O reality-show com mais dança da televisão chegou pela 12.º vez ao fim. Numa temporada em que os bailarinos se teriam de dividir entre a equipa de palcos e a equipa de street, a competição tornou-se mais uma junção das duas do que numa rivalidade.

Pela 11.ª vez, Cat Deeley apresentou o programa e Nigel Lythgoe voltou a sentar-se na mesa do júri. Desta vez, a estridente Mary Murphy foi substituída pela coreógrafa e bailarina Paula Abdul. O bailarino e músico de Want to Want Me, Jason Derulo, completou a mesa das opiniões.

11224230_10153555688714304_5437859805827702402_n

Se na temporada passada, o prémio de bailarino favorito da América foi para o bailarino Ricky Ubeda, a temporada 12 ficou reservada para a bailarina Gaby Diaz. Mas nem só a vencedora, que irá dançar num concerto de Jennifer Lopez em Las Vegas, se destacou nesta temporada. Cat Deeley anunciou a sua gravidez, Travis Wall, um dos coreógrafo residentes do programa, recebeu um Emmy, dois concorrentes casaram-se em Las Vegas e o jovem Cody Carlson, com síndrome de down, não chegou às galas mas garantiu a sua entrada no Special Olympics Inaugural Dance Challenge. 

Para que possas ter melhor a noção de como foi esta temporada, fazemos um percurso por aqueles que para nós foram os 15 melhores momentos.

15. O domínio das mulheres em Vegas

http://youtu.be/g-jwz53FOj8

Desde os castings que já se previa o domínio das mulheres na competição e a seleção em Las Vegas apenas o confirmou. Nesta coreografia estão já algumas das finalistas da equipa de street liderada pelo bailarino de hip-hop tWitch, que integrou a temporada quatro do programa.

14. Os movimentos da ‘Rainha de Detroit’

http://youtu.be/6gCqESWBl4M

Go music e a aquela que se autodenomina de ‘Rainha de Detroit’ começa a encher o palco. Na temporada em que os bailarinos de danças urbanas tiveram a oportunidade de concorrer numa equipa apenas de street, Kenya Sutton convenceu o júri com o seu próprio estilo. Pelo meio teve ataques de pânico em Las Vegas e não chegou a ser selecionada para o top 20, mas deixou a sua marca nesta temporada do programa, sendo várias vezes aplaudida de pé pelo júri.

13. O casting do Mister Hollywood

http://youtu.be/LZw6g0Kxti8

Um dos ingredientes para se estar num programa como este é fazer entreter o público. Mas calma, é conveniente saber dançar também. Thomas Condello, mais conhecido como Mr. Hollywood, tentou a sua sorte ao dançar um hip-hop algo místico e indefinido. Convenceu o júri a nível da personalidade e até cantou  Wiggle de Jason Derulo, mas ao não ter o fator dança não levou o bilhete de acesso para Las Vegas.

12. O momento de Travis Wall

http://youtu.be/aY0QiOYucXg

Vindo da temporada dois e a coreografar para o programa desde 2012, Travis Wall liderou a equipa de palcos. Também elaborou várias coreografias e protagonizou esta com Jena Dewan, mostrando tudo o que é. Entre o provocador e o atrevido, Travis dançou na final onde acabou por levar a sua equipa à vitória.

11. Um anjo já típico no programa

http://youtu.be/jDEgEmiUjSY

Em todas as temporadas há aquela coreografia típica e que fica como emblemática. Já assim foi com Total Eclipse of the Heart com Melanie e Neil ou com Fix you com Robert e Alisson. Gaby Diaz e o all-star Alex mostraram perícia a nível técnico e sentido artístico ao som de Angels de Sarah Mclachlan.

10. Jason Derulo e as crianças

http://youtu.be/QTbpuLIz7NE

Jason Derulo foi uma das maiores atrações nas castings. E começou logo na primeira paragem, em Memphis. A professora Ladia Yates impressionou o júri e também se mostrou impressionada pelo cantor. E professora que é professora fala nos seus alunos e quer o melhor para eles. Os alunos de Ladia foram inclusivamente para palco e qual a banda sonora que escolheram? Jason Derulo ao vivo.

9. Bill Gates da street dance

http://youtu.be/Yz5LfUiqVOk

É geek e tem movimentos informáticos: é Stephen Ban, o Bill Gates da dança. Numa temporada em que apareceram estilos como breakballet, karateballet ou fusões entre as danças de salão e o hip-hop, Stephen conseguiu conservar o seu estilo street muito eletrónico. Manteve a sua reputação de Bill Gates, designado por Nigel, até Las Vegas onde acabou por ser eliminado numa coreografia de grupo.

8. A dança das luzes

http://youtu.be/_np3dOMv87A

Diretamente coreografada por Travis Wall para a sua equipa, esta coreografia foi das mais marcantes dançadas em grupo. Misteriosa pelas lanternas usadas ou subtil pelos figurinos, voltou a ser recordada na gala final como uma das que iluminou a temporada.

7. Um Carnaval em street style

http://youtu.be/EgzShrqfmvI

Esta coreografia resume todo o trabalho dos coreógrafos Pharside & Phoenix. O casal brinca com as danças urbanas com se fosse literatura fantástica. Com sete bailarinos da equipa de street em palco, cada um encarnou uma personagem daquelas que podemos ver nas feiras populares ou no Carnaval.

6. O hip-hop despido

http://youtu.be/8n5BSZ0kTOg

Desengane-se quem pensa no hip-hop com um ritmo sempre muito acelerado. De certeza que não conhece o hip-hop lírico! Virgil e Gaby, o bailarino de hip-hop e a bailarina de sapateado, levaram a coreografia de Phillip Chbeeb aos dois campos da competição. Quase que se pode dizer que foi a coreografia mais transversal do programa.

5. No Woman, No Cry em hip-hop

http://youtu.be/ehX0t-HZmL4

Nigel comoveu-se com esta coreografia e afirmou esperar por este tempo há alguns anos. A comunicação entre os estilos de street e palcos nem sempre tem sido fácil na História da dança e o experiente jurado destacou isso. Jaja, de hip-hop e Jim, de ballet, dançaram Bob Marley com hip-hop a um ritmo que podia também acolher um estilo de palcos.

4. Pina Bausch num programa de televisão em 2015

http://youtu.be/3bzjsKsJfhQ

Tyce Diorio fez renascer Lillies of the valley de Pina Bausch numa coreografia conjunta entre a equipa de palcos e street. As cadeiras de Pina estavam lá e alguma da sua estranheza de movimentos também. Sem ser autenticamente Pina, houve um reavivar da sua obra num reality-show.

3. O sapateado vencedor

http://youtu.be/sTr7pUFgEEw

Gaby começou por não ser selecionada nas audições em Dallas, mas o júri viu potencial nela e acabou por lhe dar uma oportunidade em Detroit. A bailarina latina, que se apresentou em sapateado, convenceu em todos os estilos desde Las Vegas até à último gala. O júri sempre lhe atribuiu as duas características essencias de uma bailarina no programa: técnica e personalidade. Zack Everhart acompanhou Gaby neste que foi o estilo em que concorreu e acabou por vencer!

2. Uma competição a duas

http://youtu.be/u-y9T-P6QvU

Duas mulheres carismáticas, duas personalidades fortes, uma música chamada Woman (Oh Mama) e de certeza uma vitória feminina. Jaja e Gaby foram as duas finalistas e favoritas desde muito cedo nas galas. Nick Florez & RK Durell fizeram uma coreografia poderosa, tornando-se um dos momentos com mais competição e partilha do programa.

1. A dança como espelho da realidade

http://youtu.be/_fNsRoOiEKU

Jaja acabou por não ser a vencedora, mas protagonizou uma das coreografias mais marcantes de toda a temporada. Quando à dança se junta um problema como o alzheimer, a importância daquilo que se representa é muito elevada. Jaja e o bailarino all-star Alex fizeram da coreografia de Tessandra Chavez uma extensão do programa. Jaja esqueceu-se que era bailarina de hip-hop e focou-se no que a tornou desde muito cedo uma das favoritas à vitória: a teatralidade.