Até ao próximo dia 10, Almada recebe pela 23.ª vez a Quinzena de Dança – International Dance Festival, que este ano assinala o 25.º aniversário da Companhia de Dança de Almada. O Espalha-Factos esteve presente numa das Mostras de Videodança e conta-te todos os pormenores.

As Mostras de Videodança já acompanham as várias edições do festival, promovendo assim a sua crescente importância em Portugal e em todos os cantos do Mundo. Todos os anos, a organização do festival seleciona vídeos da Plataforma Coreográfica Internacional para integrar dois blocos de sessões que serão passados ao longo da quinzena do festival. O Espalha-Factos assistiu a seis vídeos e mostra-te como a câmara e o corpo se conseguem unir para a realização de novas dimensões da dança contemporânea em espaços videográficos e cada vez mais adaptados ao mundo.

Guelra – Esse olhar que era só teu e Tão Longe, Tão Perto, ambos coreografados por Cristina Mendanha e com a participação da bailarina Gabriela Barros, no primeiro a solo e no último acompanhada de David Ramalho, representaram vincadamente Portugal e o projeto Arte Total – uma escola que forma intérpretes e divulga as artes performativas, da qual a coreógrafa é diretora.

mostra_Guelra_esse olhar que era so teu_ARTE_TOTAL_foto_PlayBleu

No meio da confusão (O amor em visita), apesar de coreografado e interpretado pelos holandeses Jasper Džuki Jelen e Mojra Vogelnik-Škerlj, teve a sua realização a cargo de Catarina Barata, cruzando mais uma vez as fronteiras da dança.

mostra_no meio da confusao_ CATARINA_BARATA_foto_still do filme

Em E.sperimenti giorno e notte, dos italianos Federica Galimberti, Francesco Di Luzio e MattiaDe Virgiliis, mais de dez bailarinos dançam ao som de uma batida frenética que acompanha o cair da noite. O resultado? Os espectadores colados à tela do início ao fim tentando acompanhar cada movimento, cada batida, cada cenário que se altera de segundo em segundo.

mostra_e sperimenti giorno e notte_E SPERIMENTI DANCE COMPANY_foto_Davide_Lena

Descent do Reino Unido, é outro exemplo do que de melhor tem sido realizado na área da videodança. Com outra coreografia impressionante, Antoine Marc e os seus quatro bailarinos relatam a história de um homem que caminha para a sua morte e cujas memórias lhe vão surgindo. Um vídeo premiado em Inglaterra e que partilha o mesmo cenário do famoso filme O Discurso do Rei.

mostra_descent_ANTOINE_MARC_foto_Drew Cox

No final Elles, de Espanha. Na tela surge um grupo de caracóis sob o corpo despido de Virginia García, a intrusa. A história desenrola-se em sketches que relatam a tentativa de fuga da personagem que no fim consegue escapar, tranquila. A ideia nasce no seguimento do projecto A Intrusa, uma empresa de criação artística contemporânea formada em 1996 por Virginia García e Damián Muñoz.

mostra_elles_LA INTRUSA_foto_La_Intrusa

Surgido pela primeira vez nos anos 70, a linguagem associada à videodança foi evoluindo, deixando de ser apenas uma forma de registo e reprodução e dando lugar à composição de novas criações, linguagens e formas de mostrar o mundo, explicou a directora artística do festival, Ana Macara.

A 23ª Quinzena de Dança – International Dance Festival comemorou este ano o 25.º aniversário da Companhia de Dança de Almada através de uma exposição fotográfica e um espectáculo comemorativo alusivos ao trabalho desenvolvido até aqui. O festival promove o reencontro entre artistas e público, baseando-se no tema da dança contemporânea, contando com espectáculos, workshops, aulas abertas e debates.

Fotografias cedidas pela Comunicação da 23.ª Quinzena de Dança de Almada