que falar no mundo musical. As sextas feiras nunca mais foram as mesmas com o Casulo.

A edição desta semana terá um cunho pessoal. Por aqui já passaram imensos artistas e bandas dos quatro cantos do mundo. Nesta edição de aniversário vou proceder ao meu top 10 dos melhores artistas do Casulo. A contagem decrescente começa agora!

 10 – Oceáan (Casulo #11)

OceáanRecuamos até 19 de dezembro, até à edição de inverno do Casulo. Oceáan encantou com o seu EP The Grip. O neo-soul com apontamentos eletrónicos e uma vibe única não me deixaram indeferente. Ainda hoje oiço temas como Veritas ou Candour.

O cantor e produtor tem dado alguns concertos pelo Reino Unido e tem publicado alguns remixes na sua página do Soundcloud.

9 – Racoon (Casulo #42)

RacoonEste nome tinha obrigatoriamente de constar nesta lista! Fiquei completamente rendido ao som de Racoon. Uma lufada de ar fresco no panorama da nova música nacional. A sonoridade evasiva, suave, bem ao estilo de James Blake são aspetos bastante positivos a salientar no jovem músico português. Lupus é a minha faixa favorita de No Honor Among Thieves:

Racoon juntou-se no verão passado à plataforma Tradiio e participou na música Capuchos XXI do seu amigo João Tamura. Podes ouvir a música aqui.

Disse-o há uns meses e volto a repeti-lo: “Decorem o nome, que este poderá ser apenas o início de uma grande carreira musical.”.

8 – Misun (Casulo #33)

MisunA mistura entre RnB e um estilo psicadélico espetacular fez com que os Misun merecessem um lugar aqui. After Me fez parte da banda sonora do meu último verão. Porém, qualquer música do grupo de Los Angeles são argumentos suficientes para ficar a adorar a sua sonoridade alternativa.

Porém, nem tudo é um mar de rosas. Os Misun anunciaram recentemente o seu fim nas redes sociais. Oxalá isso não passe de uma brincadeira.

7 – denitia and sene. (Casulo #28)

denitia and sene


Penso que depois de ouvir este EP são dispensadas todas e quaisquer palavras acerca do duo denitia and sene. É a combinação perfeita entre o RnB, o pop eletrónico!

6 – Norton (Casulo #27)

NortonVoltamos ao talento nacional. Os Norton são a banda albicastrense da vigésima sétima edição do Casulo. indie rock poderá ser a forma mais fácil de definir o registo do grupo, mas nada fazia prever esta reviravolta mais eletrónica e obscura, num cover ao tema dos The Underdog Project. Fiquei completamente “agarrado” a esta música desde que a descobri para a rubrica.

5 – Mirror People (Casulo #26)

MirrorPeopleEis um exemplo de  um artista que já dá cartas na música. O projeto musical de Rui Maia já pode ser escutado em algumas estações de rádio nacionais e mesmo na BBC Radio 6 Music. O músico já se fez ouvir no Portugal 3.0 da RTP 2, no Autores Fora D’Horas da Sic Notícias, e mesmo na redação do Observador. O verão 2015 fica marcado pela presença de Mirror People nos festivais Lisb-ON, Vodafone Paredes de Coura  Super Bock Super Rock.

Ouve agora a mais recente mixtape produzida por Rui Maia:

4 – Flyte (Casulo #8)

FlyteChegamos agora ao grupo de artistas que ainda hoje oiço com frequência. Os Flyte apareceram na oitava edição do Casulo e foi apresentada como uma jovem banda que já começava a acumular algum sucesso. O grupo de Londres continua a dar que falar, com algumas aparições em revistas e estações de rádio, nomeadamente a BBC Radio One. O grupo convenceu-me logo com o o tema Light Me Up, mas o talento da banda não se fica por aí. Please Eloise, por exemplo, é uma múscia alegre e festiva, que transmite imensa energia e que deve fazer parte da playlist de qualquer um.

3 – The DØ (Casulo #25)

The DoA música dos The DØ é simplesmente viciante. Apesar de já terem alguns anos de carreira, apenas tive a oportunidade de conhecer o talento fabuloso deste grupo francês. A sonoridade é algo entre o rock, o synth pop e o registo eletrónico. Shake Shook Shaken é um disco, no mínimo, perfeito. O alinhamento conta uma história, as músicas são espetaculares, enfim, não apresenta quaisquer falhas. Esta semana o grupo lançou uma curta metragem inspirada no álbum. O trabalho é, no mínimo, surpreendente.

Depois de uma bateria de concertos durante o verão, os The Dø ainda não pararam, com atuações esgotadas em França e um concerto agendado para Copenhaga.

2 – Ásgeir (Casulo #3)

ÁsgeirRecuamos agora até aos primórdios da rubrica. Ásgeir Trausti foi sem dúvida um dos artistas mais marcantes do Casulo. Há já alguns meses que ouvia as várias canções que compõem o seu álbum, In The Silence, e dar a conhecer aos leitores do Espalha-Factos esta pérola musical dos países nórdicos tornou-se rapidamente uma obrigação. O som profundo das músicas de Ásgeir é irresistível. Ouvindo uma ou outra faixa, o ouvinte dá por si a ouvir o álbum completo.


O artista islandês já anunciou no Facebook que se encontra em estúdio a trabalhar no seu próximo álbum. Esperemos que seja tão bom ou melhor que o último.

1 – HONNE (Casulo #6)

HonneChegamos ao topo da tabela com os ingleses HONNE. Foi através de músicas como Warm On A Cold Night que fiquei completamente fascinado pelo neo-soul com alguns resquícios eletrónicos. O duo tem continuado a lançar temas a avulso no Soundcloud e há cerca de um mês lançou o EP Over Lover. Cada faixa é uma surpresa agradável. Andy James conseguem manter o registo de sempre e mesmo assim inovar continuamente nas suas músicas.

O Casulo em números

157 artistas apresentados, dos quais

111 são internacionais, e

46 são portugueses.

52 edições publicadas.

19 países representados, com grande concentração na Europa.

Zeen is a next generation WordPress theme. It’s powerful, beautifully designed and comes with everything you need to engage your visitors and increase conversions.

Mais Artigos
Catarina Furtado na Eurovisão 2018
Óscares 2021. RTP prepara emissão de luxo com Catarina Furtado e Mário Augusto