O quarto episódio de Heroes Reborn, intitulado The Needs of the Many, foi exibido na NBC no dia 8 de Outubro, e digamos que não veio propriamente contribuir para o passo já de si lento que a série tem vindo a ter.

Após um acidente de viação com a sua mãe, Tommy (Robbie Kay) vai para o hospital e é informado que a sua mãe precisa de uma transfusão de sangue. Tommy decide fazer o teste, arriscando revelar que é um Evo (humano com poderes). Emily (Gatlin Green), a paixão platónica do jovem, mostra-se preocupada com a situação e ambos partilham o primeiro beijo. Após o resultado do teste de sangue ser anunciado, as autoridades descobrem a verdade sobre Tommy e começam a persegui-lo.

H1

Luke e Joanne (Zachary Levi e Judith Shekoni) continuam na sua caça aos Evos, mas o feitiço virou-se contra o feiticeiro agora que sabemos que Luke é um deles. O homem tenta dissuadir a esposa, de modo a que ela não descubra a verdade, mas esta mostra-se fiel à sua missão. As suas perspectivas divergentes começam a agitar o casamento e o casal acaba por se separar, seguindo cada um o seu caminho.

Carlos (Ryan Guzman) continua com o seu disfarce de El Vengador, desenvolvendo agora um fato que lhe atribui uma força sobre-humana. O seu sobrinho, também ele um Evo, descobre a verdade e confronta o tio. Carlos, segue pela ambição de ser um herói, abandona o sobrinho na oficina, e este, em conjunto com o Padre Mauricio (Carlos Lacamara), acaba por ser capturado por um grupo de homens também com a missão de perseguir Evos.

Noah (Jack Coleman), com a ajuda de Taylor (Eve Harlow) e Quentin (Henry Zebrowski), consegue penetrar o edifício da Renautas e lá descobre um largo número de Evos capturados. Os sobre-humanos estão presos a umas camas que possuem uma tecnologia inovadora capaz de lhes absorver os poderes. Entre eles está Molly Walker (Francesca Eastwood), que ganha consciência e diz recusar-se a ser um peão no plano de Renautas.

H2

Acompanhamos também a história de Malina (Danika Yarosh) e Farah (Nazneen Contractor), que têm estado a trabalhar juntas no círculo árctico. Farah tem o poder da invisibilidade e Malina tem um poder ainda por desvendar (mas já a vimos ressuscitar borboletas e fazer crescer árvores), que aparentemente será a salvação da humanidade.

O final do episódio informa-nos que o plano de Renautas acabará por destruir não só os Evos mas toda a humanidade e que o poder de Malina é, de alguma forma, o trovão para que tal não aconteça. Os heróis – entre eles Noah, Malina, Tommy, Carlos e Miko (Kiki Sukezane) – assistem a uma aurora boreal a nível mundial que parece marcar o início do fim. Após Molly Walker cometer suicídio, vemos um jovem no Canadá cujo poder parece ter sugado toda a sua vida, tornando-se “não-humano”.

O quarto episódio de Heroes Reborn veio, à semelhança do anterior, estabelecer a ameaça que se impõe sobre os protagonistas, opondo, muito ao jeito da série original, heróis e vilões. No entanto, os heróis deste reboot não chegam aos calcanhares dos originais e as suas histórias parecem demasiado dispersas, não indicando propriamente um objectivo em comum. Um episódio altamente parado que pouco ou nada adiantou na narrativa da série.

NOTA: 4/10