Antes de uma hora de trovoada musical da boa no terceiro dia do nosso bosque, o Espalha-Factos quis saber mais sobre os Thunder & Co. A banda, composta pela simpática dupla Sebastião Teixeira e Rodrigo Gomes, falou-nos um pouco sobre o ambiente do Indie Music Fest e a essência do seu estilo musical, que vai estar presente na edição deste ano do NOS d’bandada, dia 12 de Setembro.

EF: Para já, qual está a ser a vossa impressão sobre o ambiente do Indie Music Fest?

Rodrigo: Bastante boa.

Sebastião: Estamos a gostar muito.

EF: Estão a ser bem recebidos?

Sebastião: Muito bem recebidos! Apetecia-me ficar cá uma semana (risos). Não estou a brincar, acho que estar aqui bosque, calmamente, a ouvir música e a ver e a descansar é muito bom.

EF: Tendo já vocês atuado em vários festivais como é que vocês acham que o Indie se distingue dos outros, assim de uma maneira geral?

Sebastião: É mais puro. Isso é bonito. Está mais aqui dentro da natureza, o cartaz parece-nos estar mais ou menos coerente, certo?

Rodrigo: Isso não temos a certeza.

Sebastião: Isso não temos a certeza mas temos de ver. Mas de organização é bonito o espaço, destaca-se. Nunca tinha visto nada assim, é meio hippie, é giro.

EF: Está a surpreender-vos pela positiva então?

Rodrigo: Claro!

Sebastião: Bastante.

EF: Vocês já foram oficialmente confirmados para o NOS D’Bandada, atuaram no Super Bock Super Rock. Estavam à espera deste reconhecimento todo? Como é que estão a lidar com isso? Como é que vos faz sentir?

Sebastião: Faz-nos sentir bem porque, pronto, é o nosso trabalho. Queremos tocar muito e está a saber bem estes concertos todos que estamos a dar mas queremos trabalhar para dar mais ainda.

EF: Para quem não vos conhece como é que vocês definem o vosso próprio estilo?

Sebastião e Rodrigo: É música de dança.

EF: Para divertir mesmo?

Rodrigo: É. Quer dizer, não sei se as pessoas se divertem muito mas nós tentamos (risos). É música de dança, não sei se é muito divertida. Mas a intenção é que as pessoas fiquem com um sentimento positivo mas não sei se é a coisa mais divertida do mundo.

EF: Porque as pessoas costumam divertir-se quando dançam…

Rodrigo: Sim, mas é uma música de dança assim um bocado escura.

EF: Os vosso vídeos da ONO e da Apples são bastante abstratos. De onde é que surgiram as ideias para os vossos vídeos?

Rodrigo: Parecem abstratos mas não são nada abstratos.

Sebastião: O primeiro vídeo fui eu que fiz com o Rodrigo e a ideia era: à falta de meios para fazer uma produção nossa, procurámos, e eu trabalho em publicidade e em design, e então quis perceber o que é que a publicidade diz que é o significado de cada palavra. Então pegámos na letra e palavra por palavra fui pesquisar em bancos de imagem. Portanto se ele diz “love” eu punha um casal apaixonado, se ele dizia “one night” eu punha o que aparecia. Então aquilo foi uma colagem, ou seja, todas as imagens que ali aparecem estão em cima, é uma pesquisa em bancos de imagem da letra. E o segundo vídeo é uma consequência disso.

Rodrigo: Por isso é que não é tão abstrato quanto parece.

Sebastião: Exatamente. Tem uma lógica. E o segundo é a continuação desse que é, não sendo sobre a matéria da imagem, é sobre a matéria do estilo, da composição. Ou seja, depois fomos aos programas 3D e pegámos em templates, por isso é que aquilo tem lá cavalos e o Jesus, e usámos o que lá estava. Ninguém criou nada. Portanto, no fundo é remexer em coisas que já existem e misturar tudo outra vez.

EF: Já agora, se quiserem dizer onde e a que horas vão atuar no D’Bandada…

Rodrigo: Vamos atuar na Praça dos Leões, no Porto às 19h30.

EF: Para além disso, têm datas futuras?

Rodrigo: Temos, não podemos revelar.

Sebastião: Agora parámos um bocadinho.

Rodrigo: Tu achas que parámos, mas na verdade não parámos…

Sebastião: É que nós não parámos um bocadinho (risos).

Rodrigo: Temos duas datas em Lisboa, mas não podem ser anunciadas. Só podemos dizer que uma é em outubro e outra em novembro.

1-DSC_0754