Tudo a postos para o último dia do festival mais indie, mais alternativo e mais português que o mundo já viu. Por entre tantos nomes no cartaz, nas grandes atrações para a noite constavam os Adeus Júpiter, The Sunflowers, Thunder & co, Keep Razors Sharp e os ultra esperados Linda Martini. Já com alguma nostalgia, o Espalha-Factos marcou presença no dia de encerramento do Indie Music Fest.

Tudo o que é bom acaba depressa e o nosso Indie Music Fest, que nos últimos dias foi a casa de tantos de nós, é uma boa prova disso. O dia fez-se quente no bosque e encarregues de o começar ficaram os Miss Titan, que trataram de encher o Palco Cisma numa questão de minutos. O som, indie alternativo, de alguma forma mais leve e bem equilibrado com duas vozes bem distintas, foi a chamada ideal para os campistas do bosque que ainda dormiam a sesta da tarde.

Siga a rusga para o Palco Antena 3, que chegaram os Adeus Júpiter e vieram para nos deixar a música deles no ouvido, com letras diferentes e completamente portuguesas. Se o rock puro não era suficiente para que esta banda se distinguisse no panorama, sem dúvida que são os temas explorados que fazem isso acontecer: o teu cão fugiu? É uma excelente razão para ouvires os Adeus Júpiter. Apetece-te um croquete? Outra boa razão para os ouvires.

Ainda o sol brilhava quando os girassóis chegaram para o contemplar. The Sunflowers foram responsáveis por um concerto cheio de energia no Palco Cisma, decorado a rigor, onde tiveram uma resposta mais que positiva do público. Para os habitantes do bosque, o punk rock nunca é demais e nisso The Sunflowers foram mestres – os rockeiros atraem-se e para grandes gritos, grandes headbangers (sem nunca desvalorizar quem dança ao som do punk com o corpo todo).

Com a luz do crepúsculo, os Old Yellow Jack assumiram a responsabilidade de abrir o grande palco principal do Indie Music Fest. A reação do público leva-nos a afirmar que este quarteto de Lisboa passou com distinção – o bosque adorou dançar ao som de um rock psicadélico, fosse porque “Nesta próxima música, dança-se” ou porque “Agora, agarrem-se uns aos outros!”. Missão cumprida, Old Yellow Jack.

1-DSC_0787

Há muito poucas palavras para descrever o quanto o Indie Music Fest estava a precisar do enorme concerto dos Thunder & co. Quem não dançou durante uma hora seguida e não ficou com dificuldades em sentir as pernas, é porque certamente não esteve no bosque; impossível ficar indiferente a algo que nos faz tão bem. Os Thunder & co. ofereceram ao público uma energia sem fim e uma felicidade imensa – porque tudo é melhor quando é feito com amor – e portanto mereceram todo o retorno do bosque, que não queria que o concerto acabasse.

Uma das surpresas da noite foi, sem sobra de dúvida, o Palco Cisma ter sobrevivido intacto ao concerto dos The White Knights. Incontáveis momentos de crowdsurf, muita loucura e aquilo que seriam gritos de pura satisfação ao som de “surf garage rock e tutti frutti” foram alguns dos acontecimentos que marcaram a atuação da banda bracarense. Uma agradável surpresa que nos deixou a pensar como seria se os The White Knights tivessem tocado no nosso palco principal.

De volta ao palco principal, uma das atuações mais esperadas da noite foi a dos Keep Razors Sharp, que ainda antes de começar tinha já uma multidão enorme a assistir. Atrevemo-nos a afirmar que não estávamos à espera, mas este concerto em particular foi um fenómeno muito grande no Indie Music Fest e o público quase perdeu a cabeça com o incrível rock n’ roll. “Este festival é a maior surpresa de sempre”, disseram os Keep Razors Sharp algures entre os gritos e as palmas. Nós concordamos plenamente.

1-DSC_0347

A espera para o momento que se seguiu foi muito sofrida. Eles foram uma das bandas preferidas e mais esperadas de todo o festival e faltam palavras para descrever o ambiente, o barulho, o entusiasmo e a energia que se fez sentir no bosque quando os Linda Martini pisaram o palco principal do Indie Music Fest. Cronófago foi a música escolhida para abrir o memorável concerto, no qual os Linda Martini deram a sua melhor faca e a sua música esteve à altura de ir para o Panteão. No fim, o público só queria tê-los de Volta, mas os Linda Martini já estavam a Cem Metros Sereia de nós.

O último dia da edição deste ano do Indie Music Fest encerrou com o concerto dos Stone Dead, no Palco Antena 3, bem como com a atuação dos Solution e dos CVLT na Fábrica Electrónica.

Assim se passaram três dias de boa música no Bosque do Choupal. Agora, resta esperar um ano para repetir a aventura no bosque mágico. Até para o ano, Indie Music Fest. Vamos ter saudades!