O novo episódio da quinta instalação de American Horror Story, intitulado Chutes and Ladders, estreou no dia 14 de outubro no canal FX, e veio revelar as origens do Hotel Cortez numa viagem a preto e branco à década de 1920.

O episódio começa com um desfile de moda organizado no hotel por Will Drake (Cheyenne Jackson) e Claudia Bankson (Naomi Campbell). A estrela principal do desfile é Tristan (Finn Wittrock), um toxicodependente que chama à atenção da Condessa (Lady Gaga).

A dona do hotel transforma Tristan num da sua espécie – semelhante a vampiros, alimentando-se de sexo e sangue de modo a permanecer jovem, mas mantendo a sua mortalidade. Donovan (Matt Bomer) descobre o sucedido e, após uma cena de ciúmes, a Condessa termina a relação com intenções de ficar com Tristan.

A2

Scarlett, a filha do detetive John Lowe (Wes Bentley), escapa ao desfile e descobre uma sala no hotel com caixões, onde as famosas crianças de cabelo loiro platinado estão a dormir. Entre elas está Holden, o irmão desaparecido de Scarlett. A jovem tenta convencer o irmão a voltar para casa e, quando conta o sucedido aos pais, estes não acreditam, continuando a dizer que Holden está morto.

Entretanto, John decide prender Iris (Kathy Bates) pelos acontecimentos sinistros que têm acontecido no hotel, mas volta atrás na sua decisão quando esta decide explicar a história por detrás do edifício.

Num flashback a 1920, conhecemos James March (Evan Peters), o construtor e original dono do Hotel Cortez. O hotel era um pretexto para James satisfazer as suas necessidades de torturar e matar pessoas, construindo infraestruturas que esconderiam os cadáveres – muito ao estilo da sala de barbear de Sweeney Todd.

Após a polícia descobrir os eventos do hotel, James decide matar-se a si e à sua fiel empregada, Miss Evers (Mare Winningham). À semelhança de Sally (Sarah Paulson), ambos ficam presos no edifício em forma de fantasma.

A1

Após uma das suas vítimas se apresentar como altamente religiosa, James March decide cometer os seus assassínios segundo passagens bíblicas. O episódio termina com o detetive John Lowe a concluir que a série de homicídios que têm ocorrido no tempo presente são obra do Assassino dos Dez Mandamentos, que pretende continuar o trabalho inacabado de March.

O novo episódio de Hotel não se distancia significativamente do anterior em termos de virtudes e defeitos. A atmosfera do Cortez é altamente contagiante e a temporada ganha em muito pela sua vertente visual. Para além disso, foi bom ver uma série explorar uma narrativa completamente centrada em crianças, sobretudo sabendo que tratamos de um universo de terror.

Ainda assim, as personagens de Hotel não são tão contagiantes como o edifício em que vivem. Lady Gaga não tem surpreendido enquanto atriz e isso faz com que a série careça de uma figura protagonista. E quando é que os criadores aprendem de uma vez por todas que sexo, sangue e drogas não são a garantia para uma narrativa bem-sucedida?

NOTA: 6/10